"Song For Someone" 360 Version

Anúncios

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Anton Corbijn ainda é assombrado pelo seu videoclipe desastroso de "Pride (In The Name Of Love)"


Em entrevista para o site U2 France, o fotógrafo principal do U2, o holandês Anton Corbijn, fala sobre os videoclipes que dirigiu para a banda:

"Eu não conto a minha versão de "Pride (In The Name Of Love)", pois se tratava de um experimento. Além do problema com aquele videoclipe, eu acho que minha versão de "One" também causou um problema inicial para eles. Acho que eles me chamaram novamente para fazer outros porque eles percebem que olhando para os vídeos, os meus mantém o seu impacto, pois não dependem de novidades técnicas ou coisas assim, e se você os vê fora das paradas de sucesso ou fora de exibições para promoção comercial, eles realmente possuem algo.
Eu tenho muito orgulho de "One" porque foi uma conquista e um grande envolvimento na época (eu mesmo pintei os carros vistos lá) - obviamente que eu queria fazer o melhor que eu poderia para eles e provar que eu poderia fazer um grande videoclipe após o desastre de "Pride (In The Name Of Love)".



Eu também adoro o videoclipe de "Electrical Storm", é tão diferente de tudo o que você vê na tv e Samantha Morton foi incrível e Larry também foi muito bem.
Eu também adoro "Please", apesar de nunca ter sido um grande hit, e consequentemente, não foi exibido tanto e tal como acontece com um monte de meus vídeos, vai sobre a cabeça das pessoas. Bono me envia canções de vez em quando para ver se eu posso lhe dar ideias ou podemos falar sobre ideias de outras pessoas para videoclipes e lhe faço comentários e dou ideias para ele brincar com isso."

30 Anos de 'The Joshua Tree': Stephen Raindford fala sobre as gravações do disco


Stephen Raindford trabalhou como técnico de guitarras para o U2 e The Edge em particular, de 1983 a 1986. Ele conta sobre as gravações de 'The Joshua Tree':

"Eu trabalhei em todas as gravações demo para o álbum 'The Joshua Tree', até eles irem para o Windmill Lane Studios. Eu trabalhava 24 horas por dia às vezes. Bono podia ficar por lá até à 1:30 h da madrugada, improvisando em algo, e então ele aparecia de novo às 8:30 h da manhã e queria tocar blues por algumas horas, antes que os demais aparecessem. Bono me deixava pirado algumas vezes, ao aparecer tão cedo. Ele não fazia isso todo dia, mas alguns dias por semana ele vinha bem cedo e eu procurava facilitar as coisas pra ele. Um dia ele chegou e começou a tocar música clássica no piano. Eu disse "Meus Deus - de onde você tirou isso?" Ele disse que alguém havia mostrado algumas coisas pra ele, e ele estava literalmente inventando, mas ele estava compondo em um gênero que alguém tinha apenas lhe mostrado, lhe dado uma ideia a respeito. Ele fazia o mesmo com o blues naquela época. Eu acho que todo o relacionamento com o B.B.King nasceu da perspectiva dele sobre o blues e a cultura norte-americana.
O que o Edge tem de diferente como guitarrista? Bem, ele nunca tentou imitar o som de outros guitarristas. Eu acho que tem a ver com o seu senso de ritmo, ele é ótimo nesse aspecto, com certeza. Ele abraça toda e qualquer inovação e isso o faz completamente único como guitarrista. E ele canta muito bem também."

Do livro U2 Show - Tradução de Maria Teresa

Blog U2 Vision Over Visibility

Arquivo "Miss Sarajevo" (Live Version)


A segunda versão do videoclipe de "Miss Sarajevo" usa imagens gravadas por Bill Carter para seu documentário 'Miss Sarajevo', mas ele é editado em conjunto com a filmagem da performance ao vivo onde Bono, The Edge e Brian Eno se juntaram à Pavarotti em Modena, para o concerto 'Pavarotti and Friends'. O concerto foi realizado no Parco Novi Sad, em Modena. Como mostra o vídeo, esteve presente a princesa Diana de Gales, que é vista no vídeo chegando no concerto em Modena. O concerto foi realizado em 12 de setembro de 1995.
As imagens da performance ao vivo da canção é mesclada com imagens do documentário, incluindo cenas filmadas durante o concurso 'Miss Sarajevo', realizado em 1993 em um porão em Sarajevo, imagens de moradores de Sarajevo nas ruas e imagens da cidade sitiada pela guerra. O áudio usado para este vídeo é uma mixagem diferente, abrindo com o ruído da multidão mixado na abertura e termina com os sons de tiros e explosões, como podemos ver uma torre sendo atacada em Sarajevo.
O primeiro vídeo para a canção trazia em grande parte as mesmas imagens do conflito na Bósnia, mas não continha nenhuma das filmagens da performance de Modena.



Da nova seção do site: U2 Songs (antigo U2 Wanderer)

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Makes The Future The Past: com o Castelo de Cashel ao fundo em 1982



Um jovem U2 sendo fotografado em 1982 próximo ao Castelo de Cashel (Rock of Cashel), também conhecido como Cashel dos Reis, localizado em Cashel, no Condado de Tipperary, na Província de Munster, na República da Irlanda.


UM VÍDEO EM 360°
video


Agradecimento: Márcio Fernando, músico e colaborador do blog

Lançado Blu Ray nacional não oficial de show do U2 no Glastonbury Festival 2011


A distribuidora Music Brokers Brasil Produções Fonográficas colocou à venda no mercado brasileiro o Blu Ray 'U2 - Live At Glastonbury Festival 2011'. Não é um lançamento oficial da banda. Esta apresentação foi exibida na época pela BBC em alta definição de som e imagem, e um DVD, também não oficial, já tinha sido lançado com este conteúdo.

Descrição

Formado na Irlanda no ano de 1976, o U2 nunca mudou sua formação; Bono (vocal e guitarra), The Edge (guitarra, teclado e backing vocal), Adam Clayton (baixo) e Larry Mullen Jr. (bateria e percussão). Se no começo foram classificados de pós-punk, eventualmente a quantidade de influências tornou o som do grupo uma referência e não mera classificação. Não importa quantos shows do grupo você assista, pois sempre será uma nova experiência hipnótica e multissensorial.
Nesta apresentação histórica de 2011, no icônico festival de Glastonbury, uma plateia inteira na chuva compunha um cenário perfeito para dar início a um show único na carreira da banda que faz um dos melhores shows da atualidade. Uma metáfora para o título da canção de abertura “Melhor que a coisa real” (Even Better Than The Real Thing).
Bono tem o poder de focalizar seu público, faz esquecer que estamos diante da formação mais básica do rock, vocal, guitarra, baixo e bateria; soa como uma orquestra desfilando hits que sempre parecem uma novidade; o U2 tem mesmo o poder de se renovar a cada show.
Uma sobrecarga visual frenética faz com que cada ponto do palco traga um encanto ou um símbolo. O grupo tem a capacidade de atravessar as décadas em que esteve em atividade e no show fazer parecer mesmo que viajamos dos anos 80 aos anos 2000. A interação palco, tela e plateia é única; uma propriedade do U2 que só se renova através dos tempos! Uma banda atemporal faça sol ou chuva; um palco que sempre brilha!

Faixas do Disco:

1. Even Better Than The Real Thing (Remix Version)
2. The Fly
3. Mysterious Ways (With 'Independent Women' Snippet)
4. Until The End Of The World
5. One
6. Where The Streets Have No Name (With 'Jerusalem' Intro)
7. I Will Follow
8. I Still Haven't Found What I'm Looking For (With 'Movin' On Up' Snippet)
9. Stay (Faraway, So Close!)
10. Beautiful Day (With 'Rain' Snippet)
11. Elevation
12. Get On Your Boots (With 'She Loves You' Snippet)
13. Vertigo (With 'Garageland' Snippet)
14. Sunday Bloody Sunday
15. Bad (With 'Jerusalem' Snippet)
16. Pride (In The Name Of Love)
17. Encores:
18. With Or Without You (With 'Love Will Tear Us Apart' Snippet)
19. Moment Of Surrender (With 'Yellow' Snippet)
20. Out Of Control (With 'Pretty Vacant' Intr)

Título: U2 - Live At Glastonbury Festival 2011
EAN: 7798093711776
Estúdio: Music Brokers
Data de lançamento: 17/02/2017
Tipo de mídia: Blu-Ray
Quantidade de discos: 1
Região: Blu-Ray Região A - América do Norte, América do Sul, Leste da Ásia
Duração: 96 minutos
Formato de tela: Widescreen
Sistemas de som: Dolby Digital 5.1
Preto e Branco/Colorido: Colorido
Classificação indicativa: Livre
Idiomas: Inglês
Peso: 120g
Dimensões: 170mm x 135mm x 15mm

Agradecimento: Anselmo Carlos Lopes

Bono elogia o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, pelo seu apoio a políticas de combate à AIDS


Bono esteve no sábado passado em Munique, onde se encontrou com o vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence.
Segundo a revista People, o músico conversou com Pence sobre uma lei norte-americana de 2003, que visa combater o vírus da AIDS e auxiliar os seus portadores, principalmente na África.
Durante o encontro, Bono disse que Pence era "o segundo homem mais ocupado do mundo" e elogiou o seu apoio à lei em questão. "Foi um acontecimento histórico, e [Pence] teve um importante papel na sua aplicação", afirmou.
“Duas vezes você defendeu isso no congresso. É assim que o conhecemos, e realmente damos valor a isso”, disse Bono. Pence respondeu: “Foi uma realização histórica e extraordinária e você teve um papel de liderança ao levar esse projeto adiante”.
Apesar deste dado, Mike Pence é considerado por muitos como o principal responsável por uma epidemia do vírus no Indiana, durante o seu mandato enquanto governador desse estado.
Em 2015, Pence retirou fundos estaduais à organização Planned Parenthood, que em algumas zonas do Indiana era o único local onde era possível fazer o teste da AIDS, tendo-se igualmente se oposto à troca de agulhas gratuitas para toxicodependentes, o que levou a um aumento de novos casos de AIDS.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

O duo Suicide serviu de referência para a gravação de "With Or Without You" em 'The Joshua Tree'


U2 com 'The Joshua Tree' é capa da nova edição da MOJO. O artigo apresenta uma entrevista com Bono discutindo o álbum, bem como uma história de como o álbum surgiu e de passagem menciona como "With Or Without You" teve seu início como uma faixa:

A referência para a canção originalmente veio dos playbacks de estúdio dos discos do Suicide (não menos importante, Cheree, do disco de estreia de 1977 da dupla eletrônica de Nova Iorque) e a chegada da guitarra Infinite do amigo de Daniel Lanois, Michael Brook – um protótipo de instrumento prometendo sustentação final, que se montada de maneira errada, daria um grande choque elétrico em quem estivesse tocando. Nas mãos de Edge produziu o som atmosférico, e o zumbido que é o coração da faixa.

Suicide foi uma banda influente no cenário musical dos EUA. Formado em Nova Iorque, o Suicide é um duo composto por Alan Vega, o vocalista, e Martin Rev.

O estilo único de Suicide é considerado pioneiro no movimento Punk. Ouça "Cheree", uma das influências para "With Or Without You":



Bono revisitou 'The Joshua Tree' e disse: "posso ouvir alguns artistas que eu que estava escutando, como Nick Cave & The Bad Seeds ou Echo And The Bunnymen. Eu posso ouvi-los nas letras. Também posso ouvir, de maneira um pouco irritante, no canto. É um grande canto e eu entendo. E eu entendo que é declarativo e está aberto. Mas estraga um pouco a minha diversão."
O álbum de Nick Cave & The Bad Seeds seria 'The Firstborn Is Dead' de 1985.

Agradecimento: U2 Songs (antigo U2 Wanderer)

Segredos Revelados: 30 anos depois, a The Arklow Silver Band será ouvida em "Red Hill Mining Town"


Se você pegar o encarte de 'The Joshua Tree' de 1987, estará escrito lá: "Red Hill Mining Town - The Arklow Silver Band. Red Hill Mining Town - Brass Arranged and Conducted by Paul Barrett."
Uma banda de metais chamada The Arklow Silver Band tocou na canção "Red Hill Mining Town" do U2, com arranjos feitos e conduzidos pelo engenheiro de som Paul Barret?

Na nova edição da MOJO, foi revelado que o U2 vai lançar uma versão atualizada de "Red Hill Mining Town". E um parágrafo traz:

"O que explica por que, para uma nova mixagem de "Red Hill Mining Town", produzida por Steve Lillywhite e destinada a um futuro lançamento, Bono voltou para a fita master e regravou seu vocal. ' Também recuperamos os sons de uma banda de metais, que foi gravado na época', diz ele. "Você não pode ouvir isso na mixagem original.'"

Está explicado! Não se pode ouvir na mixagem original de 1987 a participação da The Arklow Silver Band, mas o U2 recuperou isso para a nova versão de 2017 que será lançada em breve!

Fundada em Arklow Co. Wicklow, Irlanda, em 1968, a The Arklow Silver Band, as vezes chamada de Arklow Shipping Silver Band, tem uma história incomum. Foi criada a partir de um coro de rapazes muito bem sucedidos que fazia parte do Arklow Youth Club. Embora existissem Brass Bands em Arklow há muitos anos atrás, não havia experiência para ajudar no desenvolvimento da banda, mas a partir dessas origens humildes, a banda gradualmente se desenvolveu e, em 1972, começou a competir nas seções inferiores da Irish Band Championships que foram realizadas todos os anos na Câmara Municipal em Dun Laoghaire, eventualmente ganhando a seção do Campeonato em 1981.
Em 1987, a banda forneceu uma faixa de apoio (backing track) para "Red Hill Mining Town" no álbum do U2 'The Joshua Tree', mas o próprio Bono afirmou agora que na mixagem da canção para o disco, ficou quase impossível de ouvir a contribuição destes arranjos de metais da The Arklow Silver Band.

"Red Hill Mining Town" é a única canção de 'The Joshua Tree' nunca tocada ao vivo em um concerto do U2. A banda chegou a tocá-la em passagens de som, como em 28 de novembro de 1987 antes de um concerto em Murfreesboro, Tennessee, mas ela nunca fez parte de um setlist.

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Bono regravou os vocais de "Red Hill Mining Town" em Dublin e Steve Lillywhite remixou a faixa em Jacarta


Na nova edição da MOJO, foi revelado que o U2 vai lançar uma versão atualizada de "Red Hill Mining Town".

"O que explica por que, para uma nova mixagem de "Red Hill Mining Town", produzida por Steve Lillywhite e destinada a um futuro lançamento, Bono voltou para a fita master e regravou seu vocal. ' Também recuperamos os sons de uma banda de metais, que foi gravado na época', diz ele. "Você não pode ouvir isso na mixagem original.'"

Através de seu twitter, Steve Lillywhite escreveu: "Sobre a nova versão de "Red Hill Mining Town". Bono regravou versos em Dublin e eu remixei em Jacarta. Não é EDM, desculpe....."

EDM: Electronic Dance Music, a música "do momento" que os mais novos curtem.

Em setembro de 2016, durante uma entrevista ao talkSPORT, Steve fez menção que ele estava trabalhando com um "super" grupo de "velhos amigos". Ele não confirmou qual grupo era, e disse que a canção era "muito especial".
Depois, em uma conferência de música em Cingapura, ele revelou que estava mixando o novo single do U2.
O jornalista musical canadense Alan Cross estava na conferência e escreveu sobre isso em seu blog:
"Steve está com um celular em mãos disse a todos durante uma entrevista que Bono entrou em contato e perguntou se ele poderia mixar o novo single do U2. Este mix está neste telefone celular dele."
Todos acharam que era uma canção inédita de 'Songs Of Experience'. Mas não era. Ele só vai trabalhar no disco a partir deste próximo mês. Ali ele trabalhava numa "nova velha canção".
Assim, Bono provavelmente regravou os vocais de "Red Hill Mining Town" em 2016 em Dublin, e entregou para Steve trabalhar nesta canção muito especial, como ele mesmo disse!

sábado, 18 de fevereiro de 2017

"The Showman", "The Best Thing About You Is Me" e "Summer Of Love" são os títulos de canções inéditas do U2, e Steve Lillywhite é o novo produtor de 'Songs Of Experience'


O site @U2 trouxe uma informação da nova edição da MOJO, que o U2 vai lançar uma versão atualizada de "Red Hill Mining Town" para promover 'The Joshua Tree Tour 2017', e a produção ficou por conta de Steve Lillywhite!
O mesmo @U2 agora traz mais novidades reveladas na nova edição da MOJO:

O U2 voltará ao Electric Lady Studios no mês que vem para continuar o trabalho em 'Songs Of Experience', agora com Steve Lillywhite produzindo! Steve Lillywhite estava trabalhando com o U2 em 2016. Ele havia dito que estava mixando um single para a banda, a canção estava em seu celular, e todos acharam que era uma canção inédita de 'Songs Of Experience'. Mas não era, era "Red Hill Mining Town". Mas agora ele vai trabalhar em canções novas da banda.
Um artigo separado, intitulado "Blake Expectations" oferece mais detalhes sobre os planos do álbum do U2. O autor Tom Doyle escreve:

O U2 tem re-ensaiado as faixas para 'Songs Of Experience', com o objetivo de editar algumas novamente ao vivo no Electric Lady Studios em Nova Iorque em março com Steve Lillywhite.
O artigo aborda comentários anteriores da banda, sobre querer repensar algumas coisas após mudanças políticas do ano passado nos EUA e na Europa. "Estive escrevendo e mudando as coisas mais um pouco", diz Bono. "Apenas ajustes. The Edge, também." Edge oferece um pouco mais de detalhes: "algumas músicas poderão ser atualizadas em suas letras, e podemos estar escrevendo uma ou duas canções novas".

Adam ultrapassa o clima político como a razão para não ter sido lançado ainda 'Songs Of Experience' e oferece algumas razões musicais, também:

"Não havia clareza a algumas das mixagens de 'Songs Of Experience' e precisamos ser um pouco mais criativos sonoramente. O que eu quero dizer, é que esse disco, quando tocamos ele ao vivo, as canções tornaram-se muito, muito viris e muito duras e nós realmente não capturamos isso no disco. Então, novamente, uma das razões por que estamos tentando abrandar um pouco isso é que realmente queremos acertar na mixagem. Não queremos uma sopa. Queremos um caldo".

Adam diz que o U2 está "na marca de 85%" de finalizar o disco, e tem cerca de 15-16 canções e que 12 ficarão para o novo álbum.

Bono menciona uma nova canção, "The Showman" e diz que é a sua favorita no momento. "É como uma canção do 'Rubber Soul' dos Beatles", diz ele. "É sobre cantores. Não sobre mim." Ele cita um trecho de sua letra no artigo:

The showman give you front row to his heart
The shaman prays that his heartache will chart
Making a spectacle of falling apart
Is the heart of the show

Outras duas novas canções mencionadas são "The Best Thing About You Is Me" e "Summer Of Love". Essa última Bono descreve como "dolorosamente linda e vazia." Ele diz que ela e "Red Flag Day" ambas fazem referência a crise de refugiados na Europa.
O artigo da MOJO informa que o U2 está planejando lançar 'Songs Of Experience' na "segunda metade de 2017", e a turnê iNNOCENCE + eXPERIENCE será retomada na primavera de 2018.

"The Best Thing About You Is Me" parece ser o título oficial da canção primeiro citada como “You’re The Best Thing (About Me)” pelo DJ Kygo, que apresentou ao vivo um remix da faixa que ele fez em colaboração com o U2.
Mas Bono ou a revista podem ter trocado o "you" de lugar e pode ser "you're", o que então seria mesmo “You’re The Best Thing (About Me)”!


30 Anos de 'The Joshua Tree': U2 aplaudido em show de Frank Sinatra em Las Vegas


The Edge, sobre o histórico reconhecimento de Frank Sinatra ao sucesso do U2 em 1987:

"Ah, Frank Sinatra foi fantástico... que vibe!
Você pode imaginar estar indo à Las Vegas, "Never Never Land" e ir de verdade a um show de Frank Sinatra? Quero dizer que o cenário era perfeito, provavelmente, se nós tivéssemos visto ele no McGonagles em Dublin, não teria sido tão mágico, mas no Golden Nugget em Las Vegas, a uma da manhã após a luta de boxe entre Hagler/Leonard, foi incrível. A voz dele estava ótima, ele em grande forma. Ele também parecia estar nos dando uma autobiografia áspera nas canções, dando um vislumbre de que ele era como pessoa. Cada canção mostrando um lado diferente dele, e ele é incrivelmente chauvinista e incrivelmente antiquado naquele sentido, mas ao mesmo tempo era honesto.
Antes de Frank continuar, eles apresentaram o U2 para o público, o que foi um verdadeiro barulho. Nos pediu para levantarmos, disse quem nó éramos e fomos aplaudidos. Foi histeria, Gregory Peck estava lá e todo esse tipo de gente, e eles fizeram uma verdadeira música e dança sobre aquilo. Foi engraçado.
Depois do set do Sinatra, fomos conhecer ele e trocamos umas palavras com ele. Ele era grandioso, é difícil fazer uma avaliação de alguém em 5 minutos, mas ele estava falando de música, que era bom. Você sabe, depois de todos esses anos, ele foi falando sobre a Orquestra de Tommy Dorsey e trabalhos com Buddy Rich e nós estávamos falando sobre sua banda e o que pensávamos sobre.
Frank obviamente foi muito influenciado pelo Blue Nile, mas você pode perdoar-lhe por isso!"

Confirmado: U2 vai lançar nova versão de estúdio de "Red Hill Mining Town" para promover a 'The Joshua Tree Tour 2017'


Em janeiro, Paul Healy, jornalista do Irish Daily Star, escreveu em seu twitter que o U2 lançaria um single remixado, para acompanhar e promover a turnê de 30 anos de 'The Joshua Tree'. Ele estava certo!
O @U2 traz uma informação da nova edição da MOJO, que o U2 vai lançar uma versão atualizada de "Red Hill Mining Town" para promover a turnê!
A revista apresenta uma longa entrevista com todos os quatro membros da banda sobre a turnê e suas memórias do tempo em que 'The Joshua Tree' foi gravado e lançado. Perto do final do artigo há este parágrafo:

"O que explica por que, para uma nova mixagem de "Red Hill Mining Town", produzida por Steve Lillywhite e destinada a um futuro lançamento, Bono voltou para a fita master e regravou seu vocal. ' Também recuperamos os sons de uma banda de metais, que foi gravado na época', diz ele. "Você não pode ouvir isso na mixagem original.'"

Steve Lillywhite estava trabalhando mesmo com o U2 em 2016! Ele havia dito que estava mixando um single para a banda, a canção estava em seu celular, e todos acharam que era uma canção inédita de 'Songs Of Experience'. Mas não era, era "Red Hill Mining Town"!
A canção original seria single em 1987, teve um videoclipe gravado, mas a banda não gostou do resultado do vídeo, e todos acharam que Bono teria muita dificuldade de atingir as notas ao vivo, e assim, deixaram ela de lado, o single foi substituído por "I Still Haven't Found What I'm Looking For" e arquivaram o videoclipe.
Steve Lillywhite foi o produtor na época, e agora ele volta a trabalhar na faixa com a banda!

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

O estúdio em Bahamas onde o U2 gravou "Fire"


Durante uma pausa na turnê de 'Boy', na primavera de 1981, em abril, o produtor Steve Lillywhite foi chamado pela Island Records para a gravação de um single que faria parte do próximo disco do U2. Com a hospitalidade oferecida pelo chefão em suas instalações, "Fire" foi gravada no Compass Point Studios em Bahamas. Foi fundado em 1977 por Chris Blackwell, o dono da gravadora.



À medida que os outros interesses empresariais de Chris Blackwell aumentavam constantemente, ele foi forçado a gastar menos do seu tempo diretamente cuidando do estúdio. Com a morte do produtor e gerente Alex Sadkin em 1987, o estúdio começou um período de declínio. Com ninguém supervisionando o estúdio, equipamentos do estúdio começaram a sofrer de falta de manutenção adequada e upgrade.


Em 1992, Blackwell tomou medidas para salvar o estúdio contratando Terry e Sherrie Manning, proprietários e operadores de um estúdio de gravação e de uma casa de produção de vídeo nos EUA. O casal supervisionou totalmente o Compass Point Studios. Após sua chegada no final de 1992, os Mannings começaram a restaurar os dois grandes estúdios, os separou e atualizou com modernos equipamentos de gravação.
O estúdio foi fechado no final de setembro de 2010, segundo os responsáveis, por uma série de incidentes e acontecimentos sócio-políticos. Homofobia teria sido um dos principais motivos. Uma mensagem no site oficial agradece a todos aqueles que ajudaram a construir a história do estúdio, e diz que novas instalações serão construídas em algum outro lugar do planeta.
Terry Manning disse que foi devido a "uma série de incidentes que tinham ocorrido no passado recente, que tornou insustentável para continuar a fazer negócios em Bahamas. Todos os envolvidos concordaram que não poderíamos mais trazer nossos amigos e clientes para uma atmosfera que sabíamos ser ameaçadora. Os incidentes devem permanecer privados neste momento."



U2 com 'The Joshua Tree' é capa da nova edição da MOJO


As novas estrelas da capa da MOJO sugerem que o lançamento de uma nova turnê de seu disco de 1987 é justificado por ressonâncias contemporâneas.

O U2 contou à revista MOJO sobre suas razões em suspender o trabalho em um novo álbum para pegar um velho disco de 1987, 'The Joshua Tree', e sair com ele em turnê.
Em uma reportagem de capa detalhada, reveladora e exclusiva na edição que chega às lojas do Reino Unido de terça-feira, 21 de fevereiro, o grupo explora as músicas e as circunstâncias de sua obra-prima de 30 anos, um álbum que lutaram com os mitos e realidades de uma América que eles estavam apenas começando a descobrir.
"The Joshua Tree parecia de certa forma, refletir as mudanças que estavam acontecendo no mundo, durante o período Reagan/Thatcher", diz o baixista Adam Clayton do U2. "Parece que um círculo foi completado e estamos de volta lá atrás, com um elenco diferente de personagens."
Em 1987, o elenco incluiu o Governador do Arizona Evan Mecham, cuja recusa em reconhecer o feriado do Dia de Martin Luther King, fez o U2 lamentar no microfone, provocando ameaças de morte contra Bono em Tempe, Arizona. "O FBI veio", diz o vocalista para Tom Doyle do MOJO, "e foram todos falando: 'Você quer ir mesmo em frente com o show?' E nós fizemos."
Em 2017, o elefante na sala é o presidente Donald Trump, que Bono criticou diretamente durante a campanha eleitoral. Foi uma atitude extraordinariamente direta do cantor – notável por sua ânsia de encontrar um terreno comum com aqueles no poder, até mesmo o mais recente governo Bush, a fim de avançar causas, incluindo a campanha contra a pobreza ONE.
"Era uma questão de consciência para mim", explica Bono. "A ameaça dele à manifestantes com violência me colocou em guarda, já que eu sou, naturalmente, um dos manifestantes".
Bono diz que ele já recebeu os avanços da nova administração, mas ainda está pesando a sua resposta.
"Eu tive um mensageiro de um associado de longa data do Presidente Trump que veio à mim e disse 'olha, nós não pensamos sobre o passado, estamos pensando no futuro e por favor, prepare-se para trabalhar em conjunto.'"
30 anos atrás, o U2 ainda não eram tão apreciados por seu suco político, embora fossem proeminentes no Live Aid e na turnê Conspiracy Of Hope da Anistia International e as visitas relacionadas de Bono à África e América Central foram refletidas nas canções de 'The Joshua Tree'.
"As viagens para El Salvador e Nicarágua foram realmente reveladoras", Bono diz para a MOJO. "Fui com este tipo de grupo esquerdista cristão que estavam traficando pessoas. Mas entramos também em um território rebelde e ficamos assustados quando presenciamos, acho que de longe, o bombardeio do território rebelde."
Buscando relatos dos co-produtores Brian Eno, Daniel Lanois e Steve Lillywhite, além do empresário da banda na época, Paul McGuinness, para aumentar as recordações da banda, a MOJO traz a criação de 'The Joshua Tree', ele tomando vida, explorando a criação dos hits favoritos do U2, incluindo "With Or Without You", "I Still Haven’t Found What I’m Looking For" e a gênese tortuosa de "Where The Streets Have No Name".
"Foi uma saga ridícula essa canção", lamenta Eno. "Deus, foi terrível. Eu estimo que 40% do tempo foi gasto com aquela música. Tornou-se uma espécie de estranha obsessão."
Após a gravação veio a turnê original do álbum, onde a fama crescente do U2 gerou momentos auto destrutivos e a loucura da tequila. Com as vendas altas do disco e grande procura por ingressos, surgiu uma atenção sem precedentes - de boas vindas (de Frank Sinatra) e menos assim (de Michael Jackson). Não sem seus perigos. "Você se torna um idiota", Clayton diz para a MOJO.
O reengajamento com o 'The Joshua Tree' lembrará o U2 de um momento em que, no que diz respeito às suas relações com a política global, financeira e cultural, eles ainda estavam do lado de fora, se aliviando.

CD DE GRAÇA! DESERT SONGS - 15 canções, o companheiro perfeito para uma viagem ao Joshua Tree em busca do sonho americano. The Gun Club, Meat Puppets, Howe Gelb, Victoria Williams, Lift To Experience e mais!

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

20 Anos de 'POP': problemas com a capa do single de "If God Will Send His Angels"


"If God Will Send His Angels" foi o quinto e último single lançado do álbum 'POP' em 1997. Foi lançado em 8 de dezembro na Europa e no Reino Unido, e 9 de dezembro no Canadá. Alguns países da Europa tiveram seu lançamento antes destas destas, com cópias aparecendo em 2 de dezembro na Espanha e em 24 de novembro na Dinamarca.
Nos EUA, O U2 enfrentou problemas legais com a arte da capa, especificamente pelo uso da ilustração "coração com asas", trabalho do designer Run Wrake.


O problema surgiu depois de algumas cópias do single terem sido prensadas e colocadas à venda.
A gravadora alertou o U2 que a capa teria que ser trocada, mas não antes de um número limitado destes singles terem sido disponibilizados, com uma tática. Muitas vezes, o código de barras destes singles lançados "por engano" foram cobertos de modo a não serem "escaneados", dificultando serem rastreados. O resultado final disto foi que o lançamento oficial de "If God Will Send His Angels" foi adiado por meses nos EUA. O single finalmente chegou às lojas (ironicamente, com o desenho de Run Wrake, intacto) em 7 de abril de 1998, em meio à promoção do filme 'Cidade Dos Anjos'.

Agradecimento: U2 Songs (antigo U2 Wanderer)

Blog U2 Sombras e Árvores Altas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...