Anúncios

sábado, 31 de julho de 2010

A contagem regressiva para a volta da turnê 360° - 6 dias

O U2 já está se preparando para voltar à ativa, depois que Bono se recuperou de uma cirurgia na coluna e teve que ficar um bom tempo longe dos palcos. Foram exatos 16 shows cancelados. O local dos ensaios para retorno da turnê 360º está sendo o Estádio Olímpico de Turim.
O show de Turim será realizado no Estádio Olímpico em 06 de Agosto.
A contagem regressiva se iniciou 7 dias atrás no site u2.com









sexta-feira, 30 de julho de 2010

Bono elogia Radiohead - Arquivo 'Bono 50 Anos'

Em carta enviada à revista britânica NME em 2008, o vocalista do U2, Bono, declarou toda a sua admiração pelo Radiohead.
O empresário do grupo irlandês, Paul McGuinness, afirmou que eles não lançariam seu novo disco (No Line On The Horizon) de maneira similar a que o Radiohead fez com In Rainbows.
Sobre o álbum do Radiohead, disponibilizado na rede e pelo qual o internauta pagava a quantia que quisesse ou poderia até baixá-lo totalmente de graça, McGuinness disse que o "tiro saiu pela culatra".
“Entre 60% e 70% das pessoas que fizeram o download ‘roubaram’ o álbum, mesmo ele estando oficialmente disponível de graça”, afirmou o empresário.
Segundo McGuinnes, a venda de CDs ainda gera muito lucro ao U2.
“Nós trabalharemos com a tecnologia disponível para fazer com que o lançamento seja o mais interessante possível. Mas as vendas físicas do U2 ainda são uma enorme parte do nosso negócio, e nós ainda vendemos muitos CDs”, concluiu.
Na carta, o vocalista do U2 saiu em defesa Radiohead e considerou a estratégia do grupo liderado por Thom Yorke corajosa:
“O Radiohead foi corajoso e imaginativo em tentar descobrir um novo tipo de relação com sua audiência”.
“Tal imaginação e coragem são raras hoje em dia. Eles [Radiohead] são um talento sagrado, e nos sentimos abençoados por estar por aí na mesma época que eles”, afirmou Bono.


O Radiohead:
Banda inglesa de rock alternativo originada em 1989, inicialmente chamada de On a Friday, pois sexta-feira era o único dia da semana que conseguiam ensaiar. Mais tarde, por influência de uma música da banda Talking Heads, acabaram rebatizando a banda para Radiohead. Mal sabiam eles que bastariam apenas alguns anos para que este nome se tornasse um dos mais conhecidos no mundo todo.
O grupo formado por Thomas Yorke (vocal, guitarra, piano e sintetizador), Jonny Greenwood (guitarra, teclado e sintetizador), Ed O’Brien (guitarra e sintetizador), Colin Greenwood (baixo) e Phil Selway (bateria e percussão) lançou o primeiro EP em 1991 com a música “Creep”, que conquistou fãs e abriu caminhos para a banda. Dois anos depois, já com contrato assinado com a EMI, o Radiohead grava o primeiro disco intitulado “Pablo Honey”, que contava com a ajuda do grande hit “Creep” para alavancar as vendas.

O segundo álbum chegou em 1995 e levou o nome de “The Bends”, deixando ainda mais em evidência o lado melancólico e depressivo da banda. Através de hits como “Fake Plastic Trees” e “Street Spirit (Fade Out)” conquista ainda mais o público e a crítica.

E por falar em crítica, esta ergueu louvores à banda com o lançamento do terceiro disco, “Ok Computer”. Considerado, na época, o melhor álbum de todos os tempos, levou o grupo a ser comparado com The Beatles. Além do som das guitarras, o disco trazia um experimento com música eletrônica, sem abandonar as características básicas de melancolia. Com este álbum, receberam o prêmio Grammy por Melhor Álbum Alternativo do Ano. Uma música que ganhou grande destaque foi “Paranoid Android”.
A partir do quarto disco, “Kid A”, o grupo começou a inovar ainda mais do que nos anteriores, com uma forte presença da música eletrônica, mudando o estilo sonoro que o levou ao sucesso na década anterior. Apesar de chocar o público e a crítica com tamanha novidade, e de tornar-se um divisor de opiniões, o álbum obteve o maior índice de vendagem da banda até então, e recebeu o Grammy de Melhor Álbum Alternativo do Ano.

Em 2001, um ano depois do anterior e seguindo as mesmas características, o Radiohead lança “Amnesiac”. No mesmo ano é gravado "I Might Be Wrong - Live Recordings", primeiro álbum ao vivo do grupo. O próximo disco de inéditas saiu em 2003, sob o título “Hail To The Thief”, último trabalho pela gravadora EMI.
Em 2007, após quatro anos fora da mídia, o Radiohead lança o disco “In Rainbows” de forma inusitada. O álbum foi disponibilizado no site da banda em outubro de 2007, e o internauta que comprasse deveria pagar o valor que lhe achasse devido pelo trabalho. A estratégia de marketing foi, segundo a própria banda, para aumentar a vendagem das cópias físicas que foram lançadas em dezembro do mesmo ano no Reino Unido e em 2008 para a América do Norte e outros países.

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Matt Bellamy do Muse fala sobre a participação de The Edge no show em Glastonbury e a importância do U2

Com o último album, The Resistance, os 'Muse' estão juntamente com o U2 na disputa para a maior banda ao vivo do mundo. Em uma entrevista com o frontman Matt Bellamy ele foi modesto em relação ao seu status.
“Nós temos pelo menos mais uns 10 anos pela frente, antes de chegarmos ao status do U2. Eles são uma inspiração para nós, especialmente quando se trata de realizar um show ao vivo”.
A banda abriu shows para Bono e sua turma no ano passado – e conseguiram convidar The Edge para tocar com eles no Glastonbury, no mês passado. Matt explica:
“Nos sentimos mal pela multidão, já que o U2 teve que cancelar sua apresentação no festival. Decidimos tocar ‘Where the Streets Have No Name’, mas não consegui tocar a parte da guitarra, então convidamos The Edge”.




Muse BR: http://www.musebr.com/v3/entrevista-com-matt-no-daily-star/

A versão do U2 para 'Happiness Is A Warm Gun'

No ano de 1997, o U2 fez uma releitura com elementos eletrônicos, de uma canção dos Beatles, para ser incluída na trilha sonora de um show televisivo da ABC Television, intitulado "Gun", uma série em que se seguia a trilha de uma pistola, uma vez que passou de um dono para outro.
No trailer da série, a canção foi utilizada.

A versão rendeu duas mixagens diferentes (The Gun Mix e Danny Saber Mix), que foram incluídas nos singles de 'Last Night On Earth', do U2.

"Happiness Is a Warm Gun" é uma canção dos Beatles composta por John Lennon, creditada a dupla Lennon-McCartney, e lançada no álbum The Beatles ou "Álbum Branco" de 1968.
O título original da canção era “Happiness Is a Warm Gun in Your Hand” (“Felicidade é uma Arma Quente na sua Mão”), inspirado numa revista que por sua vez parodiava “Happiness Is a Warm Puppy,” um livro do personagem animado Charlie Brown, escrito por Charles Schulz in 1962.
De acordo com John Lennon, o título veio de uma revista sobre armas, que George Martin mostrou pra ele: “Eu acho que ele me mostrou a capa de uma revista que dizia ‘felicidade é uma arma quente’… Era sobre armas. Eu achei uma coisa muito fantástica e insana pra se dizer. Uma arma quente significa apenas atirar em algo.”
Muitas interpretações diferentes da canção foram divulgadas através dos anos. Já foi dito que a “arma quente” era uma referência sobre o desejo sexual para com Yoko Ono chegando a compará-la com um revólver dizendo que "quando a segura em seus braços e sente o gatilho em seu dedo, ele sabe que ninguém pode fazer nenhum mal." E também uma referência com o seu problema com heroína nas gravações do álbum (no caso a arma quente seria uma seringa carregada) apesar de Lennon ter declarado que não usava através de injeção. Ao longo da canção ele diz que precisa de uma dose, e que a "Madre Superiora sacou a arma."

Lennon disse uma vez que a música é “um tipo de história do rock ‘n roll,” já que contém cinco seções diferentes de estilos em menos de três minutos. A música começa com uma introdução suave ("She's not a girl who misses much…"). A bateria, baixo e a guitarra distorcida entram em um novo ponto surreal tomado pela viagem de ácido de Lennon e Derek Taylor, com Taylor contribuindo nas linhas de abertura.
A versão 'Gun Mix' do U2 foi produzida por Flood e remixada por Joe Chicarelli e John X.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Window In The Skies - Tradução

Canção inédita da coletânea '18 Singles'.
The shackles are undone
As algemas foram retiradas

The bullets quit the gun
As balas deixaram a arma

The heat that's in the sun
O calor que está no sol


Will keep us when there's none
Nos manterá quando não houver mais nada

The rule has been disproved
A regra foi desmentida

The stone it has been moved
A pedra foi movida

The grave is now a groove
A sepultura agora é um entalhe

All debts are removed, ooh
Todas dívidas foram removidas

Oh can't you see what love has done?
Oh, você não pode ver o que o amor fez?

Oh can't you see what love has done?
Oh, você não pode ver o que o amor fez?

Oh can't you see what love has done?
Oh, você não pode ver o que o amor fez?

What it's done to me?
O que está fazendo comigo?

Love makes strange enemies
Amor faz estranhos inimigos

Makes love where love may please
Faz amor onde parece improvável

Soul and its striptease
Alma em um strip-tease

Hate brought to its knees
Põe o ódio de joelhos

The sky over our head
O céu acima de nossas cabeças

We can reach it from our bed
Podemos alcançá-lo de nossa cama

You let me in your heart
Você me deixa em seu coração

And out of my head... head...
E fora da minha cabeça... cabeça...

Oh can't you see what love has done?
Oh, você não pode ver o que o amor fez?

Oh can't you see what love has done?
Oh, você não pode ver o que o amor fez?

Oh can't you see what love has done?
Oh, você não pode ver o que o amor fez?

What it's done to me?
O que está fazendo comigo?

Oh oh oh oh, ohh
Oh oh oh oh, ohh

Please don't ever let me out of you
Por favor, nunca me deixe sair de você

I've got no shame
Eu não tenho vergonha

Oh no, oh no
Oh não, oh não

Oh can't you see what love has done?
Oh, você não consegue ver o que o amor fez?

Oh can't you see?
Oh, você não vê?

Oh can't you see what love has done?
Oh, você não pode ver o que o amor fez?

What it's doing to me?
O que está fazendo comigo?

(Oh can't you see what love has done?)
Oh, você pode ver o que o amor fez?

I know I hurt you and I made you cry
Eu sei que te machuquei e te fiz chorar

(Oh can't you see what love has done?)
Oh, você não pode ver o que o amor fez?

Did everything but murder you and I
Fiz tudo mas matei você e eu

(Oh can't you see what love has done?)
Oh, você não pode ver o que o amor fez?

But love left a window in the skies
Mas o amor deixou uma janela nos céus

(What it's doing to me?)
O que está fazendo comigo?

And to love I rhapsodise
E o amor que sou fã

Oh can't you see what love has done?
Oh, você não pode ver o que o amor fez?

To every broken heart
Para todo coração partido

Oh can't you see what love has done?
Oh, você não pode ver o que o amor fez?

For every heart that cries
Para todo coração que chora

Oh can't you see what love has done?
Oh, você não pode ver o que o amor fez?

Love left a window in the skies
Amor deixou uma janela nos céus

(What it's doing to me?)
O que está fazendo comigo?

And to love I rhapsodise
E o amor que sou fã

Oh-oh-oh
Oh-oh-oh


Oh can't you see?
Oh, você não vê?



Madonna pode estar planejando um concerto beneficente em Malawi, com a presença de Bono

Madonna está planejando um grande show beneficente em Malawi, que será exibido na TV ao redor do mundo. Provavelmente este show será como o “Live Aid” conforme o jornal “Sunday Mirror” publicou.
Uma fonte da sua organização beneficente ‘Raising Malawi‘, disse: “Os planos estão caminhando para realizar o maior show beneficente que o mundo já viu. Madonna está fazendo de tudo para realizar este show. Ela sabe que quanto maior o evento, mais dinheiro será levantado.“

Apesar do aspecto filantrópico, 60 mil ingressos devem ser oferecidos de graça para fãs sorteados. O projeto é inspirado no famoso Live Aid, organizado por Bob Geldof em 1985. Na época, o evento reuniu grandes astros da música em prol da fome na África, incluindo a própria Madonna em início de carreira.
Assim como no Live Aid, ao que tudo indica Bono já estaria confirmado como uma das estrelas do evento.

Do blog: http://www.estilomadonna.com.br/blog/madonna-pode-estar-planejando-um-live-aid-em-malaui

U2: gravação do novo álbum pode acontecer na ilha de Santorini

A banda irlandesa U2 fez diversas tentativas para gravar o novo álbum no Black Rock Studios Residential Recordings, de KOSTAS KALIMERIS, localizado na ilha de Santorini, na Grécia.
KOSTAS KALIMERIS afirmou que ele e o manager do U2 discutiram há pouco tempo, a possibilidade da futura gravação do novo álbum em 2011. Ele disse também que conversou com o RAMMSTEIN e que o estúdio está reservado para o produtor da banda IRON MAIDEN.
O Black Rock Studios mescla um luxuoso resort e um estúdio, construído sob uma arquitetura moderna e tradicional, com uma maravilhosa vista para o Mar Egeu.

terça-feira, 27 de julho de 2010

Rehearsals And Soundchecks

Passagem de som ou “sound check” é aquele período de tempo destinado no dia ou na véspera do show para que artistas e equipe técnica testem instrumentos e equipamentos.
Já com o palco montado, sistema de som instalado como PA, monitores (caixas de retorno), pedestais e microfones, instrumentos afinados, sistema de iluminação instalado e backline montado, o U2 faz sua passagem de som.
Conheça alguns curiosos ensaios da banda ao longo dos anos:


Passagem de som de Please, para o MTV Awards de 1997 (Bono com um cigarro na mão)



Ensaio de Get On Your Boots e Breathe para o programa Le Grand Journal, 2009



Passagem de som de I Will Follow no Croke Park em 2009, para a turnê 360° (a canção ainda não foi tocada em nenhum show desta turnê até o momento)



Ensaio de City of Blinding Light para a posse do presidente Obama, 2009.



Passagem de som de One, em Brandenburg, Berlin, 2009.



Passagem de som com Crumbs From Your Table, na parte americana da turnê Vertigo, 2005.



Áudio com a imagem de fora do estádio, da passagem de som de Drowning Man, em Barcelona, 2009 (a canção nunca foi tocada ao vivo pelo U2 e ainda não foi tocada nesta turnê até o momento)



Trecho de 30 segundos da passagem de som com uma versão elétrica de Staring At The Sun, no Sam Boyd Stadium - Las Vegas, em 1997 na turnê Popmart.



Passagem de som de Moment Of Surrender, em Brandenburg, Berlin, 2009.



Passagem de som e ensaios em 1987 para a turnê 'The Joshua Tree'.

La Tercera crava: U2 se apresenta no Brasil pela terceira vez em março de 2011

Após duas turnês muito elogiadas em terras brasileiras, o U2 retorna ao país em março de 2011. As informações são do jornal chileno La Tercera.
De acordo com a publicação, o grupo fez um acordo com a Time 4 Fun – através da Live Nation – para uma série de apresentações na América do Sul (Brasil, Argentina e Chile, especificamente) entre o final de março e começo de abril de 2011.
Após um grave acidente envolvendo o vocalista Bono, o U2 ficou afastado dos palcos por um curto período, tendo inclusive que cancelar sua apresentação no tradicional Festival de Glastonbury. Totalmente recuperado, Bono e seus companheiros chegam ao Brasil no ano que vem com a gigantesca 360º Tour.
O U2 já se apresentou no Brasil em 1998 e em 2006.
As fontes latinas garantem que o U2 deve trazer seu palco colossal para mais de cinco apresentações e os ingressos para os shows de Chile e Argentina já poderiam ser colocados à venda em setembro.

Bono em podcast sobre os 25 anos do 'Live Aid'

A rádio inglesa Absolute Radio ( http://www.absoluteradio.co.uk/ ), para marcar os 25 anos do concerto Live Aid, produziu uma série de podcasts com algumas estrelas envolvidas no mega concerto realizado em 1985.
Além dos podcasts, foi disponibilizado vídeos especiais e um documentário apresentado por Midge Ure.

No link está disponível para download em mp3 o áudio em que Bono fala sobre suas lembranças do Live Aid. Gravado em 09 julho de 2010 - Duração: 6 minutos 27 segundos
http://www.absoluteradio.co.uk/podcasts/The-Live-Aid-25-Podcast/2010-07-09/

Recentemente, a Billboard criou uma lista das 10 melhores performance beneficentes, e o U2 ficou no topo com sua apresentação no Live Aid:
Confira a Lista:
1. U2, Live Aid
2. Pink Floyd, Live 8
3. Bruce Springsteen, Non au nucléaire
4. Madonna & Gogol Bordello, Live Earth
5. Sting, Secret Policeman’s Other Ball
6. George Harrison, Concert pour le Bangladesh
7. Queen, Live Aid
8. Jimi Hendrix, Festival Monterey
9. Paul McCartney, Concert pour New York City
10. Justin Timberlake and The Rolling Stones, Concert caritatif ” The SARS"

segunda-feira, 26 de julho de 2010

The Smile Jamaica Concert - Londres, 16 de outubro de 1988

O U2 participou no primeiro de dois dos shows beneficentes "Smile Jamaica" para arrecadar dinheiro para as vítimas do furacão Gilbert.
O furacão atingiu a Jamaica em 12 de setembro de 1988, na categoria 4. Pelo menos 45 pessoas morreram e os prejuízos somaram mais de 4 bilhões de dólares. Foi o segundo furacão mais intenso no Atlântico, na história dos furacões.
O show rápido do U2, 16 minutos de set, foi diante de uma multidão de apenas 2.500 no London's Dominion Theatre. A versão ao vivo de "Love Rescue Me" para esse show, com Keith Richards na guitarra e Ziggy Marley cantando uma estrofe, apareceu mais tarde como b-side do single "Angel of Harlem". Ziggy Marley and The Melody Makers já tinham tocado mais cedo no concerto, e foram os convidados do U2 para esta performance.
Angel Of Harlem neste show foi tocada na versão elétrica semelhante ao álbum, e teve a participação da 'Rumor Horn Section'.
No início de When Love Comes to Town, Bono fala: "Onde está o meu companheiro, Keith Richards?" Keith já estava no palco ajustando a correia da guitarra e durante toda a canção acrescentou solos de guitarra extensos.
O show foi transmitido na TV, então a gravação existente do show é profissional.

Setlist:
01. All Along the Watchtower
02. Angel of Harlem
03. When Love Comes to Town
04. Love Rescue Me








Fatos IX

Em 1980, o U2 fez o seu primeiro show no continente europeu no KRO Studios em Hilversum, Holanda. O show foi para a rádio holandesa e uma pequena platéia no estúdio que esteve presente.

Em 1981, na Rádio BBC, o U2 tocou uma versão ao vivo de "Scarlet" pela primeira e única vez.


"Pride" alcançou o número 1 na Austrália em 1984, o primeiro single da banda fora da Irlanda.

Ainda tentando aprender músicas novas em 1984, e onde elas se encaixam no set list ao vivo, o U2 fez um pequeno show de 15 músicas em Toulouse, França que durou apenas 70 minutos.

No show em Buffalo em 1987, a voz do Bono falhou durante uma cover dos Beatles, "Help". Bono lutou para cantar o resto da noite, e verbalmente chamou uma fã que correu até ele no palco durante "Bullet the Blue Sky".

Em St. Louis para um show no ano de 1987, Bono subiu ao palco com uma camisa e boné do St. Louis Cardinals em honra ao time, que estava jogando o World Series naquela noite em Minnesota.

O filme Rattle and Hum teve sua estréia mundial no Savoy Cinema na Grafton Street em Dublin. O U2 tocou um pequeno set acústico antes do filme, e voltou para mais duas músicas quando o filme acabou.
Depois disso a banda foi na estréia espanhola de Rattle and Hum em Madrid.

Já para a estréia do filme Rattle and Hum em Londres, a banda foi proibida de tocar fora do cinema ao vivo, pois a polícia temeu que um tumulto poderia começar.

Durante um show na Austrália em 1989, Bono traz sua filha de quatro meses, Jordan, ao palco e diz à multidão que é a sua primeira vez num show do U2.

Em 1989, aparecendo num show na rádio de Sydney, Bono cantou a primeira estrofe de "Slow Dancing" pela primeira vez, uma música que ele escreveu para Willie Nelson.



Durante um show em Tampa, Flórida em 1992, um fã subiu ao palco e falou com Bono, que disse à multidão que o fã também era compositor e perguntou se a multidão queria ouvir uma de suas músicas. O fã pegou a guitarra do Edge e apresentou sua própria canção, "Olho por olho deixa o mundo todo cego", a primeira vez que um estranho teve a concessão de tocar seu próprio material no palco com o U2. Sua música durou seis minutos, e o U2 deixou o palco para se trocar e se preparar para o bis.

Em 1992, celebrando o aniversário de Larry, a vampira Elvira apareceu nos telões para comandar a multidão para cantar "Happy Birthday".

Em 1993, todos os 4 membros do U2 e muitos que colaboraram com a banda, ajudaram Gavin Friday no seu casamento com uma recepção no The Clarence Hotel. No The Kitchen, a festa contou com karaokê. O U2 cantou sua versão para "The boys are back in town" enquanto sozinho, Edge cantou "Daydream Believer" do The Monkees.

Bono apareceu no Swansea Grand Theater em Londres para participar das séries "Ano da literatura e escrita" na Inglaterra. Sua parte no programa foi moderada pelo jornalista de música Robin Denselow. Bono discutiu seu processo criativo, e respondeu à perguntas da platéia. Ele falou por que a banda começou falando pouco sobre política, explicando que a banda não queria entediar as pessoas com seus discursos longos pessoais: "A primeira responsabilidade de alguém numa banda de rock é ser interessante", Bono diz.

Durante um show em Minneapolis em 1997, Bono recordou com a platéia os primeiros shows do U2 em sua terra natal, e disse à eles que foi onde ele escreveu "I threw a brick through a window" e "Stranger in a strange land" - duas músicas do álbum October. Howie B não foi o DJ do show pela primeira vez na turnê - ele foi pego com uma pequena quantidade de maconha no seu bolso enquanto tentava passar pela alfândega entre Toronto e Minneapolis. Seu visto de trabalho foi cancelado, e ele foi imediatamente dispensado da turnê.

Em um show da Popmart em 1997, era Halloween e aniversário do Larry, e o U2 estava tocando no Pontiac Silverdome. Enquanto a banda saia do limão para começar "Discothèque", Bono cantou "Happy Bithday" para Larry pela segunda vez naquela noite. Enquanto Larry ia para o palco B, sua namorada de longa data Anne Acheson estava esperando por ele com um bolo de aniversário e um beijo. Durante "Mysterious Ways", Bono chamou um grupo de fãs vestidos com fantasias de Halloween para dançar no palco e criou um dos momentos mais surreais da turnê.

Bono, Edge, e Adam começaram uma campanha da Anistia Internacional com uma apariação pública na O'Connell Street em Dublin. A banda assinou uma petição apoiando a Declaração Universal dos Direitos Humanos. A Anistia esperava conseguir um milhão de assinaturas irlandesas na petição antes dela ser apresentada à ONU em Dezembro. Bono disse à multidão reunida, "Um dos maiores problema no mundo é a idéia cínica de que o mundo não pode ser mudado e que política e economia são muito complicadas para se lidar. Mas com a Anistia é simples; você pode escrever um cartão postal e fazer um diferença gigantesca para a vida de alguém que está preso ou sofrendo abusos dos direitos humanos."

Edge apresentou B.B.King com o prêmio Empreendimento de uma Vida, no terceiro prêmio anual MOBO (Música de origem negra) em Londres. Da música de King, Edge disse "é sempre nova, eternamente nova. Ela inspira eternamente novas gerações de músicos e amigos da música, porque ela é tão autêntica, e você ouve qualquer gravação dele, as coisas do B.B. ainda brilham. Não tem época."

A Island Records abriu um site em 1998 ( http://www.island.co.uk/u2/ ) para promover o álbum The Best Of. O site lançou um concurso, arquivo de fotos, e um jogo interativo onde os participantes tentavam conduzir o U2 pelas ruas de Dublin para fugirem de seus "admiradores".

Em 1999, o U2 foi listado duas vezes na edição "Millenium" do Guinness Book de Recordes Mundiais: (1) Maior platéia em turnê de rock: tocando para mais de 2.9 milhões de pessoas em 93 shows na PopMart Tour, e (2) Maior telão: o telão na Popmart Tour.

Bono ajudou na parte americana do NetAid ajudando Wyclef Jean a liderar um grupo para cantar junto no seu single "New Day" com um palco cheio de artistas cantando no fundo. Imediatamente depois da música, Bono ficou no palco para cantar uma versão solo de "One". Ele foi acompanhado por Quincy Jones, conduzindo 30 da parte da orquestra da Julliard, e o roqueiro italiano Zucchero na guitarra.



O U2 foi forçado em 2001 a cancelar uma aparição no "Concert for New York City" com várias estrelas. Um porta-voz da banda revelou mais tarde que o cancelamento foi em razão de "problemas familiares". Algumas reportagens disseram que o cancelamento estava relacionado ao medo do Antrax na escola que os filhos do Bono estudavam na área de Dublin.

sexta-feira, 23 de julho de 2010

U2 aluga estádio de futebol na Itália para ensaiar volta da turnê 360°

O U2 voltará à ativa em agosto, e pelo visto quer fazer isso em grande estilo. Segundo a revista britânica New Musical Express, a banda irlandesa alugou por duas semanas o estádio Olímpico de Turim para ensaiar, com o intuito de reiniciar sua turnê 360 na ponta dos cascos. Nem um grande clube de futebol ousou desafiá-los.
No dia 6 de agosto, a Juventus de Turim, um dos maiores clubes de futebol italianos, iria jogar naquele local por uma competição europeia contra o Shamrock Rovers, curiosamente também da Irlanda. Para não atrapalhar Bono e sua turma, a partida será agora realizada na cidade de Modena.
+++++++++++++++++++++++++++++++++
Enquanto isso, Dave Hollister, que ficou conhecido como integrante do grupo Blackstreet, anunciou estar gravando com o U2. Está confirmado que eles estão fazendo releituras de duas canções do U2, All I Want Is You (do álbum Rattle And Hum, de 1988) e Grace (do álbum All You Can't Leave Behind, de 2000).

Começam ensaios de Homem-Aranha com trilha de Bono e The Edge

Após ser adiado diversas vezes por falta de dinheiro e outros problemas, começaram os ensaios para o musical Homem-Aranha, que tem trilha sonora composta por Bono e The Edge, do U2. As informações são do jornal New York Times.
A produção, que deveria ter estreado no começo de 2010, tem uma parte do elenco já trabalhando e o grupo completo deve começar a ensaiar em agosto. O ator Reeve Carney, que interpreta o protagonista Peter Parker, disse em seu Twitter que mal pode esperar para ver o resultado.
Bono e The Edge falaram recentemente que gostariam de lançar as músicas em um álbum, mas não há informações oficiais sobre o projeto.

Flower Child - Tradução

Canção das sessões de gravação do álbum "All That You Can't Leave Behind"
(All you know, you don't know yet)
Tudo o que você sabe, você não sabe até o momento

On the fifth day of may, she was breaking away
No quinto dia de maio, ela estava se libertando

When the moon came and sat on your shoulder
Quando a lua veio e sentou no seu ombro

She was still young, not yet highly strung
Ela ainda era jovem, ainda não era nervosa

As you need to be when you get older
Como você precisa ser quando fica mais velho

George was a street, when you first faced the feat
George era uma rua, quando você enfrentou a proeza pela primeira vez

You put money on the color of the sky
Você botou dinheiro na cor do céu

Well the color of her voice left you there no choice
Bem a cor da voz dela o deixou lá sem escolha

But to drink the Liffey dry
Para beber o seco do Liffey

The seeds that you sow
As sementes que você planta

You wanna watch them growing
Você quer vê-las crescendo

Wild, you grow wild
Selvagem, você cresce selvagem

You grow wild in my heart
Você cresce selvagem em meu coração

Wild, you grow wild
Selvagem, você cresce selvagem

You grow wild in my heart
Você cresce selvagem em meu coração

Here comes Holy Joe, now how would he know
Aqui vem Santo Joe, agora como ele saberia

How laughter can make a man cruel
Como riso pode fazer uma homem cruel

It's fire on fire, and lovers conspire
É fogo sobre fogo, e amantes conspiram

To either a duet or duel
Ou à um dueto ou um duelo

When it's fire on fire, the flames just get higher
Quando é fogo sobre fogo, as chamas só ficam mais altas

The harder you work to put them out
Quanto mais duro você trabalha para apagá-las

Well you know that you're similar, sugar and weedkiller
Bem você sabe que você é similar, açúcar e agrotóxico

Both heading north facing south
Ambos indo para o norte virados para o sul

The seeds that you sow
As sementes que você planta

You wanna watch them growing
Você quer vê-las crescendo

Wild, you grow wild
Selvagem, você cresce selvagem

You grow wild in my heart
Você cresce selvagem em meu coração

Wild, you grow wild
Selvagem, você cresce selvagem

You grow wild in my heart
Você cresce selvagem em meu coração

Wild...
Selvagem...

(Hush)

What's on your breath is the fear of death
O que está na sua respiração é o medo da morte

That makes such a man promiscuous
Que faz tal homem promíscuo

Your mouth was dry like when you were about to lie
Sua boca estava seca como quando você estava prestes a mentir

And her lips are so luscious
E os lábios dela são tão úmidos

You've seen it before, you hurled at her door
Você o viu antes, você bateu na porta dela

Like a dog when she needed a man
Como um cão quando ela precisava de um homem

Now she aches and she breaks, and she takes
Agora ela dói e ela quebra, e ela pega

On the weight of your world, 'cause she almost can
No peso do seu mundo, porque ela quase pode

The seeds that you sow
As sementes que você planta

Well you wanna watch them growing
Bem você que vê-las crescendo

The wind, where will it blow
O vento, onde irá assoprar

My flower child
Minha criança flor

Growing wild, you grow wild
Crescendo selvagem, você cresce selvagem

You grow wild in my heart
Você cresce selvagem no meu coração

Wild, you grow wild
Selvagem, você cresce selvagem

You grow wild in my heart
Você cresce selvagem no meu coração

Wild...
Selvagem...

The sky was steel grey, up on Appian Way
O céu estava cinza metálico, na Appian Way

As the yellow hats dug up the road
Enquanto os chapéus amarelos procuravam a estrada

Didn't hear what you said, as the lights turned red
Não ouvi o que você disse, enquanto as luzes se tornavam vermelhas

On a love that should have stayed gold
Num amor que deveria ter permanecido dourado

Gold
Dourado

Wild, you grow wild
Selvagem, você cresce selvagem

You grow wild in my heart
Você cresce selvagem em meu coração

Wild, you grow wild
Selvagem, você cresce selvagem

You grow wild in my heart
Você cresce selvagem em meu coração

Wild, you grow wild
Selvagem, você cresce selvagem

You grow wild in my heart
Você cresce selvagem em meu coração

Wild, you grow wild
Selvagem, você cresce selvagem

You grow wild in my heart
Você cresce selvagem em meu coração


O choro de Bono em show de Leonard Cohen - Arquivo 'Bono 50 Anos'

O vocalista do U2, Bono, revelou que chorou muito ao assistir um show de Leonard Cohen, 75 anos, em Monte Carlo no ano passado.
Segundo o “Contactmusic”, Bono revelou que teve uma epifania durante a apresentação de Cohen. “Eu fui ver Leonard Cohen em Monte Carlo. Em um determinado momento eu me encontrei com lágrimas escorrendo pela minha face. Me dei conta que todas as minhas músicas favoritas ele escreveu aos 50 e 60 anos”, contou.
Em 1995, foi lançado um disco-tributo para Cohen, Tower of Song – The Songs of Leonard Cohen. E Bono para este projeto gravou uma faixa, Hallelujah.

Em 2005, Bono junto com o U2 gravou uma faixa para a trilha e uma participação no documentário 'Leonard Cohen: I’m Your Man'. Ao longo do filme, o diretor Lunson espalhou trechos de depoimentos de Bono e The Edge.
O grand-finale do documentário vem numa gravação, num hotel de Nova York, pelo próprio Leonard Cohen, com o U2 servindo de banda de apoio, e Bono fazendo um suave backing vocal. Cohen está quase declamando, com aquela voz gravíssima, cavernosa, enfumaçada, que faz parecer límpidas e claras as vozes de Tom Waits e de Nick Cave. The Edge, Larry Mullen Jr. Adam Clayton e Bono estão lá atrás, e atrás deles está uma cortina de um vermelho muito vivo – de onde saíram os pontinhos vermelhos que pontuam as imagens anteriores do filme.
The Edge: – “Quando penso em Leonard, penso no início do cristianismo, quando achavam que, para escutar a voz de Deus, você tinha que ir para um lugar muito, muito silencioso. Eles faziam isso no início do monasticismo. (…) Para mim, Leonard é o homem que, já tendo conversado com os anjos, desce da montanha com as tábuas de pedra.”

Bono: – “Vamos falar sério: há pouquíssimas pessoas que chegam ao nível de Leonard Cohen. É um talento muito, muito raro. Por mais sombrio que ele seja com relação à democracia e ao futuro, ele faz algo belo na escuridão. (…) Muitos de nós nos sentiríamos pequenos diante do que ele joga fora.”

Esta frase, dita por Bono, um dos artistas mais populares dos últimos 50 anos, é um símbolo do respeito que Leonard Cohen inspira aos músicos.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Dj's e produtores que já trabalharam em canções do U2

O U2 sempre trouxe vários artistas conhecidos e produtores para trabalhar em seus singles, produzindo vários remixes de faixas consagradas.
Conheça agora alguns dos responsáveis por remixar ou produzir canções do U2:

Paul Oakenfold - Conhecido por seu selo 'Perfecto'. Produziu muitos remixes para New Order, bem como 'scores' do filme Swordfish e trabalhou na trilha sonora de O Planeta dos Macacos. Ele também excursionou como artista de abertura durante a Zoo TV Tour do U2.



William Orbit - Provavelmente o mais conhecido por co-escrever e produzir faixas do álbum Ray Of Light, da Madonna. Ele também trabalhou remixando canções para Sarah McLachlan, Depeche Mode, e muitos outros.



Jimmy Cauty - Bem conhecido pelo seu trabalho no final dos anos 80 / início dos anos 90 nos grupos The KLF e The Orb.



Butch Vig - Baterista do grupo Garbage, também tem uma carreira extensa na produção, incluindo a produção de álbuns de Nirvana, Smashing Pumpkins e Sonic Youth.



David Morales - Tem centenas de remixes de artistas como Bjork, INXS, Janet Jackson e Madonna.



Steve Osborne - Produziu o disco de retorno "Get Ready" do New Order, acostumado a fazer produções dançantes.



Apollo Four Forty (440) - Banda inglesa de música pop e de pista de dança com sua combinação de rock, techno e ambient. Remixaram faixas para o U2 na década de 90.



Mark "Spike" Stent - Produtor musical, já trabalhou com U2 e Madonna.



David Holmes - DJ que já trabalhou com Primal Scream e U2.



Will.I.Am - É um rapper, compositor, cantor, ator, DJ e produtor musical. Produziu faixas do último álbum do U2.

Capítulo 24 - O álbum de efeito devastador no mundo

O disco que levou o U2 aos píncaros do sucesso começou de uma maneira bem lenta, indecisa e totalmente inusitada. Mais uma vez Brian Eno e Daniel Lanois foram convocados para a empreitada. As diversas experiências desde o lançamento de The Unforgettable Fire deveriam ser agora traduzidas. “Nossa primeira preocupação era voltarmos a pensar em termos de canções. Quando gravamos o último disco fizemos coisas maravilhosas como “4th of July” de uma maneira muito improvisada. Desta vez resolvemos pensar em estruturar canções e trabalharmos nelas”, lembra The Edge.
Adam lembra que pela primeira vez Bono teve tempo suficiente para escrever suas letras. “É verdade, eu já vinha pensando nelas desde 1985. O que me incomodava é que elas não pareciam ser canções para o U2 gravar. Havia um pouco de blues, um pouco de gospel. Pensei o que faria com elas até observar que o grupo estava preso em uma camisa-de-força e resolvi que deveríamos dar um passo a frente.”
Bono lembra que muitas das músicas foram gravadas de maneira quase amadora. “Muitas vezes quando estávamos no estúdio e a luz vermelha acendia, não conseguíamos render. Por isso preferimos gravá-las em um quarto na casa de Larry ou na sala de Adam, como se fossem demos. Queríamos deixá-las brotarem livremente.”
Lançado no dia 9 de março de 1987, The Joshua Tree teve um efeito devastador no mundo, sendo até hoje o disco que mais rápido vendeu na Inglaterra – cerca de 300 mil cópias em míseras 48 horas. O disco estreou na sétima posição nos Estados Unidos e em três semanas alcançava o primeiro lugar e uma comoção que a banda jamais sonhara.
Os singles "Where the Streets Have No Name", "With or Without You" e "I Still Haven't Found What I'm Looking For" levaram o álbum ao topo. O álbum vendeu 26 milhões de cópias, levando o U2 a ser a quarta banda a ter direito a uma capa da Time Magazine. O U2 recebeu diversos Grammys, entre eles o de melhor álbum do ano. Com "The Joshua Tree", o U2 conquistou definitivamente o mundo.
Aqui no Brasil, a banda teve a canção 'With Or Without You' como trilha sonora na novela Mandala.
O grupo começaria então uma série de shows pela América sedimentando sua relação ambígua com o país e onde se tornariam a banda mais famosa e importante dos anos 80.
agradecimento: www.beatrix.pro.br/mofo

O 'Making Of' de Beautiful Day

U2 Behind The Camera: Beautiful Day.
VHS promocional lançado na Espanha em 2000, com as gravações do videoclipe da canção, filmado no aeroporto Charles De Gaulle, na França, pelo diretor sueco Jonas Akerlund.

E podemos ver neste making of, The Edge desempenhando mais um papel importante dentro da banda: agora como baterista!
Legendado em espanhol, dividido em duas partes.




quarta-feira, 21 de julho de 2010

'16th of June' em Breathe: Bloomsday ou Massacre de Soweto?

O U2 faz uma referência ao dia 16 de junho na música Breathe, do seu último álbum. Todos acontecimentos da canção escrita por Bono se passam no dia 16 de junho.
Então o que se deu à entender é que a data da canção é referente ao 'Bloomsday', um feriado Irlandês em que se homenageia o livro Ulysses, do autor James Joyce. É o único feriado dedicado a um livro no mundo, fora a Bíblia. O livro modernista levou oito anos para ser concluído e foi proibido em alguns países, possui cerca de 900 páginas, divididas em 18 capítulos sendo que, cada um dos capítulos tem uma narrativa própria, com diversas citações e referências diferentes relacionadas a um episódio específico da Odisséia de Homero tendo associados a si uma cor, arte ou ciência e órgão do corpo humano e representa uma hora na vida do personagem Leopold Bloom no dia 16 de Junho de 1904 percorrendo as 19 ruas da cidade de Dublin.
James Joyce passou a vida adulta afastado da Irlanda e em seu livro boa parte do que é descrito das ruas irlandesas para ambientação detalhada da história tem por base sua infância, relatos de amigos e uma listagem dos proprietários e imóveis da cidade. O Trabalho e o autor tem um forte vínculo com a cidade de Dublin e a Irlanda por isso esta data é comemorada tão efusivamente todo dia 16 de Julho.
O dia 16 de Julho de 1904 foi escolhido pelo autor, segundo uma carta escrita pelo mesmo, por ser o dia em que perdeu a virgindade com a companheira Nora Barnacle em um coito interrompido.

Só que no book da versão Deluxe do álbum 'No Line On The Horizon', podemos ver escrito com a letra de Bono um 'Feliz Aniversário Nelson Mandela', em uma versão da canção com a letra diferente. A data que aparece é o dia do aniversário de Mandela, 18 de Junho.
Se Bono ao escrever esta primeira letra tinha Nelson Mandela na mente e resolveu fazer uma homenagem ao seu aniversário, então o 16 de Junho da canção pode ser referente ao dia 16 de Junho de 1976, dia do 'Massacre de Soweto', um dos mais sangrentos episódios de rebelião negra desde o início da década de 60, desencadeado pela repressão policial à passeata de 10 mil estudantes, que protestavam contra a inferioridade das "escolas negras" na África do Sul.
A manifestação pacífica - os estudantes, cantando, marchavam por Soweto (subúrbio negro em Johanesburgo) em direção a um estádio aberto, onde fariam um comício - foi alvo de uma bomba de gás lacrimogêneo por um policial branco, para, em seguida, ser atingida por disparos das tropas de choque munidas de armas automáticas. O massacre matou quatro alunos, entre eles o estudante Hector Pieterson, aos 13 anos de idade.
Ao que parece, o U2 resolveu gravar uma versão final para Breathe e Bono modificou quase que toda a versão inicial que a canção tinha, dedicada à Mandela.
Rumores diziam que Breathe seria o 4° single do álbum NLOTH, e que a versão alternativa de Breathe em homenagem ao Mandela, faria parte do single. Mas o U2 não lançou um 4° single para o álbum.

Então fica a dúvida: Bono modificou a letra e optou por manter a data de 16 de Junho para homenagear o 'Massacre de Soweto', ou Bono realmente descartou por completo esta idéia e a data se tornou uma referência para o Bloomsday?
Mistério...........


3:33 - 33-3 (O telefone de Deus)

A foto da capa de "All That You Can't Leave Behind' de 2000, foi tirada no Aeroporto Charles de Gaulle na França, e Bono pediu para o designer oficial da banda alterar o que estava escrito originalmente no painel eletrônico do saguão. E então o letreiro foi modificado para J 33-3->
O significado: Jeremias versículo 3 do capítulo 33 da Bíblia: "Invoca-me, e Eu te responderei e te revelarei coisas grandes e misteriosas, que não conheces".

No livro U2 BY U2, a explicação de Bono:

Bono: A capa do álbum é esteticamente simples, sem nada daquela iconografia do tipo Mount Rushmore que algumas pessoas associam ao U2. Nós estamos em um aeroporto, nos divertindo. Eu gosto do bom humor do Larry. Ele está meio que me observando por trás das minhas costas e eu acenando com o meu passaporte. Isso é no terminal Roissy no aeroporto Charles De Gaulle, projetado pelo arquiteto francês Paul Andreu, de quem eu sou fã. Eu tenho uma coisa por aeroportos, assim como eu tenho uma coisa por hotéis – eu passo a maior parte da minha vida neles. O aeroporto é a primeira coisa que você vê quando chega à uma cidade.
Quando você vai ao terminal Roissy, com o seu tipo de concreto aveludado, você percebe a diferença que o design faz na vida das pessoas. É uma poesia para um aeroporto. E ele se encaixa com o título perfeitamente. Qual o destino? O futuro. E então, só porque para fazer qualquer propaganda se paga, eu pensei em colocar o número do telefone de Deus no relógio digital do aeroporto. J33-3. É Jeremias 33-3. O evangelho é ‘Ligue para mim e eu irei responder’. É um telefonema celestial.

Em "'Unknown Caller', faixa do álbum 'No Line On The Horizon', novamente a mesma referência a Jeremias 33.3, no trecho: '3:33 when the numbers fell off the clock face'.

terça-feira, 20 de julho de 2010

U2 em estúdio com a presença de Dave Hollister

Dave Hollister publicou em seu Twitter que esteve junto com o U2 gravando em um estúdio, em Sacramento, Califórnia.
O cantor de R&B escreveu que estava "no estúdio trabalhando com o U2! Estou emocionado! Bono baby!!!".
Segundo o cantor de black music, o U2 estava trabalhando em alguns clássicos, e duas faixas trabalhadas possuem os títulos de "All I Want" e "Grace".
Obs: Talvez essa 'All I Want' seja 'All I Want Is You', em uma nova versão, ou algo trabalhado para a fase 2010 da turnê 360°. E 'Grace' pode ser a mesma 'Grace' do U2, que fecha o álbum 'All That You Cant Leave Behind'.

Notícia principal dos sites: http://www.u2br.com/ e http://www.atu2.com/

Paulo Miklos fala de sua paixão pelo U2

21 de fevereiro de 2006
O Titãs, formado por Paulo Miklos, Sérgio Brito, Branco Mello, Tony Bellotto e Charles Gavin, que abriu o show dos Rolling Stones em 2006, nas areias de Copacabana, no Rio de Janeiro, chamou a atenção entre a multidão na área VIP da apresentação do U2 em São Paulo, na Vertigo Tour.
O músico e ator Paulo Miklos, em entrevista a 'O Fuxico' falou de sua alegria em presenciar duas bandas (Stones e U2) tão importantes em um período de tempo tão curto. "Ainda tô tendo folêgo suficiente para encarar as duas coisas, tô com muito gás para ver o show", comentou, em tom de brincadeira.
"Este é o primeiro show que vejo do U2, mas acompanho a banda desde os anos 80. Eu gosto do lado combativo deles, pois me identifico muito.", completou.
Para Miklos, o show do U2 é o maior da atualidade, com o que há de mais moderno em tecnologia.
"Aprendemos um bocado", afirma.
Ano passado, quando o Titãs lançou o álbum 'Sacos Plásticos', Paulo Miklos voltou à citar o U2.
Segundo Miklos, desde que a ideia de fazer o disco surgiu, havia o desejo de fazer experimentações com música eletrônica.
“Naquela época aconteceu uma saturação, porque tinha um excesso de contingente no palco, era uma banda com oito pessoas e uma traquitana ligada. A gente se encheu, desligou tudo e jogou fora. De lá pra cá, a música eletrônica se desenvolveu e se subdividiu em muitas possibilidades. Tem bandas de várias gerações que usam a eletrônica de uma maneira interessante, como o Radiohead até o U2”, disse.


Blog U2 Sombras e Árvores Altas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...