Anúncios

terça-feira, 30 de abril de 2013

Site do U2 divulga video da gravação de "Slow Dancing" com o U2 e Willie Nelson

Comemorando os 80 anos de Willie Nelson, o site oficial do U2 disponibiliza um video de "Slow Dancing", do U2 com Willie, feita pelo cineasta e amigo Lian Lunson.

Apesar do site da banda informar ser um video inédito com imagens nunca vistas da gravação, isto não procede, já que aqui mesmo no blog já foi divulgado este video em uma postagem de 2011, com a gravação de um outtake da música em 1997, trazendo ainda imagens adicionais:

Morre Barry Fey, o promotor do lendário concerto do U2 em Red Rocks

Vocês estão acompanhando aqui no blog o especial 'U2 Live At Red Rocks: Under A Blood Red Sky': A História Completa', que comemora os 30 anos do lendário concerto do U2 em Red Rocks, e um dos mais importantes shows da história do rock. Nas primeiras partes do especial ficamos conhecendo a importância do envolvimento de Barry Fey, o promotor do concerto em Red Rocks.
Infelizmente, agora chega a notícia através do site U2 Valencia, e com tradução do U2 BR, sobre o falecimento de Barry Fey, no último dia 28.
Barry chegou a escrever um livro sobre o U2, falando sobre como a banda o encantava e a grande amizade que tinha com os meninos. Barry conheceu o U2 através de Frank Barsalona em 1980.
Sua primeira parceria com o U2 ocorreu durante a turnê Boy, em 28 de Março de 1981, no Rainbow Music Hall de Denver. Desde aquele momento, Barry percebeu que a banda iria crescer muito.

'U2 Live At Red Rocks: Under A Blood Red Sky': A História Completa - Parte 5

O filme começa com uma breve montagem que inclui uma entrevista com o U2, com os preparativos sendo feitos pela equipe do concerto, e as reações e ansiedade dos fãs. A canção "Theme From Harry's Game" do Clannad, que foi tocada depois do final de muitos shows da turnê War, é ouvida na montagem de abertura do filme e durante os créditos finais.
O concerto original foi iniciado com a canção "Out Of Control", mas no VHS uma edição foi feita, e depois do U2 ser apresentado e entrar no palco, a canção de abertura ficou sendo "Surrender".

Durante a performance de "Cry / The Electric Co", Bono cantou trechos de "Send In The Clowns" de Stephen Sondheim. A banda não conseguiu obter permissão e pagar as taxas de licenciamento e royalties apropriados para usar a música. Paul McGuinness quase foi à loucura.
Prensagens iniciais de 'U2 Live At Red Rocks: Under A Blood Red Sky', assim como o álbum ao vivo (que contém uma performance diferente da música gravada em agosto de 1983, que traz também um trecho de 'America') apresentavam a canção com o trecho.
O U2 foi forçado a pagar $50.000 em um acordo fora dos tribunais.
Para não ter mais problemas com esses direitos autorais, as versões posteriores do album tiveram esse trecho de "Send In The Clowns" retirado.
Veja a performance original na íntegra. Note que no exato momento que Bono canta o trecho de "Send In The Clowns", foi onde ele foi fotografado para a clássica imagem que ilustra a capa do disco e do VHS:

Já na era do CD, algumas poucas prensagens saíram novamente com a versão completa da canção.
A versão inicial do vídeo teve 55 minutos de duração, e contou com 12 músicas no filme, além de "Cry / The Electric Co", que foi omitida da lista de músicas por razões legais relacionadas com o trecho de "Send In The Clowns". O áudio das gravações de "Twilight" e "An Cat Dubh/Into The Heart" do concerto foram lançadas no single de "Sweetest Thing" do U2, somente em 1998. Em 2004, a gravação de "Sunday Bloody Sunday" do show apareceu na compilação 'Carved In Stone Vol. 2: Live at Red Rocks', uma gravação para a instituição de caridade "Preserve The Rocks Fund", para renovar e preservar o Red Rocks Park.

Tracklisting do VHS:

Theme From Harry's Games
Surrender
Seconds
Sunday Bloody Sunday
October
New Year's Day
I Threw A Brick Through A Window
A Day Without Me
Gloria
Party Girl
11 O'Clock Tick Tock
I Will Follow
"40"
Theme From Harry's Games

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Em show da turnê 360°, Bono cantou trecho da canção "Don't Speak" do No Doubt

Tocando em junho de 2011 em Anaheim, California, no Angel Stadium, pela turnê 360°, o U2 realizou uma performance da canção "Mysterious Ways" em que Bono cantou algumas frases da canção "Don't Speak" do No Doubt:

10 anos antes, na turnê Elevation, em um show no Staples Center, Bono também cantou um trecho da mesma canção em "New York".
"Don't Speak" é uma canção do terceiro álbum da banda No Doubt, Tragic Kingdom, lançada como terceiro single em 1996. Apesar de ter feito grande sucesso, não entrou na parada Billboard Hot 100, mas atingiu a primeira posição do Billboard Hot 100 Airplay. Também chegou ao primeiro lugar em países como Inglaterra, Holanda, Letônia, Suécia, Filipinas, Suíça e Austrália. É, de longe,o mais notável sucesso da banda, tendo indicações ao Grammy de Canção do Ano e Melhor Performance de uma Dupla ou Grupo Pop com Vocal de 1996. Seu clipe ganhou o prêmio de Melhor Vídeo de Banda e recebeu uma indicação ao prêmio de Vídeo do Ano de 1997, no MTV Video Music Awards.
O clipe da música retrata a irritação da banda, com a atenção diferenciada da mídia à Gwen Stefani.

'U2 Live At Red Rocks: Under A Blood Red Sky': A História Completa - Parte 4

O concerto foi transmitido pela primeira vez um mês após a sua gravação, em 8, 9 e 10 de julho de 1983, sob o título 'War Is Declared', no programa de rádio da NBC, The Source. A transmissão foi patrocinada pela Budweiser e pelo Exército dos Estados Unidos, e foi distribuído para emissoras de rádio em dois LPs, que incluiu o show completo com 20 músicas.
Doze das canções do concerto foram posteriormente transmitidas pela rede de televisão americana Showtime, enquanto nove canções foram transmitidas pela MTV. O desempenho do filme de "Sunday Bloody Sunday" virou videoclipe da canção, com Malcolm Gerrie, Rick Wurpel e Paul McGuinness creditados como produtores.

Em junho de 1986, o vídeo foi um dos 10 filmes-concertos que foi ao ar em emissoras de televisão em todo os EUA, como parte da Coors Concert Series, uma série de especiais musicais apresentados pela Coors Brewing Company e Radio Vision International. Transmissões do concerto também foram destaque no VH1 e várias afiliadas do Serviço Público de Radiodifusão.
O U2 lançou o seu mini-LP ao vivo 'Under A Blood Red Sky' em novembro de 1983, com músicas ao vivo da turnê War. Embora o título do álbum mais tarde seria usado como o subtítulo do vídeo do show, apenas duas faixas do álbum ("Gloria" e "Party Girl"), foram tiradas do concerto em Red Rocks. As outras seis faixas ao vivo foram retiradas de apresentações em Boston e Alemanha Ocidental, pois o U2 achou que eram "performances mais desenvolvidas".
O lançamento do vídeo do concerto foi planejado como um follow-up para o álbum. A edição de novembro de 1983 da U2 Magazine mencionou o futuro lançamento do vídeo do concerto em Red Rocks, e afirmou que previews do concerto tinham sido mostrados no Channel 4. A edição seguinte foi adiada para fevereiro de 1984, pois o editor esperava incluir detalhes sobre o lançamento do vídeo. Ainda não havia informação alguma disponível, de modo que o editor simplesmente declarou que o vídeo "deveria sair em cerca de um mês".
'U2 Live At Red Rocks: Under A Blood Red Sky' foi lançado em maio de 1984, e foi o primeiro lançamento em vídeo do U2. A imagem de Bono sobre o equipamento de iluminação durante "The Electric Co." foi usada como capa do vídeo, bem como no disco 'Under A Blood Red Sky'.
O subtítulo do filme "Under A Blood Red Sky" foi emprestado a partir do título do álbum ao vivo e tirado da letra da canção "New Year's Day". No entanto, essa letra não é cantada no filme, pois ela foi alterada por Bono para "Under a thundercloud and rain" (Sob uma nuvem de tempestade e chuva), em referência as condições meteorológicas de Red Rocks.
A Universal City Studios detinha os direitos sobre o filme. A MCA Home Video lançou o filme em formatos VHS e Betamax com som Dolby Stereo, com venda no valor de $29,95. 
Em agosto de 1986, o vídeo foi lançado através da MusicVision, uma divisão do RCA / Columbia Pictures Home Video, e foi vendido por um preço com desconto, custando $19,95.
A versão em LaserDisc foi lançada pela RCA / Columbia e Image Entertainment em 1988, e a versão em VHS foi re-lançada pela Virgin Vídeo e PolyGram, em 1987 e 1991, respectivamente.

domingo, 28 de abril de 2013

'U2 Live At Red Rocks: Under A Blood Red Sky': A História Completa - Parte 3

Gavin Taylor tinha uma equipe de seis operadores de câmera, três dos quais foram escolhidos a partir de cineastas locais naquela área de Denver, com os três restantes trazidos por Taylor. Devido à neblina espessa e a forte chuva na noite da filmagem, muito pouco das imagens aéreas eram adequadas para a edição final. Embora duas câmeras "mestres em ângulos" sobre tripés forneciam visão larga e geral da filmagem, a maioria dos operadores de câmera filmaram com câmeras portáteis. As câmeras de vídeo usadas tinham tubos, que iriam queimar quando apontados para as luzes, criando trilhas na filmagem. Como resultado, a maior parte das filmagens do concerto contém listras vermelhas das câmeras vistas nas cenas que mostram as luzes do palco. Um aviso foi posteriormente incluído na caixa do lançamento do show em VHS, informando os telespectadores que as linhas coloridas no vídeo "são o resultado de efeitos especiais de iluminação, e não são causados ​​por um defeito da fita ou do equipamento".
Taylor teve uma passarela construída especialmente fora do palco principal para "quebrar a distância entre Bono e o público". Esta fase permitiu Bono realizar uma performance mais intimista, perto do público, cercado por fãs em três lados.
Antes do U2 subir ao palco, Fey apresentou o show, fazendo uma referência ao álbum ao vivo 'Hard Rain' de Bob Dylan, de 1976. O concerto completo apresentou 20 músicas, com um setlist idêntico ao de vários shows anteriores da turnê War. "Out Of Control" abriu pela 16° vez o set principal, que terminou com "Gloria", e foi seguido por um bis de quatro músicas, finalizando o show com "40". Canções de 'War', que era o álbum de apoio para a turnê, foram tocadas juntamente com o material dos dois primeiros álbuns do U2, 'Boy' e 'October'. "Party Girl", um b-side do single "A Celebration", e o single "11 O'Clock Tick Tock", que não está em nenhum disco da banda, foram tocadas durante o encore.

Setlist:
Out Of Control
Twilight
An Cat Dubh
Into The Heart
Surrender
Two Hearts Beat As One / Let's Twist Again (snippet)
Seconds
Sunday Bloody Sunday
The Cry
The Electric Co. / Send In The Clowns (snippet)
I Fall Down
October
New Year's Day
I Threw A Brick Through A Window
A Day Without Me
Gloria

encore(s):
Party Girl
11 O'Clock Tick Tock / Drowning Man (snippet)
I Will Follow
40

Muito do foco no atendimento do local foi disfarçado pela névoa espessa que tomava o ar naquela noite, bem como tomadas estratégicas da multidão. O tempo estava frio o suficiente para que o visível vapor saísse da boca dos integrantes do U2. The Edge sentiu dificuldade em tocar guitarra porque sentiu suas mãos "congeladas e duras". Larry Mullen acredita que o tempo contribuiu com uma atmosfera dramática para o concerto.

Durante a performance de "The Electric Co.", Bono deixou o palco e subiu em um equipamento de iluminação para exibir uma bandeira branca. Em uma entrevista no ano de 2004, The Edge disse que Bono assustou ele subindo no equipamento, pois ele estava preocupado que Bono poderia ser eletrocutado pelos fios condutores nas proximidades.
Bono disse "boa noite" para a multidão por umas 6 vezes, para que a equipe de pós-produção tivesse várias opções de músicas com as quais pudesse terminar o filme. Nos bastidores, os membros da banda ficaram desapontados que a platéia inicialmente não aderiu ao canto "how long to sing this song?" depois que a banda deixou o palco, seguindo a canção final, "40", que se tornou uma tradição. No entanto, o manager da tour Dennis Sheehan, se escondeu debaixo da barreira entre o palco e a platéia, e começou a cantar no microfone o canto, sem terem pedido ou autorizado. Eventualmente, a multidão começou a cantar, e o filme foi editado para disfarçar o fato de que o canto foi organizado, e não espontâneo.

sábado, 27 de abril de 2013

'U2 Live At Red Rocks: Under A Blood Red Sky': A História Completa - Parte 2

O mau tempo no dia do espetáculo Red Rocks ameaçou cancelar o show. Chuvas torrenciais encharcaram a área, e foram emitidos avisos de enchentes. O tempo dificultou para os membros da equipe transportar os equipamentos da banda e o equipamento de vídeo para o anfiteatro através das montanhas. As condições climáticas ocasionaram também muitos problemas técnicos para as filmagens e para a equipe de filmagem, o que dificultava na construção do palco e no perigo à segurança das pessoas que cuidavam da iluminação e equipamentos de som, por causa da eletricidade. Membros da equipe utilizaram rodos para manter a chuva longe dos fios. 

Os fãs que compareceram tiveram que caminhar através das Montanhas Rochosas na chuva. Aproximadamente 15-20 fãs já estavam acampados em filas na frente do local no início da manhã, e Bono os acomodou servindo café e chá. As bandas The Alarm e Divinyls cancelaram seus sets de abertura por razões de segurança, e muitos fãs pensaram que todas as atrações tinham sido canceladas, inclusive o show do U2. O show estava marcado para 06:00PM, e a banda teve até 01:00PM para decidir se alteraria o local, ou arriscaria com possibilidade de uma piora no tempo, o que poderia acarretar em um cancelamento do espetáculo.
O U2, sua equipe e Paul McGuinness pensaram que muito dinheiro foi investido para cancelar o evento, e simpatizavam com os fãs que tinham viajado para o local mesmo com o mau tempo. Assim, eles decidiram continuar com o concerto como o planejado. Bono informou aos fãs que aguardavam do lado de fora do local que o show teria as entradas liberadas para todos que comparecessem, e disse aos fãs para chegarem o mais perto do palco possível, independentemente dos assentos e lugares indicados no ingresso. Fey queria cancelar o show, mas estava voando da Califórnia, quando a decisão foi tomada para continuar. Depois de chegar em Denver, Fey ligou para o anfiteatro para perguntar para onde o concerto havia sido movido, sem saber que a banda decidiu continuar com o show lá mesmo. The Edge lembra que quando Fey soube da decisão do grupo, ele "não podia acreditar. Eu não acho que ele já tinha ouvido nada tão louco em sua vida, indo em um show ao ar livre com o pior tempo climático existente, com chuva e vento nas montanhas. Ele pensou que tinhamos perdido completamente a noção das coisas". Bono falou na rádio naquele dia para confirmar que o concerto em Red Rocks aconteceria, e para promover um segundo concerto do U2 previsto para a noite seguinte, no CU Events Center, para compensar os fãs que não puderam assistir ao show em Red Rocks. Adam Clayton lembra da banda dando entrevistas de rádio, dizendo: "Nós sabemos que está chovendo agora, mas temos a certeza de que não será assim quando o show começar, então por favor, compareçam." 
Duas horas antes do concerto, a chuva diminuiu e se estabeleceu em uma garoa com muita neblina. Embora 9.000 ingressos no local tivessem sido vendidos, por causa do mau tempo, apenas cerca de 4.400 fãs compareceram.

sexta-feira, 26 de abril de 2013

'U2 Live At Red Rocks: Under A Blood Red Sky': A História Completa - Parte 1

Em 1981, o U2 estava na estrada com a turnê Boy, promovendo seu álbum de estréia, 'Boy'. Após o concerto de 11 de maio no Rainbow Music Hall, em Denver, o promotor de concertos Chuck Morris levou a banda ao Red Rocks Amphitheatre, um anfiteatro natural localizado entre penhascos de arenito nas Montanhas Rochosas. O baixista Adam Clayton lembrou: "desde o momento em que o vi, pensei: 'algum dia vamos tocar aqui'. Foi muito fotogênico".
O empresário do U2, Paul McGuinness, tinha muita vontade de filmar o grupo em um vídeo-concerto para realçar o sucesso da banda como um ato ao vivo, e para promovê-los para o público americano, que ainda não estavam familiarizados com eles. O promotor de concertos Barry Fey, que apresentou shows do U2 no sudoeste dos Estados Unidos, fez lobby para o sucesso que seria Red Rocks como o local de filmagem.
Dificuldades de planejamento, bem como as condições do clima no dia do concerto, ameaçaram as filmagens.
No início de 1983, McGuinness entrou em contato com Malcolm Gerrie, produtor da série de TV britânica The Tube, sobre filmar um concerto do U2 em Red Rocks e, possivelmente, apresentar isto em um episódio do The Tube. Gerrie inicialmente entendeu que McGuinness estava interessado em criar um vídeo de uma canção. No entanto, McGuinness estava interessado em criar um especial com um mini concerto de uma hora de duração. Pelo fato do The Tube não ser um "show de uma banda", Gerrie disse que ele teria que vender a idéia para o Channel 4, mas McGuinness insistiu em dar à Gerrie os direitos sobre o vídeo e deixar o Channel 4 transmitir o vídeo de graça.
Em meados de 1983, o U2 visitou os Estados Unidos em sua War Tour, e o grupo tinha enchido salas com capacidade semelhante ao anfiteatro Red Rocks. Um concerto, patrocinado pela Coca-Cola, KWGN-TV e Rádio Kazy, foi marcado para o Red Rocks, para acontecer em 5 de junho de 1983. Ingressos foram vendidos por US$9,50. Os custos de filmagem foram estimados em US$ 250.000, que incluiu a iluminação das montanhas, uma unidade de gravação de som móvel, e um helicóptero para filmagem aérea. O U2 investiu 30.000 dólares no projeto, com investimentos adicionais feitos por Fey e pela Island Records. A empresa de produção conjunta chamada "U2 At Red Rocks Associates" foi posteriormente estabelecida para financiar o projeto, com os três dividindo e compartilhando os lucros dos direitos de televisão e venda do vídeo. Os direitos de transmissão de rádio foram vendidos para a rede americana de rádio NBC, para a inclusão em sua série de concertos The Source.
A mixagem de som foi administrada pelo excelente Steve Lillywhite, que havia produzido os três primeiros álbuns de estúdio do U2. O sistema portátil de 24 canais de gravação de Randy Ezratty, Effanel Music, foi usado porque um estúdio de gravação móvel convencional não pode ser movido para perto o suficiente do palco. A corporação de Fey, Feyline Productions, coordenou com a sua companhia de produção, TTS, para gerenciar a filmagem.
O diretor Gavin Taylor e o produtor Gerrie do The Tube foram selecionados como diretor e produtor associado, respectivamente. Na época, Taylor nunca tinha viajado para os Estados Unidos, nem tinha filmado um grande show de rock ao ar livre. Os produtores locais Rick Wurpel e Doug Stewart também estavam na pauta. Os planos originais de Taylor e McGuinness eram transmitir o video no The Tube, mas os sindicatos se opuseram à sua representação limitada sobre a equipe do concerto. Um acordo foi alcançado que permitiu 15 minutos do concerto ser transmitido no The Tube.

Bono foi cotado para participar do filme 'Johnny Mnemonic' em 1995

No ano de 1994, o raivoso rapper Ice-T, que já tinha uma carreira sólida como ator, se preparava para figurar no muito aguardado 'Johnny Mnemonic', que finalmente traria para as telas o herói cyberpunk do conto de William Gibson. A direção do projeto estava sob a responsabilidade do artista plástico Robert Longo.
No filme, que se passa no ano de 2021, o mundo inteiro está conectado através de uma gigantesca Internet. Metade da população é afetada pela NAS, uma espécie de AIDS do século XXI, que consiste em ter uma alergia fatal às ondas eletromagnéticas. No entanto, um mensageiro cibernético (Keanu Reeves) é contratado para transportar 320 gigabytes que contêm a cura para este mal em um chip implantado no seu cérebro. Entretanto, seu cérebro está saturado e um grupo planeja impedi-lo de levar esta informação. Deste modo, ele tem apenas um dia para salvar a si e ao mundo.

Além de ser a estréia de Robert como diretor cinematográfico, essa comentada produção iria apresentar ainda duas surpresas de primeira em termos de atuações: seria nada menos que o début de Bono nas telas, que foi convidado para atuar nesta versão cinematográfica. E também a participação de Henry Rollins, o líder da Rollins Band.
Em 1995, o filme foi lançado, e no Brasil teve o título de 'Johnny Mnemonic - O Cyborg do Futuro'. Robert Longo foi mesmo o diretor, Henry Rollins fez sua estréia como ator e Bono...... bem, ele não fez o seu tão aguardado début nas telas.
Mas Bono deu um jeito de colaborar com o filme de alguma forma. A trilha sonora do longa traz uma canção do U2: "Alex Descends Into Hell For A Bottle Of Milk/Korova 1". A canção foi composta por Bono e The Edge originalmente para uma peça de teatro adaptada do livro "A Clockwork Orange", de Anthony Burgess.

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Canção do U2 foi a mais vendida no dia do lançamento da loja de música Itunes, há 10 anos atrás

“Temos a melhor loja de música do mundo”. Era assim que Steve Jobs, cofundador e ex-CEO da Apple descrevia o iTunes, serviço online que comemorou ontem uma década de existência.
Mas além do aniversário, a loja virtual tem marcas importantes para serem celebradas: em janeiro de 2013, iTunes marcou 25 bilhões de músicas vendidas e a App Store registrou 40 bilhões de apps baixados.
Lançado no dia 23 de abril de 2003 e oficialmente no Brasil desde 2011, o iTunes inaugurou suas atividades com 200 mil músicas a apenas 0,99 dólar. No dia do lançamento, a música mais vendida foi “Stuck In a Moment You Can't Get Out Og”, do U2. Na primeira semana, o iTunes alcançou a marca de 1 milhão de músicas comercializadas.

Do site: http://exame.abril.com.br/

Sabrina Parlatore: "U2 é uma das bandas da minha vida"

Sabrina Parlatore: "Música para correr no parque: "Beautiful Day". O U2 é uma das bandas da minha vida. Quando escuto o Bono cantar me sinto acompanhada. É uma música pra cima, estimulante."
Em 2011, Sabrina, fã assumida do U2, esteve presente nos shows da banda no Brasil, pela turnê 360°. 
Na primeira passagem da banda pelo país em 1998, Sabrina apresentou diversos especiais do grupo e participou da transmissão ao vivo da MTV do show que aconteceu em São Paulo.

The Edge revela alguns segredos das gravações do U2 em estúdio e performances ao vivo

Em entrevista no ano de 1984, The Edge explicou sobre algumas coisas técnicas que ele utilizava em gravações e concertos do U2: "Eu utilizei o E-Bow em uma guitarra Telecaster na gravação da faixa "The Unforgettable Fire", que é a única que eu vou tocar assim ao vivo. Eu usei também por mais algumas faixas do disco 'Unforgettable Fire'. O único problema com o E-Bow é que tende a fazer tudo soar a mesma coisa, por isso realmente se resume a como você trata seu som após a guitarra, se deve ou não obter um bom, agradável efeito, ou se você recebe esse mesmo tipo de som choramingado que todo mundo faz."
"Eu utilizo um lap steel algumas vezes. Eu comprei um lap steel Epiphone antigo que data de 1945, em Nashville, em 1982, e eu usei isso no álbum 'War'. E eu uso ele ao vivo, algumas vezes, também, como na canção "Surrender". É uma grande coisa."
"Gravando "40" em estúdio, eu toquei baixo na gravação. Parecia uma abordagem mais interessante fazer Adam aprender a tocar guitarra, do que fazer Adam aprender minhas partes de baixo. Então é isso que nós fizemos, e tem funcionado muito bem. Ele veio com sua própria abordagem para as partes de guitarra que eu fiz no estúdio. Ele funciona muito bem. Mas também, eu acho, que é uma coisa visual muito interessante nos ver trocando de instrumentos."
"As vezes eu toco piano e guitarra em performances ao vivo. Obviamente, há um limite para o que você pode fazer na guitarra com apenas uma mão. Eu geralmente bato um acorde e deixo de sustentar enquanto faço algo com a mão esquerda no piano. E, em seguida, às vezes eu vou apenas alternando entre os dois instrumentos, tocando um verso no piano e, em seguida, indo para a guitarra para o coro ou algo assim. Faço isso em "New Year's Day". Comecei fazendo isso na canção "I Fall Down". É também faço em "The Unforgettable Fire"."
"Eu inventei uma afinação na Telecaster com o lap steel para gravar a música "The Unforgettable Fire". Fiz um ajuste estranho, mas saiu um bom acorde. F, A, D, D, G, D. Eu estava colocando algumas partes de guitarras na canção "The Unforgettable Fire", mas eu estava tendo um pouco de dificuldade, e estava saindo algo que eu estava insatisfeito, então eu decidi por uma espécie de mudança radical de abordagem apenas afinando a guitarra com as notas que parecia certas, ou parecia interessante. E assim que o ajuste veio. Foi pura sorte, mas soa muito bonito o acorde em relação à música."
"As faixas do álbum 'Unforgettable Fire' que mostram eu dando o meu melhor, eu acho que são "Pride" e "Wire". "Wire" é interessante por causa das novas técnicas que estão sendo usadas. É um som de guitarra incomum na introdução, com eco e delay. Muitos pensam que é um teclado, mas é na verdade é guitarra. Foi uma emoção para mim, porque é um grande som. Fiquei muito satisfeito com isso no estúdio. E "Pride", que é uma canção que realmente foi transformada com essa linha de guitarra. Novamente, é um outra canção que utilizo o delay de eco digital, e novamente é muito rítmica. Mas essas duas foram as mais significantes no jeito "Edge de ser"."

quarta-feira, 24 de abril de 2013

As versões da cantora italiana Mary Crisci para canções do U2

Mary Crisci nasceu no sul da Itália e foi criada na cidade de La Spezia. Mary se interessou na música ainda nova. Com a idade de quatro anos ela cantava na varanda para seus vizinhos e aos sete anos começou a estudar piano. Aos 16 anos, ela começou a trabalhar em um estúdio de gravação, e logo depois ela cantou em vários projetos de dança.
Mary C já emprestou sua voz para inúmeros projetos, incluindo a banda italiana Lollipop e Alexia. Atualmente, ela é a principal vocalista da Hurricane Blues Band.
Abaixo, algumas versões dela para canções do U2:














"Bad" já foi (ou ainda é) a canção do U2 predileta de Adam Clayton

No ano de 1986, Adam Clayton revelou para a Revista Propaganda que sua canção favorita do U2 era "Bad" e que seu álbum predileto do U2 era 'October'. Adam ainda comentou que sempre o último show de cada turnê eram os seus concertos prediletos.

Larry Mullen foi o responsável pela produção adicional da regravação do U2 para canção de John Lennon

'Instant Karma: The Amnesty International Campaign To Save Darfur' é um álbum de tributo a John Lennon, lançado em 2007. Com as vendas do álbum, os artistas arrecadaram dinheiro para ajudar Darfur, no Sudão, região que vive um conflito armado desde 2003 e foi palco de um genocídio.

O U2 contribui com uma excelente regravação em estúdio de "Instant Karma", o terceiro single da carreira solo de John Lennon. A produção e mixagem ficou por conta de Tal Herzberg, com produção adicional de Larry Mullen Jr. e The Edge.
Herzberg já havia trabalhado anteriormente com o U2, produzindo a versão de "One" da banda, com Mary J. Blige.
Apesar de não ter sido lançada como single, a interpretação de "Instant Karma" pelo U2, recebeu uma indicação ao Grammy 2008 de Melhor Performance de Rock.
O U2 já vinha fazendo um cover da canção desde 2005, na turnê mundial Vertigo, e a performance ao vivo de "Instant Karma" agradou mais à diversos fãs, do que a versão de estúdio para a coletânea.

Segundo algumas opiniões, a versão ao vivo ficou mais rock, mais espontânea e tinha mais energia do que a versão de estúdio.

terça-feira, 23 de abril de 2013

Compilação de reportagens, especiais e matérias televisivas do U2 no Brasil em 1998 e 2000

Excelente material para os fãs do U2! Uma compilação de 100 minutos de duração trazendo especiais, reportagens e matérias televisivas abrangendo as passagens do U2 pelo Brasil, nos anos de 1998 e 2000.
O vídeo traz matérias da banda no Multishow, Video Show, Fantástico, Altas Horas, Jornal Hoje, programas na TV Rede Minas, TVE, Bandeirantes, Globo e Record.

Em 1994, Bono teria pedido ajuda à Pelé para o U2 vir ao Brasil pela primeira vez

Essa (talvez) você não sabia: em 1994, foi dito que o U2 estava bem perto de finalmente fazer shows no Brasil pela primeira vez, trazidos nada menos por Pelé, o rei do futebol.
Segundo as informações, Pelé só poderia pensar no assunto depois da Copa do Mundo daquele ano, que aconteceu em Los Angeles. A Revista Bizz insistentemente pediu à Pelé na época que relatasse o encontro dele com Bono em um hotel em Dublin, mas o ex jogador estava muito ocupado, trabalhando na cobertura do evento futebolístico. 
Reza a lenda que Bono teria reconhecido Pelé e implorado para que o eterno camisa 10 da seleção brasileira desse um jeitinho do U2 tocar no Brasil.

Poster do U2 é visto em cena do filme 'Uma Gatinha Boa De Bola'

No filme de 1986 'Uma Gatinha Boa De Bola', Molly McGrath (Goldie Hawn) sempre desejou treinar um time de futebol americano, pois seu pai tinha sido um grande treinador e ela crescera neste meio, mas só lhe é oferecida a equipe de um colégio, que coleciona derrotas. Além disto os jogadores não querem ser comandados por uma mulher, assim Molly precisa ser primeiramente respeitada por seus comandados antes de transformar seu time em jogadores de verdade. Ela tem ainda que enfrentar a oposição do seu ex-marido, que ameaça tirar a guarda das filhas se ela continuar neste emprego.
No quarto da filha mais velha de Molly, é visto um poster do U2 de 1984 ou 1985:

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Bono explica porque o U2 não quis tocar "Peace On Earth" ao vivo

Bono, em dezembro de 2001, disse: "Há uma canção no álbum All That You Can't Leave Behind chamada "Peace On Earth" que fala sobre um histórico de violência e terrorismo na Irlanda, e então eu não quis tocá-la ao vivo nos shows, porque há amargura nela. Ele exala uma certa raiva sobre como mortes apenas continuam acontecendo. Mas alguém em um dos shows mostrou uma grande bandeira que citou uma das linhas da música: 'suas vidas são maiores do que qualquer grande idéia', e eu acho que aquilo atingiu um acorde'".

A biografia do U2 detestada pelo U2

O U2 declarou guerra em 1988 contra o escritor Eamon Dunphy, autor da biografia 'Unforgettable Fire – Past, Present and Future - The Definitive Biography of U2', que vai até a fase 'The Joshua Tree'. 
Embora a biografia tenha sido encomendada à Dunphy pelo U2 e Paul McGuinness, o empresário da banda acusou Dunphy de incluir no livro segredos e histórias pessoais da banda que deveriam permanecer "intocáveis". A biografia á havia sido criticada anteriormente por Bono, que não gostou do termo "banda hierárquica" usado pelo autor. Segundo McGuinness, o escritor quebrou a promessa de submeter o manuscrito à aprovação do grupo antes da publicação. "Há coisas no livro que eu mesmo não sabia. Não esperávamos a cobertura dada à vida pessoal e às famílias de cada um de nós. Estamos intensamente arrependidos de termos feito o livro".
Este livro contém muitos erros sobre a história do U2, mal-entendidos e comentários mal-informados.
O jornalista Neil McCormick da Hot Press, escreveu um extenso artigo na revista na época, detalhando alguns desses erros, mostrando que não se pode levar nada muito a sério neste livro.
De acordo com McCormick, a compreensão de Eamon Dunphy entorno do U2 foi muito vaga. Por exemplo, o livro não traz nenhuma menção à Mother Records, ou à viagem de Bono e Ali para a Etiópia e América Central (viagens de grande impacto na vida de Bono e consequentemente, para a história do U2) e traz uma breve citação à morte de Greg Carroll, sendo que este evento afetou muito a banda. Ele também diz: "Muitas canções cruciais nem sequer garante uma menção. Chas De Whalley e Martin Hannett, os primeiros produtores do U2, não são tratados no mesmo uma forma remotamente convincente. Ouvimos dizer que o U2 queria Brian Eno para produzir o seu quarto álbum de estúdio, mas nunca é explicado por que (e, de igual relevância, porque não Steve Lillywhite, que havia produzido os três primeiros discos e era, evidentemente, o melhor para a banda). Ele entrevistou apenas um aluno, Maeve O'Regan, dos tempos da escola Mount Temple. Ele conversou apenas brevemente com Steve Averill, que estava intimamente envolvido com a banda desde o início e que tem uma vasta riqueza de conhecimento da música e da cena local. Ele nunca falou com Jackie Hayden, que foi efetivamente responsável pelo lançamento do primeiro single da banda".
Não há quase nenhuma explicação à Pod e Dick Evans, como se eles não tivessem feito parte da história do U2, e as esposas e namoradas dos integrantes são tratadas de forma circunstancial, quando elas realmente foram muito importante no processo criativo do U2.
A biografia também não mergulha em momentos-chave da história do U2.

A Hot Press disse que o livro faz uma menção de que "Sunday Bloody Sunday" teria sido escrita por The Edge, também pelo fato dele ter aversão ao Sábado Santo dos Cristãos, e também ao The Troubles da Irlanda.

domingo, 21 de abril de 2013

A canção inédita do U2 que "soa louca"

No livro 'U2: At The End Of The World', Bill Flanagan menciona diversos títulos de canções que o U2 estava trabalhando nas sessões de gravação de 'Zooropa'. A banda estava categorizando músicas para o álbum, e isto ficou conhecido na brincadeira por "menu chinês".
Uma destas canções tinha o título de "Nosejob", descrita como "uma canção que soa louca". Mas não foi incluída no álbum 'Zooropa' (pelo menos não com este título), e ao que tudo indica permanece inédita até os dias de hoje.

sábado, 20 de abril de 2013

"Não tente combater a escuridão com a luz. Basta apenas fazer brilhar a luz mais brilhante"

Em outubro de 1984, Bono comentou para a NME sobre a composição de "Pride (In The Name Of Love)": "originalmente escrevi "Pride" sobre Ronald Reagan e a atitude ambivalente na América. Ela foi originalmente concebida como o tipo de orgulho que não vai recuar, que quer construir arsenais nucleares. Mas que não estava funcionando. Me lembrei de um velho sábio que me disse para não tentar combater a escuridão com a luz. Que bastava apenas fazer brilhar a luz mais brilhante. Eu percebi que estava dando à Reagan demasiada importância, então eu lembrei que em Martin Luther King, há um homem. Nós construímos o positivo, ao invés de lutar com o dedo."

Página do Facebook 'U2 Frases' completa 1 ano de existência

Voltada aos fãs do U2, a página do Facebook U2 Frases (U2FR) está completando no dia de hoje, seu 1° ano! Fundada em 20 de abril de 2012, a U2 Frases já é a 2° maior página brasileira no Facebook sobre o U2, chegando quase aos 6.000 likes! O criador da página, Bernardo Cardoso, é seguidor e colaborador aqui do blog.
Além da página no Face, o U2 Frases está também no Twitter (@_U2FR).

Você sabia que o U2 Frases fará videos colaborativos de "No Line On The Horizon" e "Unknown Caller" para o DVD 'U2360°: The Travel', que será entregue ao U2? E você fã, que participar também? É só acessar a página do U2 Frases no Facebook!

sexta-feira, 19 de abril de 2013

Poster do U2 visto em cena do filme 'A Hora do Pesadelo 4: O Mestre Dos Sonhos'

Em 'A Hora do Pesadelo 4: O Mestre Dos Sonhos', de 1988, o conhecido serial killer Freddy Krueger (Robert Englund) retorna e logo mata os três sobreviventes da rua Elm. Só que Kristen (Tuesday Knight), que possui o poder de atrair outras pessoas em seus sonhos, consegue transferir seu poder para a amiga Alice (Lisa Wilcox) antes de sua morte. É a chance ideal para que Freddy se aproveite do poder recém-adquirido por Alice, usando-a para matar outras pessoas.
Em uma cena do filme, é visto na parede de um quarto, um poster do U2 da época de 'The Joshua Tree':

O coral 'O Mistério Das Vozes Búlgaras' dá o tom divino em "Wake Up Dead Man" do U2

Se você já deu uma olhada com mais atenção no encarte do álbum 'POP' do U2, deve ter lido que a canção "Wake Up Dead Man" contém samplers de "Besrodna Nevesta", do Le Mystere Des Voix Bulgares, originalmente escrita por Nikolai Iankov Kaoufmane. São aquelas vozes ao fundo que entram e saem do mix da canção do U2.

O Coro Vocal Feminino da Televisão Estatal Búlgara é um conjunto folclórico de renome internacional que mescla um repertório a capella tradicional a seis vozes e arranjos modernos. É mais conhecido pelo nome comercial Le Mystère des Voix Bulgares, ou, em português, O Mistério das Vozes Búlgaras. Originalmente criado como o Coro Vocal Feminino da Rádio e Televisão Estatais na Bulgária em 1952 por Philip Koutev, dito "pai da música folclórica de concerto", o coro é atualmente regido por Dora Hristova. Koutev também criou e regeu o Conjunto de Câmara da República Búlgara em 1951.
As cantoras são selecionadas dos vilarejos rurais pela beleza e pela abertura de suas vozes, e são submetidas a um extenso treinamento para o raro e único estilo antigo de canto. Influenciada pela história trácia, otomana e bizantina da Bulgária, sua música é arrebatadora pelo uso de canto diafônico e timbre inconfundível, bem como escalas modais e harmonias dissonantes (abundantes em intervalos de segundas, sétimas e nonas).

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Dia do Julgamento é citado em duas canções do U2

A linha "It's no secret that the stars are falling from the sky" da canção "The Fly" do U2, de 1991, é semelhante à linha de outra canção da banda, "One Tree Hill", de 1987: "I'll see you again when the stars fall from the sky".
Ambas as linhas são uma referência ao Dia do Julgamento: “E, logo depois da aflição daqueles dias, o sol escurecerá, e a lua não dará a sua luz, e as estrelas cairão do céu, e as potências dos céus serão abaladas” (Mateus 24:29).
Juízo Final, Julgamento Final, o Dia do Juízo Final, ou Dia do Senhor na Bíblia, é o julgamento final e eterno feito por Deus sobre todas as nações. Terá lugar depois da ressurreição dos mortos e os Segunda Vinda de Cristo (Apocalipse 20:12-15). Esta crença inspirou numerosas representações artísticas.
A crença de um julgamento do homem, tendo Deus como juiz e levando em conta os atos praticados em vida por este, é comum em quase todas as religiões do Mundo.
Na maior parte das crenças, acredita-se que tal julgamento será feito no final dos tempos, após o fim da raça humana, em um outro plano espiritual. Porém são muitos os que crêem que ainda vivos poderão estar sendo julgados, como os cristãos que esperam a vinda do Messias por uma segunda vez, crendo que poderão receber a recompensa prometida ainda em vida.

Bono toca guitarra no final da versão de estúdio de "Your Blue Room"

O vocalista do U2 revelou este fato em uma entrevista no ano de 1997: "No álbum 'Original Soundtracks 1' do Passengers, eu toquei um pouco de guitarra no final de "Your Blue Room". Na gravação há um trecho da guitarra tocada por mim, mas honestamente é triste."
E Bono brinca: "No álbum POP eu toquei guitarra também. Alguns solos de guitarra são meus. Mas de verdade, não são. Eles não me contam como músico. Na verdade, a única maneira de Edge pegar sua guitarra e tocar, é quando eu começo a tocar guitarra. Flood é fã do jeito que eu toco guitarra, pois ele acha que sou o único punk no U2, porque eu não quero saber tudo sobre o instrumento que eu estou tocando."

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Adam Clayton: "Acho que temos de ir ao Brasil, quando é o próximo Rock in Rio?"

O U2 poderia ter tocado no Rock In Rio II? Em abril de 1986, Adam Clayton disse: "Acho que temos de ir ao Brasil, quando é o próximo Rock In Rio?". Esta foi a resposta do baixista ao atender um telefonema da Revista BIZZ para anunciar que o U2 havia faturado melhor grupo, melhor música e melhor vocalista na eleição dos leitores naquele ano. Adam declarou-se ainda "muito feliz" e fez questão de agradecer a "todos que votaram em nós".
Em março de 1987, a agência Artplan estava a todo vapor na organização de um superfestival de rock que deveria rolar em janeiro de 1988 no mesmo lugar em que foi feito o primeiro Rock in Rio (só que com as devidas precauções, como a instalação de um sistema de drenagem para evitar a lama que se formou no primeiro festival).
Entre os artistas cogitados para o evento estava o U2. A data prevista para o início do festival era 15 de janeiro de 1988.
Este superfestival ocorreu, sendo a primeira edição oficial do Hollywood Rock, mas o U2 não veio.
A segunda edição do Rock In Rio aconteceu em 1991, e também não foi daquela vez que a banda finalmente veio tocar no Brasil.

Canção do U2 na novela britânica 'Coronation Street'

Coronation Street é uma novela exibida primeiramente em 1960 pela Granada Television. Em 2010, tornou-se a mais longa novela do mundo em produção. É situada em Weatherfield, um subúrbio fictício da cidade de Manchester, no oeste da Inglaterra.
O elenco atual conserva apenas um dos atores da equipe inicial. Ele é William Roache, que interpreta o personagem Ken Barlow.
Depois de vários relacionamentos fracassados, uma viuvez e alguns divórcios, Barlow, nascido e criado no bairro fictício, é hoje aposentado e vive com a terceira esposa, Deirdre, na casa número 1 da Rua Coronation.
Em seus 50 anos de exibição, a única vez que uma canção teve destaque na trama, foi em um capítulo justamente comemorando o 50° aniversário da novela, em que ocorreu um desatre na rua, e a cena foi sonorizada com "All I Want Is You" do U2.

terça-feira, 16 de abril de 2013

O comercial de uma livraria que é uma paródia ao videoclipe de "Numb" do U2

Este comercial internacional de 1993 ou 1994 com Sean Lehman e Dave Talbert, é de uma livraria AAFES chamada Book Mark. O comercial é uma paródia do videoclipe de "Numb" do U2, e utiliza a base original da música. 

Transforme esta canção em uma oração

Uma mensagem memorável no meio da performance ao vivo de "Sunday Bloody Sunday" capturada no DVD 'U2 Go Home: Live From Slane Castle', é uma referência ao bombardeio de Omagh em 15 de agosto de 1998 ("Turn this song into a prayer!") "Transforme essa música em uma oração!"
Bono canta: "Three years after Omagh. We turn a song into a prayer" (Três anos após Omagh. Nós transformamos a canção em oração).
O bombardeio em Omagh foi um dos piores dias na vida de Bono, segundo ele. O atentado matou 29 pessoas na Irlanda do Norte e foi atribuido a dissidentes do Ira.
Ainda nesta performance de "Sunday Bloody Sunday" no Slane Castle, Bono diz o nome das vítimas do atentado em Omagh. Bono cita duas vezes o nome Sean, pois na lista de vítimas havia duas pessoas com este nome:

Sunday bloody Sunday
Breda
Sunday bloody Sunday
Sean
Sunday bloody
Julie
Sunday bloody Sunday
Gareth
Sunday bloody Sunday
Sean
Sunday bloody Sunday
Geraldine
SBS
Jolene
Philomena Skelton
Gareth Conway
Breda Devine
Lorraine Wilson
Samantha McFaraland
Julia Hughes
Elizabeth Rush
Rico Abad-Amos
Fernando Blasco Baselga
Esther Gibson
Ann McCombe
Veda Short
Adrian Gallagher
Alan Rudford
Fred White
His son Brian White
Brian CcCrory
Sean McGrath
29 people too many

segunda-feira, 15 de abril de 2013

A excelente versão de "Sunday Bloody Sunday" por Saul Williams

O videoclipe oficial de Saul Williams para a versão cover de "Sunday Bloody Sunday" do U2. De seu terceiro álbum 'The Inevitable Rise and Liberation of Niggy Tardust', de 2007. Produção de Trent Reznor, do Nine Inch Nails.
O título do álbum é uma referência ao álbum de 1972 de David Bowie, 'The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars'.
A versão de "Sunday Bloody Sunday" traz a linha de bateria da versão original da canção do U2, sampleada e tunada. Ela foi single no começo de 2008:


Observação: esta sim é uma versão cover digna desta canção do U2. Mostra o respeito que uma certa banda brasileira não teve com este hino......

Johnny era um bom homem.......

Performances ao vivo da canção "Sunday Bloody Sunday" do U2 em 2001 durante a turnê Elevation, frequentemente traziam trechos cantados por Bono de duas canções de Bob Marley: "Get Up, Stand Up" e "Johnny Was".
Uma destas performances esta registrada no concerto 'Elevation 2001: U2 Live from Boston' gravado durante a primeira parada do U2 nos Estados Unidos durante a Elevation Tour. Gravado entre 5, 6, e 9 de Junho de 2001 no TD Garden em Boston, Massachusetts e lançado oficialmente em DVD e VHS. Bono canta: "oh, oh..... johnny was a good man, oh, oh..... johnny was a poor man".

"Johnny Was" é do álbum de 1976 do Bob Marley & The Wailers, chamado 'Rastaman Vibration'.


O mistério da letra de "Promenade" do U2

Alguns fãs do U2 mais atentos, sempre debateram sobre uma linha da canção "Promenade" do U2, de 1984, que traz (segundo o site oficial da banda e os encartes de 'The Unforgettable Fire'): "Oh, tell me, Cherry you dance with me. Turn me around tonight, up through the spiral staircase to the higher ground" (Oh, diga-me, Cherry, que você dança comigo. Me gire ao redor esta noite, subindo pela escada espiral até o lugar mais alto).
A quem Bono estaria se referindo como Cherry? Quem seria ela?
Sabemos que esta escada espiral que Bono canta na letra ficava em uma Torre Martello (uma torre de vigia fortificada).
Centenas destas torres foram construídas durante as guerras napoleônicas. Bono e Ali viveram em uma dessas há vários anos. Partindo daí, Cherry então seria Ali.
A palavra "cherry" aparece oficialmente em outra canção do U2, "Walk To The Water", lado b de 1987, na parte: "I saw you that day, your lips of cherry red" (Eu vi você aquele dia, seus lábios vermelho cereja).
O curioso é que em revistas sobre a banda e outros sites, a parte "Cherry you dance with me" de "Promenade" é colocada como "charity dance with me". Charity significa caridade, e isto sim faria sentido no contexto da música, como um uso arcaico de "caridade" significando "amor". Em passagens bíblicas, "caridade" é usado no lugar de "amor".
Mas o mais provável mesmo é que Bono (pra variar), tomou emprestado neste trecho de "Promenade", um verso de um poema de William Butler Yeats, chamado "I Am Of Ireland". 
Confira a semelhança do verso do poema, com o trecho discutido aqui de "Promenade":

"I am of Ireland,
And the Holy Land of Ireland,
And time runs on,’ cried she.
‘Come out of charity
And dance with me in Ireland."

domingo, 14 de abril de 2013

Bono em performance improvisada no evento Studio Africa Party no Coachella Valley

Bono fez uma aparição surpresa fora do Coachella, na noite de sexta-feira, juntando-se aos artistas congoleses de Baloji para uma performance improvisada em um rancho em La Quinta, Califórnia, perto de Indio. 
 
A colaboração aconteceu na festa de lançamento do Rolling Stone Rock Room para o Studio Africa da Diesel + Edun, uma série de eventos que reúnem músicos africanos e ocidentais.


Do site: http://noticierou2.blogspot.com.br/

Bono canta em homenagem à Quincy Jones e Michael Caine

Bono participou da 17º edição de gala em Las Vegas de "Power Of Love", da organização "Keep Memory Alive".
O show, que teve lugar no Hotel MGM Grand & Casino em Las Vegas, foi motivada não apenas em celebrar o aniversário do produtor Quincy Jones e do ator Michael Caine, mas também angariar fundos para a Cleveland Clinic Lou Ruvo Centro de Saúde do Cérebro, instituto que fornece suporte para o tratamento e pesquisa de doenças neurológicas, como a doença de Alzheimer, Huntington e Parkinson.
Bono foi o primeiro a subir ao palco e cantou um medley com "I've Got Under Under My Skin" e "Fly Me To The Moon", ambas de Frank Sinatra:

Agradecimento: http://noticierou2.blogspot.com.br/

sábado, 13 de abril de 2013

Em 1987, o U2 teria descartado fazer shows no Brasil por falta de lugares adequados

No ano de 1987, uma edição da Revista Bizz avisou: "os fãs do U2 podem ir preparando os ponchos (uma vestimenta tradicional da América do Sul): a banda irlandesa desembarca em dezembro na América do Sul, para apresentações...na Argentina. Comenta-se que o grupo descartou a possibilidade de fazer shows no Brasil por falta de lugares adequados (lugares grandes, porém com boa acústica). O U2 vem para a América Do Sul acompanhado de Phil Joanou, um jovem diretor de cinema protegido de Spielberg, que está realizando um documentário sobre a banda."

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Vinil Robbie Robertson (com participação do U2)




Disco de vinil 12 polegadas Robbie Robertson, lançado pela Geffen Records em 1987. Nacional, distribuido no Brasil pela WEA - BMG Ariola.

O U2 contribuiu em duas faixas do disco: "Sweet Fire Of Love" e "Testimony".
The Edge comentou: "Daniel Lanois já tinha concordado em produzir o primeiro disco solo de Robbie Robertson , e o cantor estava procurando por alguns sinais e decidiu que Dublin era um bom lugar para se procurar. Nós éramos grandes fãs do The Band e ficamos honrados com a ajuda. Durante vários dias, o Danny e o Robbie gravaram duas músicas com a gente."

Blog U2 Sombras e Árvores Altas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...