Anúncios

segunda-feira, 31 de março de 2014

Alan Cross ataca novamente, e divulga prováveis capa e contracapa do novo disco do U2

Em junho de 2013, Alan Cross, conceituado radialista canadense, postou em seu site uma falsa lista de músicas que seriam de canções presentes no novo álbum do U2, que teria 11 faixas e seria intitulado 'Manhattan'.
Agora, Alan Cross divulga em seu site, artes de uma capa e contracapa (promocional) do que seria o novo disco do U2, que teria o título de 'Lucky Number', e que segundo está impresso nesta arte, será lançado em 13 de junho de 2014.
Fake, mais uma brincadeira, agora de 1° de abril, provavelmente. A capa deve ter sido montada no Photoshop, e com certeza o U2 não gravou novas músicas e não trabalhou apenas no Electric Lady Studios em Nova York e The Church Studios em Londres, como está escrito nas informações técnicas. A banda trabalhou em Dublin e na França, com certeza! Cadê estas informações? Aliás, as informações técnicas são todas óbvias e só está escrito lá o que já foi divulgado oficialmente, tanto que está escrito: "para mais detalhes sobre músicos adicionais, veja o encarte." Piada né? Só foi listado o óbvio!
A ainda inédita "North Star" tem duas versões: uma versão inicial produzida provavelmente por Eno, Lanois ou Lillywhite, e a versão de 'Transformers' produzida por RedOne. Se ela está listada nesta contracapa, como os produtores informados do álbum são apenas DangerMouse, Paul Epworth e Ryan Tedder?
Em outubro de 2013, o U2 havia sido visto em uma sessão de fotos e videos, na Westminster Station Parliament Square em Londres. As gravações foram para a utilização no video 'Story Of Invisible'. E ao que parece, a foto utilizada nesta capa divulgada, é uma foto desta estação.

O tracklisting seria:

1. Wake Up
2. Troubles
3. The Beach
4. Invisible
5. Far
6. North Star
7. Song For Someone
8. Leaving
9. What Keeps Us Going On
10. Blue Skies
11. All My Life
12. Reach Me
13 Going Home

As cenas favoritas do diretor Davis Guggenheim em 'From The Sky Down' do U2

'From The Sky Down' é um filme-documentário dirigido por Davis Guggenheim, sobre a produção do disco 'Achtung Baby' do U2.
Em entrevista, Guggenheim fala sobre suas partes favoritas no filme: "Provavelmente, há centenas de imagens sobre eles que eu gostaria de ter conseguido para o filme. Todas as cenas que eu olho eu acho que eu poderia ter feito melhor.
Eu gostaria de obter mais performance deles. Parte da habilidade é em esconder o desempenho na narrativa - então Edge cantando "Love Is Blindness" é perfeito, porque ele está cantando a música, mas ele também está contando uma história. Você não está apenas passeando através de uma canção.

Quando a banda canta "One" no final... também é muito bom. Eu poderia ter usado mais algumas músicas no filme, mas não tínhamos tempo. Fizemos este filme muito rapidamente - quatro meses e meio."

Fã se acorrenta no tornozelo de Bono em show na turnê de 'War'

A primeira vez que o U2 foi headline em um ginásio nos Estados Unidos foi no Centrum em Worcester, Massachusetts, no outono de 1983, seis meses depois do início da turnê de 'War'.
O Centrum era, na época, uma sala nova, com capacidade para 15 mil pessoas e situava-se num centro populacional mais ou menos a 15 minutos de Boston, à Nordeste, Hartford à sudoeste e Providence à Sudeste.
Os fãs que o U2 havia conquistado em três estados correram para lá e o show esgotou. Foi uma grande noite para a banda, um presságio do que estava por vir e alguns garotos e garotas muito excitados correram para o palco para tentar abraçar o Bono.
Quando os seguranças vieram atrás de uma garota, Bono dispensou-os, envolveu-a com os braços e dançou com ela pela borda do palco. Então ele continuou cantando enquanto ela se ajoelhou e ficou agarrada à perna dele. Ela se acorrentou ao tornozelo dele. E não tinha a chave. O show teve que continuar com Bono preso à fã até que os roadies conseguissem uma serra para cortá-la fora. A relação do U2 sem intermediários com os fãs estava mudando.

domingo, 30 de março de 2014

Achtung Baby - O U2 no Trabant

Poderia haver cinco fotografias sozinhas, apenas da fotografia de 'Achtung Baby', pois as sessões de fotos foram muito boas. Para escolher uma fotografia que representa este período incrível da banda e a volumosa quantidade de fotos tiradas por Anton Corbijn, para eles foi muito difícil. Mas esta foto da banda no carro Trabant pintado por Thierry Noir, o artista mais conhecido por seus personagens pintados sobre o muro de Berlim, é excepcional.
Ela é ao mesmo tempo séria e divertida, e muito bem colorida e icônica.
Esta imagem gerou quatro capas dos cinco singles que foram lançados para 'Achtung Baby', com o corte de imagem em quartos para formar a imagem da capa de cada single.
A foto foi tirada em um estúdio fotográfico em Dublin, em completa escuridão usando simples tochas de mão para "pintar" a imagem através de uma câmera de longa exposição. O processo é difícil de julgar no momento de tomar, como cada exposição é diferente.

sábado, 29 de março de 2014

U2 em L/R: "Who's Gonna Ride Your Wild Horses"

O músico Márcio Fernando (da página U2 SONGS do Facebook), é colaborador e seguidor aqui do blog!

Hoje ele disponibiliza os áudios dos canais L/R (left/right) de "Who's Gonna Ride Your Wild Horses"!

O canal L parece outra versão da canção, com uma introdução despida fantástica! Um som de cordas de um orgão é o destaque desta intro!
Este canal é a oportunidade de ouvir de outra forma a belíssima e agora bem audível guitarra de Edge no trecho"Ah, the deeper I spin / Ah, the hunter will sin for your ivory skin".


No canal R, a introdução muda completamente em relação ao canal L. As guitarras aparecem mais em todo o áudio. 

Irritado com Bono, o baterista Larry Mullen pensou em parar de tocar no show do Live Aid

A nova matéria para o Fã Clube UltraViolet Brasil (www.ultraviolet-u2.com) já se encontra disponível para leitura!

O link se encontra abaixo:

O LINK DA MATÉRIA NO SITE DA ULTRAVIOLET

Em diversas entrevistas, Bono falou sobre sua "performance solo" no Live Aid, onde ele quebrou uma das regras de Bob Geldof, e desceu para a platéia, tirando a garota Kal Khalique de 15 anos de idade para dançar, e atrasando totalmente o set do U2. Segundo Bono, ele avistou de cima do palco, a garota sendo esmagada contra as barreiras de proteção, e decidiu pular para o nível da platéia, para tirá-la dali com a ajuda dos seguranças.
A própria garota afirmou que Bono salvou sua vida.
Apesar da performance do U2 ter sido memorável, e considerada a melhor apresentação junto com o Queen, a atitude de Bono deixou os integrantes da banda irritados, pois não puderam tocar seu grande single de sucesso e mostrá-lo para milhares de telespectadores que estavam acompanhando o concerto pela TV. Larry Mullen pensou em parar de tocar naquela ocasião. Bono: "Live Aid poderia ter sido um clássico tiro na cabeça. Eu estava alto como uma pipa depois do Live Aid porque Linda McCartney me deu um beijo. E depois, eu estava dividindo o microfone com Paul McCartney.
Mas quando eu cheguei em casa e assisti ao vídeo do Live Aid, eu fiquei muito desesperado e deprimido. Eu realmente acreditava que eu tinha cometido um grande erro, ao descer do palco. Não conseguia dormir, não quis falar com ninguém. E eu dirigi para o sudeste da Irlanda, em uma cidade onde Ali tinha familiares, e conheci um escultor que não sabia quase nada sobre música, e estava fazendo uma peça de bronze que era para ser o espírito do Live Aid, uma figura nua, chamada The Leap. Ele chamou de The Leap (O Salto) porque eu tinha deixado o palco e esta imagem ligava à isso. A figura não era eu. Era para ser todo o espírito da coisa. Senti que ele entendeu o que eu estava tentando fazer. E ele era um homem na casa dos cinquenta anos. Mas não há nenhuma dúvida sobre isso, não farei isso novamente. E ainda não entendo por que fiz isso. Larry me disse que pensou em parar de tocar durante "Bad". Foi um grande show para o U2, havia 1 bilhão de pessoas assistindo, e nós não tocamos nosso grande single, "Pride (In The Name Of Love)" por minha causa. Todo mundo estava muito irritado comigo, quero dizer, muito irritado.
Quando Bono voltou para casa, ele começou a acreditar nas pessoas, quando elas disseram que a parte do Live Aid que mais se lembravam, era exatamente a de Bono pulando no meio do multidão e abraçando a menina.
A pedido da imprensa do Reino Unido, o U2 emitiu um comunicado na época, sobre sua participação no Live Aid: "O U2 está envolvido no Live Aid porque é mais do que dinheiro, é música. Mas isso também é uma demonstração para os políticos e os que se fazem de políticos, que homens, mulheres e crianças não vão andar por outros homens, mulheres e crianças como eles mentem, com barrigas inchadas, morrendo de fome por causa de uma xícara de grãos e água. Pelo preço de Star Wars, os orçamentos de defesa ofensiva de míssil MX, o deserto da África poderia ser transformado em terras férteis. A tecnologia é com a gente. Não são os tecnocratas. Somos parte de uma civilização que protege-se investindo na vida... ou investir em morte? Esperando por algo mais citável, muitos na mídia ignoram as declarações da banda."

sexta-feira, 28 de março de 2014

The Unforgettable Fire - A Contracapa

Todos os elementos desta fotografia de Anton Corbijn para a contracapa do álbum de 1984 do U2, 'The Unforgettable Fire', serviram para torná-la uma imagem poderosa e memorável.
A ruína despedaçada escurecida do castelo, subindo para o céu, a evidência predominante de uma paisagem varrida pelo vento, com crescimento do mato e uma árvore Hawthorn inclinando-se e, finalmente, as pequenas figuras da banda mesclando-se à forma ondulante da encosta.
O estoque de filme infravermelho empresta uma luz fantasmagórica à cena, que é reforçada pelos tons sépia da impressão.
O castelo em destaque na parte de trás era localizado nos arredores de Limerick. Foi escolhido entre vários castelos em ruínas, visitados em uma viagem de localização de 3 dias, no fim de semana antes da sessão de fotos. Muitos dos castelos eram inadequados por uma variedade de razões, então uma lista foi elaborada e estes foram o foco das sessões de fotos.
A capa do disco é com o Moydrum Castle no Condado de Westmeath.

U2 em L/R: "Breathe"

O músico Márcio Fernando (da página U2 SONGS do Facebook), é colaborador e seguidor aqui do blog!
Hoje ele comenta sobre os canais L/R (left/right) em "Breathe"!

"Note que em "Breathe", com os canais separados, os solos não aparecem, o som do celo também some, e muitas coisas ficam 'vazias', partes faltando. O L não vive sem o R!"

Márcio separou os canais, e disponibilizou os áudios para a postagem. Muito interessante. No L, dá pra ouvir nitidamente o som completo do celo. Os teclados e as cordas são bem audíveis, bem destacadas.
No R, não há o solo do celo, e é a guitarra que se destaca neste trecho, dando a impressão de ser outra música, outra versão!

BREATHE L


BREATHE R


A turnê de War: frutas e iogurte na banda de abertura, à espera do U2

Em dezembro de 1982 no Tiffany's, em Glasgow, Escócia, o U2 fez o primeiro show da pré-turnê de 'War', onde apresentou pela primeira vez três canções ao vivo do disco, que só seria lançado em 1983.
No show no De Montfort Hall em Leicester, Inglaterra, Bono disse que "Sunday Bloody Sunday" era uma canção que não seria tocada nas rádios, devido à suas letras.
No Hammersmith Palais em Londres, Bono entrou no show de abertura do The Alarm, para participar da performance de "Knockin' On Heaven's Door".
Antes do show no Muziekcentrum Vredenburg, em Utrecht, Holanda, a banda de abertura foi bombardeada com frutas e iogurte por um membro da platéia, impaciente pelo show do U2 não ter começado.
A apresentação no Brielport, em Deinze, Bélgica, foi marcada pela violência. Uma pequena bomba de fumaça foi lançada no palco durante o set da banda de abertura, e Bono ficou frustrado com um fã na frente que estava provocando e brigando com outros fãs durante o show do U2.
No Falkoner Teatret, em Copenhagen, Dinamarca, o músico Steven Wickham juntou-se ao U2 para tocar violino durante "Into The Heart" e "Sunday Bloody Sunday" (que ele já havia participado da gravação em estúdio também, mas que naquele momento não havia sido lançada ainda).
No show no Maysfield Leosure Center, em Belfast, Irlanda do Norte, o U2 utilizou de cautela para apresentar "Sunday Bloody Sunday", e Bono prometeu que ela jamais seria tocada novamente em Belfast se o público não gostasse dela, mas eles responderam positivamente e com entusiasmo para a canção.
Em fevereiro de 1983, a turnê do disco 'War' teve início.
No show em março no St. David's Hall em Cardiff, "A Day Without Me" é interrompida e Bono exige que alguém na fila da frente pare de cuspir.
No show no Royal Centre, em Nottingham, Inglaterra, Bono fica frustrado com a maneira excessivamente áspera que o pessoal da segurança trata o público entusiasmado, e expressa sua insatisfação em relação a eles.

quinta-feira, 27 de março de 2014

As botas do maligno Bono no videoclipe de "Elevation"

O videoclipe de "Elevation" foi dirigido por Joseph Kahn, e é um dos vídeos musicais mais caros já produzidos. É situado em torno de Lara Croft, juntamente com Bono e um resgate de The Edge à partir de seu "irmão gêmeo do mal" (The Edge foi inserido em imagens originais de Lara Croft: Tomb Raider).
Com 1 minuto e 53 segundos do video, Bono caminha pela calçada e ao olhar pra cima, vê o "Evil Bono" voando sobre ele.

A imagem, vista de cima, só mostra as botas da versão maligna de Bono.
Nas fotos tiradas por Anton Corbijn na locação, vemos a bota e todo o mecanismo utilizado para a gravação da cena!

Conheça a canção que pode ter inspirado uma linha da letra de "When Love Comes To Town" do U2

Na época do lançamento do álbum 'The Joshua Tree', Bono disse em entrevista como era trabalhar com o produtor Brian Eno: "Ele é um daqueles caras que está de pé às 6 horas da manhã, e nos deixa louco, cantando em alto e bom som "Where Were You When They Crucified My Lord", quando todo mundo havia acabado de ir dormir, na verdade."
Esta canção citada por Bono é uma canção tradicional, e Johnny Cash gravou uma versão dela:

A letra fala: "Você estava lá quando crucificaram meu Senhor. Você estava lá quando eles o pregaram na Cruz. Você estava lá quando colocaram ele no túmulo."
Muito provavelmente, esta letra inspirou a linha de uma canção do U2, escrita ainda no ano 1987, e mostrada pela primeira vez ao vivo em uma versão diferente e com letra alternativa, na turnê de Joshua Tree, em show no Fort Worth Texas em 24 de novembro de 1987, que contou com uma participação especial de BB King:

"When Love Comes To Town" foi lançada em sua versão de estúdio, no disco seguinte, 'Rattle And Hum', em 1988. Mas sem o verso da letra que apareceu na versão ao vivo no Texas:

When I woke up I was sleeping on the street
I felt the world was dancing, and I was dirt beneath their feet
When I woke up I saw the Devil looking down
But my Lord He played guitar the day love came to town

Voltando à canção "Where Were You When They Crucified My Lord", o título, a letra e as cantorias de Brian Eno às 6 da manhã possivelmente inspiraram Bono na linha 'I was there when they crucified my Lord' (Eu estava lá quando eles crucificaram meu Senhor) de "When Love Comes To Town"!

Seria Bono trabalhando em uma versão inicial de "Miss Sarajevo"?

Durante a gravação do disco do Passengers, Brian Eno escreveu um diário. Na entrada de 24 de maio de 1995, ele fala sobre uma nova canção que estava surgindo: "Bono começa a formar a idéia de que esta poderia ser uma canção sobre estar sitiado, pessoas que tentam continuar fazendo coisas comuns enquanto sua cidade está sendo bombardeada. Evolução de uma interessante ideia vocal: ele começa com uma linha que vai: "Há um tempo para cortar o cabelo?" isso gradualmente se move para "Há um tempo para isso e aquilo e aquilo outro?" em sua nova lista-fazendo estilo de escrita.
O resultado é realmente encantador - uma neblina, a melancolia doce-amarga que mia pela beleza do cenário: o concurso de beleza de Miss Sarajevo."
A foto de Bono que estampa a postagem, foi tirada em 1995 no Westside Studios, em Londres, durante a gravação de 'Original Soundtracks 1'. Preste atenção nos acordes que estão na lousa.
A versão final da canção "Miss Sarajevo" parece ter intervalos de acordes semelhantes ao que está escrito na lousa, e somente a chave alterada.
Então provavelmente o que está no quadro nesta foto, são as notas de uma versão antiga de "Miss Sarajevo".

quarta-feira, 26 de março de 2014

Episódio da série Glee traz cover de "I Still Haven't Found What I'm Looking For" do U2

Glee é a uma série de comédia, que retrata o cotidiano de adolescentes em um clube musical de um colégio norte-americano.
A trilha da série sempre inclui covers de músicas de bandas como Beatles, Aerosmith, Kiss e U2.
No episódio 'City Of Angels', o 11° da 5° temporada, exibido neste mês, "I Still Haven't Found What I'm Looking For" foi cantada pelo New Directions, com solos de Artie, Blaine, Sam e Tina como parte de seu setlist Nationals.
A versão foi baseada na versão ao vivo da canção presente no disco 'Rattle And Hum', com participação do coral 'New Voices Of Freedom'.

Assista ao video do Glee:

A montagem do palco do U2 para os shows no Brasil em 2011 da turnê 360°

Fotos de Adriano Vizoni para a FolhaPress, da montagem do palco do U2 no Estádio do Morumbi para os shows em São Paulo em abril de 2011, na turnê 360°:
















Do You Feel Loved: amor verdadeiro, em vez de luxúria

"Do You Feel Loved" do U2 começa logo depois de "Discothèque" no disco 'POP', e devido à isso uma interpretação intrigante para as letras da música é que é a partir da perspectiva do cara que encontrou a garota em "Discothèque".
O refrão é ele perguntando à ela se isso é o que ela estava procurando: o verdadeiro amor, em vez de luxúria, se aquilo é suficiente para ela.
No entanto, não é. Embora ela voluntariamente engana-se a acreditar que é o seu real amor (isso se parece com o sol), ela sabe que não é, por causa do sentimento que resulta em seu interior (mas se sente como a chuva).
Esta relação lasciva resulta em ela engravidar (o amor está chegando, empurrando e empurrando no ventre de uma mulher). A vinda da criança e o ritmo do batimento cardíaco, é o que mantém o casal juntos e obriga-os a amar um ao outro (ritmo pesado que assume para unir um homem e uma mulher. Grudados).
Isto é, às vezes, a estratégia de um casal jovem ou uma jovem (geralmente na adolescência) que realmente não tem muito futuro pela frente. Esperam que ter uma criança irá preencher essa lacuna e, possivelmente, forçar o pai (se ele não fugir dela) para ficar com ela.
Então, em oposição a não ter nada, mas uma educação pobre, antecedentes familiares pobres e fracos recursos financeiros indo para ela, ela agora tem uma nova família, uma vida nova (e há calor no sol para nos ver através da chuva).
A questão é se o calor será suficiente para vê-la através da chuva.
E a resposta talvez esteja em outra canção do disco, "If God Will Send His Angels". É sobre um cara que bate em sua namorada. O personagem da música repreende sua namorada pela sua crença e pela sua fé, coisas que ele próprio perdeu.

U2 estaria agora trabalhando no novo álbum no The Church Studios em Londres

O U2 supostamente está trabalhando nas gravações de seu novo álbum no The Church Studios, Crouch End, no norte de Londres, de acordo com um relatório da Ham & High Broadway, um jornal pequeno que cobre essa área.
O artigo diz que os membros da banda foram vistos jantando na área "ao longo das últimas semanas."
Talvez a evidência mais concreta é que o próprio estúdio é agora propriedade de Paul Epworth, que o comprou não muito tempo atrás do artista David Gray. A Revista Billboard informou há algumas semanas que o U2 estava planejando passar um tempo no estúdio com Epworth. Naquela mesma época, Epworth compartilhou uma imagem do estúdio no Instagram, em que mexia em gravações do U2:
Outra informação é que o designer de shows Willie Williams em entrevista, afirmou que está trabalhando na nova turnê do U2, e que ela será menos imponente que a turnê passada, 360°.

Do site: @U2

terça-feira, 25 de março de 2014

U2 em L/R: "Vertigo"

O músico Márcio Fernando (da página U2 SONGS do Facebook), é colaborador e seguidor aqui do blog!
Hoje ele comenta sobre os canais L/R (left/right) em canções do U2!

"Nas músicas do U2 tem muita coisa que a gente escuta e pensa que está nos 2 canais, mas na realidade não está. Por exemplo: em "Vertigo" a guitarra do Edge está num canal só, e se a gente escutar um canal, independente de ter ou não guitarra, fica estranho, descaracteriza o som.
Separando os áudios dos canais em "Vertigo", note a diferença. No "R" não é tanta porque a guitarra principal está lá, mas no canal "L" é como se fosse uma outra versão, não tem o riff de guitarra, e ainda você ouve efeitos e elementos que nem sabia que havia na canção, é totalmente despida."

Márcio separou os canais, e disponibilizou os áudios para a postagem:

VERTIGO (L):


VERTIGO (R):



Passengers: U2 e Brian Eno no Cais de Dublin

Esta fotografia tem uma bela qualidade de quadrinhos: The Ship’s Kitchen Staff (A Equipe da Cozinha da Navio), estrelado por Larry como o chef comunista descontente, Bono com a pose e o olhar adequado de chef principal, Brian Eno como o garçom principal ansioso para servir, Adam como Sous-Chef (o segundo em comando de uma cozinha) e The Edge vestindo uma camiseta regata como o Relief Cook (este termo descreve o cozinheiro na cozinha que oferece ajuda a todos os diferentes cozinheiros, ao invés de ter um trabalho específico).
Anton Corbijn maravilhosamente posou esta foto dos Passengers no cais de Dublin e tudo funciona muito bem na foto - as posições, os trajes, o ângulo de seus chapéus, onde todos emprestam a este retrato raro do U2 como não-U2.
Esta sessão de fotos foi originalmente destinada a ser usada no encarte para o álbum 'Original Soundtracks 1' do Passengers, mas acabou sendo descartada.
Uma das fotos desta sessão foi utilizada na capa do álbum duplo 'Medium, Rare And Remastered', para os assinantes do U2.COM

U2 no Segundo Caderno do Jornal O Globo - 1991/1992

Em 1991, Tom Leão escreveu, com o título de "U2 troca Messianismo por rock em Achtung Baby", uma crítica do disco para o Segundo Caderno, do jornal O Globo.

Em 1992, o Segundo Caderno, com Celso Itiberê, fez uma reportagem com o título de "O U2 explode paredes", sobre o desejo de uma autoridade Italiana na época em cancelar as apresentações do U2 no país com a turnê ZOOTV.

Os scans são do blog U2 Brasil - O Fanzine, e os downloads dos mesmos podem ser feitos no www.u2brasilofanzine.blogspot.com.br

segunda-feira, 24 de março de 2014

Referência ao U2 em video de campanha de rock da Rádio Kiss FM

A rádio Kiss FM lançou no dia 18/3 sua campanha institucional composta por este filme abaixo, spot de rádio, mídia impressa e, em breve, trabalhos digitais.
O objetivo da campanha é destacar a fidelidade e a lealdade da Kiss FM ao rock, sua marca registrada e que nunca abandonou. A rádio Kiss FM foi lançada em São Paulo no dia 13 de julho de 2001, Dia Mundial do Rock, e até hoje é a única emissora de São Paulo com programação composta genuinamente pelo melhor do rock'n roll.
No video, aos 19 segundos, podemos ver uma referência ao U2, onde um porta retrato traz uma foto de um garoto com um capacete de guerra (assim como Peter Rowen na capa do primeiro Best Of do U2 lançado em 1998).

Confira o video:


Agradecimento ao fã do U2 e seguidor do blog, Jorge Filipe Takeda!

Anunciante: Kiss FM
Título: Endorcismo
Produto: Kiss FM
Diretor Geral de Criação: Luiz Sanches
Diretor de Criação: Andre Kassu e Marcos Medeiros
Diretor de Arte: Benjamin Yung Jr
Redator: Marcelo Nogueira e Sophie Schoenburg
Produtora: Stink
Produtor executivo: Fernanda Curi e Cecilia Salgueiro
Direção: Jones e Tino
Fotografia: Carlos Ritter
Direção de Arte: Vicente Saldanha
Montador / Editor: Jones + Tino e Danilo Abraham
Finalizadora: ClanVFX
Produtora de áudio: Satélite Áudio
Produtor/Maestro: Equipe Satélite
Atendimento: Fernanda Costa e Marina Castilho
Locutor: Michael Hayes
RTV: Vera Jacinto, Rafael Motta, Elisa Mello e Diego Villas Boas
Atendimento: Ricardo Taunay, Italo Neto e José Maria Fafe
Mídia: Juliana Melo, Carolina Pimentel
Aprovação: Taís Abreu e Bárbara Conte

A linha escrita por Bono para canção do U2, que causa arrepios em The Edge

Em 1993, na Q Magazine, foi perguntado para The Edge se as letras escritas por Bono o afetavam emocionalmente.
Edge respondeu: "Às vezes elas são certeiras. Há uma linha em "Red Hill Mining Town", de 'The Joshua Tree', que começa com "A noite vem como um caçador..." Me dá arrepios toda vez que ouço isto. E eu ainda não sei o que significa."
Esta linha que Edge se refere está no trecho: "A link is lost, the chain undone. We wait all day for night to come. And it comes like a hunter."

O segredo da sequência de abertura de "Where The Streets Have No Name" no filme-concerto 'Rattle And Hum'!

Para o filme 'Rattle And Hum', o diretor Phil Joanou conseguiu encenar uma seqüência com o U2, coreografada especificamente de acordo com suas necessidades cinematográficas.
A seqüência de abertura de "Where The Streets Have No Name", que também foi usada no trailer do filme, foi gravada no palco, sem a platéia. Um a um, com uma câmera fixa central posicionada, Larry, Adam, The Edge e Bono vão entrando e tomando posições no palco. Em certo momento, Bono acena para o "público". Só que o público não estava lá.
Rapidamente, em um ângulo, podemos ver a platéia (quando a câmera está posicionada nas costas de Edge e Bono). Mas estas imagens foram inseridas na edição, gravadas no concerto mesmo.
Quando a introdução da canção começa a tocar e a banda entra, com aquela tela vermelha de fundo, podemos ver diversos clarões. Mas você sabia que aquilo não é causado por efeitos de luzes?
Márcio Fernando (da página U2 SONGS do Facebook) é um músico de Pelotas (guitarrista da banda U2 Songs), fã do U2, seguidor e colaborador aqui do blog!
Além de som, Márcio também entende de luz, então hoje é ele quem revela o segredo desta sequência de abertura de "Where The Streets Have No Name" no filme-concerto 'Rattle And Hum'!

"Quando Edge começa a tocar na guitarra a introdução de "Streets", começam os clarões. Por muito tempo eu achei que fosse luz, um strobo muito potente, mas ao longo dessa sequência, em 1 minuto e 3 segundos, você pode ver ao fundo uma fumaça saindo de uma caixa quadrada, onde eu imaginava que fosse um strobo. Foi então que me perguntei: o que está queimando ou explodindo? Essa fumaça toda não é normal para um efeito desse.
Seguindo na sequência, com 1 minuto e 42 segundos, a câmera abre para a banda e dá pra ver atrás do Larry que essa luz está continuamente acesa atrás de sua bateria, e toda aquela fumaça continua saindo. Mas, por que aquela fumaça está também ali?
A resposta vem com 1 minuto e 46 segundos, quando do lado esquerdo ao fundo da bateria, escapa uma bola de fogo.
Pronto! Ali já dá pra entender como eles fizeram o efeito, e que definitivamente não é um efeito de luz!
Perigoso, mas real: SOLDA! Dá pra notar perfeitamente o ponto de solda quente saindo atrás da bateria!
Sim, a equipe de filmagem pega uma vareta de solda e encostam num metal, e com isso se dá os clarões, a fumaça. E ali se pode constatar que aquelas caixas tem um revestimento refletivo para a luz se propagar, e provavelmente para conter essas faíscas que se soltam na hora que se está soldando.
Como isto foi gravado sem platéia, a equipe do filme resolveu utilizar este recurso, pois se algo de combustão rápida pegasse fogo, eles poderiam apagar com segurança, ou corrigir qualquer erro, pois a banda não correria perigo e nem constrangimento, caso desse algo errado com aquilo.
Tanto é que em todos os outros shows da turnê de Joshua Tree, não existe aquelas luzes todas na performance ao vivo desta canção.
A idéia foi realmente boa, e na ZOOTV, eles usaram strobos potentes e ali são realmente luzes, mas acredito que na época do 'Rattle And Hum' não existiam."

Blog U2 Sombras e Árvores Altas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...