Anúncios

Ainda Não Encontrou O Que Procura? Pesquise Aqui!

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Lançado o Lyric Video de "American Soul" do U2


O U2 disponibilizou através do canal U2VEVO o Lyric Video de "American Soul", uma das faixas do disco 'Songs Of Experience'! Essa é uma carta para a América, que parece ir contra a política de imigração de Donald Trump.
O blog deu ontem, e hoje está confirmado: como aparece escrito no folheto 'The Truth' no vídeo e também ao final do vídeo, o Broken Fingaz, um dos melhores grupos de grafite do mundo, são os responsáveis pelo Lyric Video! Aparece no folheto como 'Broken Fingaz And The Haifa Gypsies'.
Eles usam muitos elementos de pop art nos seus trabalhos.
O Broken Fingaz é um grupo de quatro artistas de Israel. Foi fundado em 2001 e tem como membros Unga, Kip, Tant e Deso.
Eles têm trabalhado ativamente no mundo da arte, com projetos que passam pelo design gráfico, animação, grafite, música, filmes e instalações, com seus trabalhos exibidos em grandes galerias do mundo todo em cidades como Tel Aviv, Londres, Berlim, Amsterdam, St. Petersburgo, Tóquio e Viena.
Linhas grossas e cores ácidas fazem parte do estilo do Broken Fingaz, que faz uma forte alusão às ilustrações dos comic books dos anos 80.


Noel Gallagher diz que gostaria de ter escrito uma das canções que está no novo disco do U2


O terceiro álbum de estúdio da banda de Noel Gallagher será lançado em 24 de novembro. Ele deu uma entrevista recente e falou sobre uma nova canção do U2 que ele ouviu:

"Sair em turnê com o U2 foi provavelmente a melhor coisa que aconteceu neste ano. O novo disco deles tem algumas músicas incríveis. Há uma faixa chamada "The Showman", uma das suas melhores canções. Fudidamente inacreditável. Você sabe, ouço estas novas canções deles há quatro anos, pequenas demos, e eles sempre fazem outras coisas delas. Mas essa música, sim, "The Showman". Gostaria de ter escrito ela desta maneira."

Noel ainda disse: "Bono disse que foi uma coisa boa não lançarmos nossos novos discos na mesma semana. O U2 vai me tirar do topo de venda de discos uma semana depois. A única desvantagem é que vamos estar em turnês mundiais ao mesmo tempo, então eu não vou ver nenhum dos seus shows."

Fender lança um novo par de baixos em edições limitadas Adam Clayton Signature


Adam Clayton estará recebendo um novo par de baixos especiais da Fender este ano. As edições limitadas da Fender, Adam Clayton Purple Sparkle Precision Bass e Jazz Bass estarão disponíveis ainda em novembro por $1999.99.




Fender Adam Clayton Signature Purple Sparkle Precision Bass Specs:

Color: Purple Sparkle
Body Material: Alder
Body Finish: Gloss Polyurethane
Body Shape: Jazz Bass
Neck Material: Maple with Graphite Reinforcement
Neck Finish: Gloss
Neck Shape: “C”
Scale Length: 34″ (864 mm)
Fingerboard: Maple
Number of Frets: 20
String Nut: Synthetic Bone
Nut Width: 1.5″ (38.1 mm)
Position Inlays: Abalone Block
Pickups: Custom Shop Split Single-Coil
Controls: Master Volume, Master Tone
Bridge: 4-Saddle High-Mass Vintage (String-Through-Body or Topload)
Hardware Finish: Chrome
Tuning Machines: Die-Cast
Pickguard: 4-Ply White Pearloid

Fender Adam Clayton Signature Purple Sparkle Jazz Bass Specs:

Color: Purple Sparkle
Body Material: Alder
Body Finish: Gloss Polyurethane
Body Shape: Jazz Bass
Neck Material: Maple with Graphite Reinforcement
Neck Finish: Gloss
Neck Shape: “C”
Scale Length: 34″ (864 mm)
Fingerboard: Maple
Number of Frets: 20
String Nut: Synthetic Bone
Nut Width: 1.5″ (38.1 mm)
Position Inlays: Abalone Block
Pickups: Custom Shop ’60s Single-Coil Jazz Bass
Controls: Volume 1. (Middle Pickup), Volume 2. (Bridge Pickup), Master Tone
Bridge: 4-Saddle High-Mass Vintage (String-Through-Body or Topload)
Hardware Finish: Chrome
Tuning Machines: Die-Cast
Pickguard: 4-Ply White Pearloid



Do site No Treble

'Design For Dreaming' no vídeo de introdução dos shows da turnê ZOOTV do U2


Hoje, o fã e colaborador Márcio Fernando compartilha uma descoberta conosco sobre 'Zoo TV: Live from Sydney' do U2! Ele é quem nos explica, e nos oferece um vídeo editado por ele para as comparações, e o curta metragem completo depois!

"Na introdução em vídeo nos shows da Zoo Tv, vemos várias imagens e uma delas aparece uma dona de casa em uma cozinha colocando um bolo numa espécie de cúpula de vidro.
Esse recorte de vídeo foi tirado de uma propaganda de 1956, chamada 'Design For Dreaming' da GM! Isso mesmo, a General Motors, aquela famosa marca de carros.
Eu editei os vídeos da Zoo Tv e o da 'Cozinha Do Futuro', fazendo as comparações e juntando os 2, e no final, o comercial completo da General Motors.
Design For Dreaming (Data de lançamento: 1 de Abril de 1956 - USA) é um filme industrial curto, cerca de 10 minutos, sobre uma mulher (interpretada pela dançarina e coreógrafa Tad Tadlock, nome verdadeiro Thelma Tadlock) que sonha com um homem mascarado (o dançarino e coreógrafo Marc Breaux). Foi filmada para o General Motors Motorama de 1956 no Hotel Waldorf-Astoria e a 'Cozinha Do Futuro' de Frigidaire. A totalidade do diálogo é cantada, embora os atores não movam seus lábios para as vozes pré-gravadas de seus personagens.
O filme começa com ela em seu quarto, com o homem mascarado aparecendo de repente. Ele então leva-a para o Motorama. Depois de olhar para vários carros, incluindo Buick, Chevrolet Corvette, Oldsmobile e Cadillacs, ela é levada para a "cozinha do futuro", onde ela faz um bolo. Ela então volta para o Motorama e dança a "dança do amanhã". Depois de olhar mais carros, ela e seu homem mascarado (que se desmascara) viajam na "estrada do amanhã" no " Firebird II " e se apaixonam.
O filme foi dirigido por William Beaudine .
Design For Dreaming ganhou um pequeno segmento cult, com alguns gostando e percebendo os valores modernos e outros que o apreciam por razões nostálgicas."

domingo, 19 de novembro de 2017

Broken Fingaz Crew devem ser os responsáveis pelo Lyric Video de 'American Soul" do U2


O U2 liberou a faixa "American Soul", de 'Songs Of Experience' no Spotify! E segunda-feira um Lyric Video da faixa será disponibilizado! O teaser abaixo!


Pelo teaser, vemos diversas pinturas animadas, e prestando atenção nas colagens, vemos escrito BROKEN FINGAZ em uma página de notícias de um jornal, junto com frases de canções do disco.
Associando o nome com as pinturas animadas vistas no trecho do vídeo, dá pra acreditar que a Broken Fingaz Crew, um dos melhores grupos de grafite do mundo, são os responsáveis pelo Lyric Video.



Eles usam muitos elementos de pop art nos seus trabalhos.
O Broken Fingaz é um grupo de quatro artistas de Israel. Foi fundado em 2001 e tem como membros Unga, Kip, Tant e Deso.
Eles têm trabalhado ativamente no mundo da arte, com projetos que passam pelo design gráfico, animação, grafite, música, filmes e instalações, com seus trabalhos exibidos em grandes galerias do mundo todo em cidades como Tel Aviv, Londres, Berlim, Amsterdam, St. Petersburgo, Tóquio e Viena.
Linhas grossas e cores ácidas fazem parte do estilo do Broken Fingaz, que faz uma forte alusão às ilustrações dos comic books dos anos 80.


30 Anos de 'Rattle And Hum': U2 surpreende fãs aparecendo em loja de discos de Dublin na noite de lançamento do disco


'Rattle And Hum' completará 30 anos no próximo ano! Que se iniciem as comemorações!

1988. Os fãs que estavam na fila para comprar o disco 'Rattle And Hum' em seu lançamento à meia-noite em uma loja de discos de Dublin, são pegos de surpresa quando Bono, The Edge e Adam aparecem.
A fila era formada na parte de fora da loja HMV na Rua Grafton de Dublin. Eles estavam entre as primeiras pessoas em todo o mundo para obter uma cópia do novo álbum do U2. Os fãs davam entrevistas sobre o motivo de estarem à meia-noite para comprar uma cópia do disco.
O gerente da loja HMV, Bob Walpole, diz que nunca viu nada nesta escala para um lançamento de um álbum.
O empresário do U2, Paul McGuinness, aparece e assina cópias do álbum para os fãs. Paul McGuinness fala sobre o disco e descreve-o como o melhor trabalho da banda feito até aquele momento.
Bono, Edge e Adam Clayton então chegam na loja HMV para o deleite dos fãs. Bono expressa surpresa com o número de fãs que apareceram e pergunta para a repórter Cathy Halloran como a RTÉ sabia que a banda iria estar lá?
Um jovem fã masculino diz que achou toda a experiência "muito emocional".

Empresário do U2 toma conhecimento dos problemas nas vendas de ingressos para a eXPERIENCE + iNNOCENCE, e a banda é anunciada no Saturday Night Live


Na sexta-feira, 17 de novembro, um grupo de cerca de mais de 30 fãs de todo o mundo, muitos deles colaboradores ou proprietários de sites de fãs do U2, contataram a banda e sua administração para informar a preocupação que muitos fãs expressaram desde a pré-venda de ingressos para a eXPERIENCE + iNNOCENCE que começou na última terça-feira.
O empresário do U2, Guy Oseary, compartilhou esta declaração e pediu para publicá-la on-line para os fãs lerem:

"Sou fã do U2 primeiro, e depois seu manager...
Eu sempre considero a experiência do fã em tudo o que fazemos ...
É por isso que estou desapontado ao saber que alguns assinantes do U2.COM tiveram problemas para conseguir ingressos na pré-venda desta semana.
Nas vendas de turnês anteriores, muitos dos ingressos foram adquiridos por máquinas e cambistas, então, pela primeira vez, trabalhamos com o sistema Verified Fan, para garantir que fãs de verdade consigam os ingressos. Para a maioria dos assinantes foi normal e simples, eles receberam os ingressos que eles queriam nas pré-vendas. Mas nos preocupamos com cada membro do fã-clube ... e é frustrante ouvir que esse processo não foi satisfatório para alguns.
Estamos estudando isso muito de perto com a equipe e trabalhando em soluções o quanto pudermos. Nós os manteremos informados."

A NBC confirmou hoje que o Saturday Night Live em 2 de Dezembro terá a estrela do momento, Saoirse Ronan, e como atração musical, o U2, que terá lançado um dia antes seu novo disco, 'Songs Of Experience'!


sábado, 18 de novembro de 2017

O motivo do U2 abandonar a canção "A Celebration"


"A Celebration" é um A-Side do U2, um single lançado em março de 1982, de uma canção que não aparece em nenhum disco da banda. O curioso é que ela foi delatada do catálogo da banda, seis meses depois de seu lançamento. Um videoclipe para ela foi gravado em uma prisão desativada de Dublin, Kilmainham Jail.
O U2 passou a ignorar esta canção, provavelmente porque as letras de Bono foram mal interpretadas.
Em uma entrevista de rádio em 1983, o entrevistador perguntou para Bono se a canção apareceria em algum disco da banda, e ele respondeu:

"Não. Eu gosto da música, mas as vezes eu odeio. É como muitas músicas por aí, se eu ouvir isso em um clube é realmente emocionante, e acho que é uma precursora de 'War' e muitos dos temas. Foi ótima na Europa porque ... uma música como "Seconds" as pessoas levaram muito a sério - no LP 'War', "Seconds" é anti-nuclear, é uma declaração. Elas não viram o sentido do humor para ela, é uma espécie de humor negro, onde usamos muitos clichês. Sabe, leva um segundo para dizer adeus, blá blá, e algumas pessoas a levaram muito a sério. E é humor negro, e deve ser levada a sério, mas "A Celebration" teve linhas nele, "acredito em uma Terceira Guerra Mundial, acredito na bomba atômica, acredito nos poderes que seja, mas eles não vão me dominar". E, claro, muitas pessoas que ouviram eu acreditar em uma Terceira Guerra Mundial, acreditar na bomba atômica, eles acharam que era algum tipo, sabe, Hitler Parte II. E os europeus especialmente foram tipo: 'Ah non! Vive le France!' e tipo, um caos estourou, e eles disseram: 'O que você quer dizer, você acredita na bomba atômica?' E eu estava tentando dizer na música, acredito na Terceira Guerra Mundial, porque as pessoas falam sobre a Terceira Guerra Mundial, mas aconteceu, quero dizer, aconteceu no terceiro mundo, isso é óbvio. Mas eu estava dizendo que esses são fatos da vida, eu acredito neles, eu acredito nos poderes que são MAS, eles não vão me dominar. E esse é o ponto, mas muitas pessoas não alcançaram a quarta linha."

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

11 De Janeiro de 1998: o dia em que a Rádio Transamérica transmitiu o show do U2 em Sarajevo na Popmart


Em janeiro de 1998, os fãs do U2 no Brasil aguardavam ansiosos por uma transmissão que aconteceria na Rádio FM Transamérica, que iria dar a noção sonora exata do que seriam os shows no Brasil da turnê Popmart que aconteceriam no final daquele mesmo mês.
A Rádio Transamérica, de alcance nacional, transmitiria para todo o país o histórico show que o U2 realizou em Sarajevo (Bósnia) em 23 de Setembro de 1997.
O show que promoveu a improvável reunião de 45 mil pessoas da Bósnia, Croácia, Sérvia e Macedônia aconteceu no Estádio Kosevo e foi gravado em áudio pela BBC de Londres. Foi apontado por Bono como um dos mais significativos momentos dos muitos alcançados pela megaturnê.
"Você sabe o que é cantar "Sunday, Bloody Sunday" para um povo que vê sangue não só aos domingos, mas todos os dias?", indagou Bono, em uma entrevista para a Folha De São Paulo.
"O belo estádio em que tocamos era cercado por prédios completamente destruídos. Cantei pensando nas pessoas que estavam lá na hora do bombardeio", falou.
A apresentação do U2 na Bósnia, que a Rádio Transamérica FM levou ao ar em 11 de Janeiro de 1998, reuniu pela primeira vez desde o início da guerra, que começou em 1992, cerca de 45 mil fãs. Uma rara celebração conjunta de bósnios, croatas, sérvios e macedônios.
No show de Sarajevo, a banda tocou ao vivo, pela primeira vez, a canção "Miss Sarajevo".
"Para a cidade do futuro", disse Bono, dedicando a música à audiência.
A Transamérica foi a primeira rádio a fazer uma transmissão digital via satélite de um show ao vivo no Brasil, ou melhor, de dois: Michael Jackson em São Paulo (Morumbi) e Madonna no Rio de Janeiro (Maracanã). Foi um pioneirismo da Transamérica.
Na década de 90 viriam as grandes bandas, tocando num pocket show, ou melhor: no Estúdio ao Vivo Transamérica com participações do: REM, Bon Jovi, Spice Girls (em parceria com uma emissora internacional a cabo), Alanis Morissette (em parceria como SBT – no extinto Programa Livre, do Sergio Groisman), Extreme, Faith No More. Tudo isso fez com que a Transamérica ganhasse respeito e favorecesse sua marca, firmando-a nas principais regiões do Brasil.
Simultaneamente com a MTV, transmitiu o show do U2 no dia 31 de Janeiro de 1998 no Estádio do Morumbi, em São Paulo.

A história de Goldeneye


Parte I - Ian Fleming

Ian Fleming, agente de inteligência britânica, foi pela primeira vez para a Jamaica durante a Segunda Guerra Mundial, enviado pela inteligência naval para investigar as atividades do U-Boat no Caribe.
Era difícil para ele manter sua mente na guerra, tal era a beleza do lugar e seu povo. Foi amor à primeira vista; paraíso na terra. Ele sabia que quando a guerra terminasse, era lá que ele viveria sua vida, ao sol, junto ao mar. Ele tinha visitado uma propriedade no mar, na pequena aldeia de Oracabessa Bay, que significa "golden head". Por acaso ele estava trabalhando em uma operação naval chamada Goldeneye. Ele comprou a propriedade, e quando a guerra terminou, construiu sua casa dos sonhos - um lugar perfeito para curar as feridas psíquicas da guerra e escapar da civilidade da civilização. Acima de tudo era um lugar para sonhar. E foi em GoldenEye que ele sonhou com James Bond, 007, que acabou por ser uma fuga para milhões de leitores.



Parte II - Chris Blackwell e a Island Records

Chris Blackwell fundou a Island Records em 1959. Um selo brilhantemente independente que fez mais para mudar a paisagem cultural do que qualquer gravadora na história. Island Records levou a música reggae para o mundo fora da Jamaica, com o próprio Blackwell produzindo Bob Marley And The Wailers.
A Island Records foi quem assinou com o U2 em 1980, onde a banda permanece até os dias atuais.
Blackwell comprou a Goldeneye da propriedade Fleming em 1976. Desde então, ele aumentou a propriedade original de 19 acres, com a Villa Just Fleming, em uma propriedade de 52 acres de classe mundial que é o carro-chefe das propriedades da Blackwell's Island Outpost.




Parte III - Bono

Chris Blackwell ofereceu à Bono, que se casou em 1982, para passar sua lua de mel na casa jamaicana em Carrabbien. Sim, em Goldeneye. Neste local, Bono começou a escrever as canções de 'War', do U2.
Em 1995, foi lançado mais um filme da bem sucedida franquia de 007, do personagem James Bond, criado por Ian Fleming.
O estúdio entrou em contato com Bono e The Edge.
Bono, ansioso para escrever uma canção para o longa, havia passado sua lua de mel na casa que havia sido de Ian Fleming. Isso serviria de inspiração para a letra da canção-tema.
Bono, Edge e o estúdio já haviam descartado a canção "Goldeneye" ser gravada pelo U2, e a canção foi escrita já com uma perspectiva feminina: "Ele fará o que eu quiser / Um beijo amargo irá trazê-lo de joelhos / Outras meninas, que se reúnem em torno dele / Se eu tivesse ele, gostaria de não deixá-lo escapar".
A ideia do estúdio era ter Tina Turner no vocal, e como Bono e Edge eram vizinhos de Tina no Sul da França, Edge foi até sua casa e tocou a canção no piano dela. Ela gostou.
Bono e Edge enviaram uma fita demo para Tina e Roger Davies, seu empresário. A fita continha a voz de Bono. Assim, Tina Turner vocalizou a canção se baseando nesta demo.

Ned O'Hanlon faz revelações sobre 'U2 Go Home - Live At Slane Castle'


Ned O'Hanlon, produtor de vídeos do U2, faz revelações sobre 'U2 Go Home - Live At Slane Castle', em uma entrevista para Matt McGee, que foi parar no U2.COM:

"Foi um momento muito difícil para Bono, e para a banda. Os shows em casa para o U2- shows na Irlanda- são sempre meio que de alta pressão, de qualquer maneira. O nível de expectativa é sempre muito elevado, como em toda parte, mas mais particularmente em casa. E eles obviamente querem estar no seu melhor, como eles fazem em todos os lugares, mas com a multidão em casa... é um momento muito sincero, e há sempre uma enorme quantidade de pressão sobre eles quando eles tocam em casa. De repente eles se tornaram os caras mais populares no quarteirão e todo mundo é um amigo, e todo mundo conhece alguém, e todo mundo quer estar nos bastidores. E se isso funcionasse, haveria mais pessoas nos bastidores do que na frente do palco.
À partir de uma perspectiva de gestão, é um pesadelo completo. Mas o show em si - a turnê foi projetada principalmente para shows indoor, e foi um ponto de vista cuidadosamente considerado de fazerem shows em locais fechados, sem ir para grandes locais ao ar livre. E esse foi o charme e o sucesso daquele show. Foi despido, não havia nada além deles. Eram apenas os quatro caras em um palco, tocando. Assim, a fim de alimentar um mercado bastante voraz, eles decidiram fazer este show, inicialmente, na instituição Castelo Slane. Eles acabaram fazendo dois shows, e eles estavam relutantes em filmar os shows na íntegra e lançar dois materiais à partir da mesma turnê. Eles disseram: "Já fizemos isso. Por que nós o faríamos duas vezes?" Mas este não seria o documento oficial da turnê. Este seria apenas um momento no tempo. É muito mais sobre um regresso para casa. É realmente apenas uma celebração do U2 em casa. É uma apresentação diferente no mesmo show, mas é um show fantástico.
Foi bastante difícil para mim convencê-los de que era uma boa coisa a fazer - filmar este show em sua totalidade.
Realmente, eu acho que a única coisa que os convenceu a fazê-lo era que iríamos fazê-lo apenas para arquivar. Nunca iria ser visto em qualquer lugar, ele nunca seria lançado, mas seria uma pena perder o que seria um evento muito original - tocar ao ar livre a única vez na turnê. Era uma espécie de volta para casa, na verdade. Meu argumento era: "Como podemos pensar em não gravar isso?" Então, com essa base, eles foram em frente. E nós fizemos isso muito bem como uma produção B. Não era nada na escala de recursos ou de dinheiro como o show que filmamos em Boston."

Online, houve petições iniciadas por fãs na Europa e as petições foram apresentadas à Universal para a banda lançar este show.

"Eu estava ciente de que essas petições estavam acontecendo. Eu acho que o U2 estavam conscientes de que havia um grande interesse no show, mas acho que precisava de um tempo para passar desse momento porque era um momento tão único para a banda. Tempo suficiente necessário para eles passarem à olhar para isso de uma forma objetiva e dizer: "Isso é algo que nós estaríamos interessados em fazer?" Na época, eles estavam muito mexidos com a passagem de Bob Hewson e tudo o que isso trouxe para Bono particularmente, e os outros caras como uma banda. Na forma como estas coisas funcionam - esses shows acabaram sendo realmente extraordinariamente especiais. O segundo show em particular, que é o show que filmamos, foi um show matador. Eles estavam realmente em seu jogo. De um ponto de vista de performance, foi realmente grande. Então eu acho que com o tempo, eles foram capazes de olhar para trás e apenas dizer: "o que foi tudo isso?" E nós finalmente fomos ver a gravação, e eles disseram, "isso não é tão ruim!" E assim aconteceu a partir daí."

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Bono demonstrou interesse em comprar uma música da banda 'Eddie Reynolds E Os Anjos Do Rock'


No filme mexicano 'Eddie Reynolds E Os Anjos Do Rock' de 2015, após 30 anos, uma banda desfeita de rock se reúne quando Bono, do U2, demonstra interesse em comprar uma de suas músicas. O encontro traz de volta à tona brigas antigas entre Eddie, o vocalista, e Santos, o guitarrista. Bono adia o negócio indefinidamente enquanto Eddie tenta juntar a banda mais uma vez.
Logo, os velhos amigos começam a tocar de novo, enquanto Lucia, a filha adolescente do baterista, renova o estilo roqueiro dela... Eddie Reynolds é uma comédia sobre amizade, loucuras do rock and roll, segundas chances e sonhos que se tornam realidade trinta anos depois!

No filme, um ator (Pavel Sfera) interpreta Bono! Até que é parecido!
Os produtores e o diretor do filme entraram em contato com Bono em 2013 falando sobre o projeto, e perguntando se ele desejaria gravar a cena para o filme, lá no México. Mas a agenda de Bono estava apertada, e ele deu consentimento para que utilizassem Pavel Sfera para interpretá-lo no filme.
Pavel é da Iugoslávia, e tem uma licença para imitar Bono, e é dito que ele tem um contrato de exclusividade assinado com o próprio Bono.



A demo "Dirt Beneath The Feet Of The World" que pode ter virado uma canção presente em 'Rattle And Hum'


Em 19 de Outubro de 1987, Bono e The Edge realizaram uma sessão de ensaio acústica na praia de Long Island para o produtor Jimmy Iovine, que produziria músicas inéditas para o disco da banda de 1988, 'Rattle And Hum'. As imagens foram registradas para o filme-concerto 'Rattle And Hum', mas não fizeram parte do corte final.



A dupla do U2 tocou músicas novas para o produtor. O site U2 Songs escreveu em seu site:

"Uma dessas músicas é "She's Gonna Blow Your House Down", que Iovine diz que prometia. A faixa era uma versão inicial da música que continuaria a ser refinada durante as sessões de 'Achtung Baby' em Berlim.
A segunda música mostrada foi "We Almost Made It This Time", que Bono apresenta pelo nome.
Uma terceira e última música é conhecida como "Heartland Storm", que pode ser um título dado pelos fãs do U2. No papo, Bono pergunta para Iovine se eles poderiam usar o refrão de "Prisoner Of Love", e Edge diz que o refrão original era de quando ele estava escrevendo uma música country, então talvez devesse ter um refrão diferente.
Bono também menciona o título "Dirt Beneath The Feet Of The World" como uma canção com potencial."

Muito provavelmente, "Dirt Beneath The Feet Of The World" tenha virado "When Love Comes To Town"! É só prestar atenção no trecho da letra da primeira versão ao vivo da música:

When I woke up I was sleeping on the street
I felt the world was dancing and I was dirt beneath their feet
When I looked up I saw the Devil looking down
But my Lord he played the guitar the day love came to town

Originalmente, a canção tinha este trecho extra que não foi gravado na versão final em estúdio.
Este verso foi cantado durante a estréia ao vivo da canção em Fort Worth, Texas, ainda pela turnê 'The Joshua Tree' no ano de 1987.

The Edge fala sobre "Discothèque (New Mix)"


The Edge fala sobre a regravação de "Discothèque" para a coletânea 'The Best Of U2 1990 - 2000':

""Discothèque" é uma música que, assim como "Gone", começou a ficar melhor ao vivo e então fizemos uma nova gravação de nosso novo arranjo usando um antigo backing track. Eu refiz algumas das guitarras. Acho que usamos todos os vocais originais. A versão do álbum trouxe muito da dance music e da estética da dance music e do que estava acontecendo naquela época. Mas esta versão está voltada para o som da banda, a essência do que é U2. É mais uma reminiscência da maneira como essa música foi tocada ao vivo. Eu acho que é ponto mais importante."

Esta versão não é um take radicalmente diferente da versão original, mas é um pouco mais polida e mostra como a música foi desenvolvida à partir de quando passou a ser tocada ao vivo.


quarta-feira, 15 de novembro de 2017

A entrevista de Bono e Adam Clayton no backstage do LOS40 Music Awards


"Estou muito feliz de compartilhar este palco com este cara incrível, que está conosco desde que começamos o U2, com 16 anos de idade." Bono sobre Adam Clayton no LOS40 Music Awards.

Antes de receberem um prêmio no LOS40 Music Awards na Espanha, Adam Clayton e Bono deram uma entrevista nos bastidores para Uri Sabat.
Bono começou dizendo: "Não existe nada mais emocionante do que ouvir uma canção no rádio. É incrível."
O entrevistador diz que a dupla tem um visual incrível, que não é só a música da banda que é marcante, mas também o jeito deles de ser, as roupas que usam, que tudo isso marcou não só uma geração, mas como muita gente.
Adam brinca: "Temos tentado estar sempre atentos com os modelos de calças do momento. Se tem algo que aprendemos ao gravar discos, é sobre os modelos das calças!"
Uri Sabat então diz que hoje, eles fazem um show em um estádio, e as pessoas estão com seus telefones celulares fazendo fotos e vídeos, e pergunta se a banda preferia que ainda fosse os tempos dos isqueiros para o alto, em vez de telefones celulares.
Bono responde: "Não, qualquer coisa que façam é legal. O rock n roll significa liberdade não é? Liberdade para ser o que quiserem, para fazer o que quiserem. As vezes quando você está cantando com o coração e você vê os celulares registrando, é ótimo. Outras vezes, não é o momento certo, e creio que o nosso público sabe quando se deve fazer isso."
Sobre os novos artistas, Bono diz: "Kygo é o melhor. Temos trabalhado com ele".
Adam: "EDM (Electronic Music Dance) é uma versão do que aconteceu para nós nos anos 90. Nós sempre gostamos da dance music."
Bono: "A banda que mais admiramos é o The Beatles. Eles queriam ser tudo. Eram uma banda de heavy metal, uma banda POP, uma banda Avant-Garde. Eles faziam poesia. E nós queremos tudo também para nossa música, e estamos muito felizes de estar no LOS40 Music Awards porque ele mescla todo tipo de música."
Sobre 'Songs Of Experience', Adam diz: "É a segunda parte de um disco formado por dois álbuns, baseados nas poesias de William Blake. Songs Of Innocence e Songs Of Experience. Fizemos a primeira parte, e agora lançaremos esta segunda parte e esperamos que faça sentido."
Bono: "A coisa mais bonita deste disco é que muitas canções são como cartas. Nossos fãs, família, filhos, amigos. Há uma para a América, porque estamos muito preocupados com o que está acontecendo lá. Queremos deixar muito claro o que estamos sentindo. É um disco de pensamentos e sentimentos muito claros."

Blog U2 Sombras e Árvores Altas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...