Anúncios

Ainda Não Encontrou O Que Procura? Pesquise Aqui!

quinta-feira, 30 de julho de 2009

U2 e a paródia de 'O Poderoso Chefão' - Vídeo

Em 1987, o U2 gravou nos EUA uma mensagem de agradecimento na "WEA Sales Convention", para os promotores e vendedores do álbum 'The Joshua Tree'. O vídeo era uma paródia do filme 'O Poderoso Chefão'.
O filme original, 'The Godfather'; é um épico do cinema, que conta a saga da família Corleone.
Comandada pelo respeitado Don Vito Corleone (Marlon Brando), a família mafiosa controla os negócios ilegais na Nova York dos anos 40 e 50, em constantes conflitos com outras famílias e dons.
-------------------------
Vídeo:

O stress de Bono em uma apresentação na Vertigo Tour

Em 8 de Outubro de 2005 o U2 tocou no MSG Garden, pela turnê Vertigo.
Durante 'Sunday Bloody Sunday', uma fã que estava bem na frente de Bono, iniciou uma conversa em um telefone celular; algo que estranhamente irritou o sempre amigável e defensor da paz, Bono; que achou a atitude da fã uma falta de respeito.
Em um ato incomum e até grosseiro, Bono gesticulando, disse no microfone para a garota: 'Abaixe essa porra de celular, você está em um concerto de rock'.
E ainda irritado com a situação, ironizou ao simular uma conversa da garota ao celular, dizendo: "Oi mamãe, aqui estou eu te ligando em Sunday Bloody Sunday''.
Realmente houve uma falta de respeito sim. De Bono com a garota, claro..........
---------------------------
Trecho da bronca:

Vídeo com duas perspectivas:

Angel Of Harlem - Compacto




Compacto de Angel Of Harlem, lançado pela Island Records em 1988. Vinil de 7 polegadas, importado, Catálogo: IS 402. UPC: 5 014474 040276. Raridade

Commercial Release: December, 1988
Record Label: Island Records
Top Chart Position - US: 14, Canada: 15, UK: 9
Album: Rattle and Hum (1988)


Angel of Harlem (Remix) (3:47)
A Room at the Heartbreak Hotel (5:29)


Angel of Harlem (Remix): Words by Bono. Music by U2. Produced by Jimmy Iovine. Recorded by Cowboy Jack Celment and Dave Ferguson. Additional recording by Dave Tickle. Remixed by Shelly Yakus. Assisted by Rob Jacobs and Randy Wine. Organ by Joey Miskulin. Horns by the Memphis Horns.
A Room at the Heartbreak Hotel: Words by Bono. Music by U2. Produced by Jimmy Iovine and U2. Recorded by Dave Tickle. Additional recording and brass by Paul Barrett. Assisted by Ian Bryan and Willie Mannion. Mixed by Paul Barrett. Backing Vocals: Maxine Waters and Julia Waters.

Apesar de ser citada como uma versão Remix em algumas versões do single e em outras versões não, a canção Angel Of Harlem é basicamente a mesma encontrada no álbum Rattle And Hum.
O que difere a versão do single para a versão do álbum, é uma leve mixagem no áudio para os singles, deixando o volume mais alto.
Foi realizada uma edição na parte dos instrumentos de sopro, para se tornar mais alta a mixagem final da canção.
A Room at the Heartbreak Hotel é o Lado B do compacto. É a versão mais longa da canção, que teve uma versão editada incluída no CD de B Sides da coletânea The Best Of U2 1980 - 1990.
A canção é uma menção à música Heartbreak Hotel, gravada por Elvis Presley, tanto que a foto no Lado B do compacto do U2 traz a foto de Elvis estampada.
Bono disse sobre Elvis: "Elvis Presley é o Big Bang do Rock'n'Roll, o começo de tudo".
Mas ninguém na banda é mais fã de Elvis do que Larry Mullen. Ele batizou seu primeiro filho, Aaron Elvis, em homenagem ao cantor.
Em uma cena emblemática do longa "Rattle and Hum", o registro cinematográfico da conquista da América pelo U2; Larry relata a importância de Elvis Presley para sua carreira. Em um depoimento emocionado, o músico conta que escolheu essa profissão por causa de Elvis. A câmera acompanha o passeio de Larry e Bono por Graceland. A cena termina com Larry observando o túmulo de Elvis. Ao fundo, começa a tocar "Bad", canção composta para um amigo de Bono que morreu de overdose de heroína.

Angel Of Harlem é uma canção escrita pelo U2 em 1987 (durante a turnê Joshua Tree), para a cantora Billie Holiday. A canção foi gravada nos dois dias em que o grupo esteve no Sun Studios, quando trabalharam com Cowboy Jack Clement.
Eleanora Fagan, ex-prostituta e ex-presidiária; começou a cantar em 1930, em um bar no bairro do Harlem, em Nova York. Influenciada por artistas como Louis Armstrong e Bessie Smith, Billie chegou a se apresentar com as orquestras de Artie Shaw, Duke Ellington e Count Basie. A cantora também gravou ao lado do ídolo Louis Armstrong. O seu principal parceiro, no entanto, foi Lester Young, que, inclusive, a apelidou de "Lady Day". A estréia fonográfica de Billie Holiday aconteceu em 1933, em um álbum de Benny Goodman. A cantora colocou voz em apenas duas canções ("Your Mother's Son-In-Law" e "Riffin' The Scotch"), mas foi o suficiente para que as pessoas - fora do circuito de bares do Harlem - começassem a prestar atenção. Após, ela cantou com o grupo do pianista Teddy Wilson, antes de gravar discos no seu nome, e com canções compostas por ela própria, como "Billie's Blues" e "Everything Happens For The Best"."Lady Day" lançou discos através das gravadoras Columbia, Commodore Records (na qual gravou o sucesso "Strange Fruit"), Verve e Decca, sendo que, nesta última, gravou o clássico "Lover Man", em 1944, quando tinha 29 anos de idade. Três anos depois, ela foi presa por posse de drogas, e, após ser solta, voltou a regravar o sucesso "Solitude", que já havia ganhado registro em sua voz, na década de 30, ao lado de Teddy Wilson. Em 1948, foi a vez de "I Loves You Porgy", pérola do repertório dos irmãos George e Ira Gershwin. No mesmo ano, Billie Holiday fez um histórico show no Carnegie Hall de Nova York, mas que, infelizmente, não foi gravado. A sua última gravação aconteceu em 1950. Após, a cantora fez alguns shows esparsos, inclusive dois no Carnegie Hall, em 1956, e que foram lançados em CD pela gravadora Verve.Entretanto, a carreira de Billie Holiday durou pouco. A cantora era viciada em álcool e drogas, o que acabava por afetar a sua voz. "Lady Day", o "Anjo do Harlem", morreu em 1959, em decorrência de uma cirrose hepática.

terça-feira, 28 de julho de 2009

Brothers (2009) - U2/Cinema

O filme contará a historia de um homem que vai para a guerra do Afeganistão e é declarado desaparecido e morto. Seu irmão, ovelha negra da família, passa a cuidar então da esposa do soldado. Tobey Maguire (Homem-Aranha) vive o militar e Jake Gyllenhaal (Brokeback Mountain) interpreta seu irmão e “marido” substituto para a personagem de Natalie Portman (V de Vingança, Perto Demais). Refilmagem da produção dinamarquesa assinada pela diretora Susanne Bier.
Com estréia marcada para 4 de Dezembro de 2009 nos EUA, o trailer do filme toca a canção Bad, do U2, lançada no álbum The Unforgettable Fire em 1984.
-----------------------------
Trailer:

Curiosidade: A canção que foi cotada para fazer parte do filme Brothers inicialmente foi 'Winter', canção do U2 que ficou de fora do álbum 'No Line On The Horizon', e que só é encontrada no filme Linear, de Anton Corbjin.
Não se sabe ainda se a canção estará ou não no filme.

Por dentro da tela LED de 360º e 74 toneladas do U2

A última criação da banda não foge à regra: uma épica e mutante peça central de LED com 74 toneladas para um show que já não faz feio no campo da tecnologia. Baseada na Esfera de Hoberman, a rede trançada de alumínio, 25km de cabos e 888 telas de LED é composta de mais de um milhão de peças diferentes e 500.000 pixels RGB. Totalmente expandida, a monstruosidade do tamanho de um prédio de sete andares engole a banda em um espaço de mais de 1.150 metros quadrados. Ela é montada em apenas oito horas e vai acompanhar a banda por 18 meses em sua turnê.O verdadeiro crédito vai mesmo é para a equipe de design, que consiste em Willie Williams, Mark Fisher, Frederic Opsomer e Chuck Hoberman (pelo conceito); sem contar o pessoal do Innovative Design, da Barco e da Hoberman Associates.As duas grandes torres são parte da "Garra", que suporta a estrutura durante o show. Maior ainda, e apenas parcialmente visivel nas imagens, é o ego do Bono, cujo imenso tamanho ainda não é totalmente mensurável.
----------------------------------------
The Unforgettable Fire

City Of Blinding Lights

360° (Dublin,Croke Park) - Vídeos

O bom filho à casa torna, e o U2 voltou para mostrar em 3 noites na sua terra natal, a nova turnê 360°.
Na primeira noite, em tributo ao cantor Irlandês Ronnie Drew, Bono e The Edge tocaram uma versão acústica da antiga canção Irlandesa, 'The Auld Triangle'.
Stuck In A Moment e Desire também foram tocadas no set acústico, e One foi tocada na primeira parte do show.
Until The End Of The World e Bad continuaram no setlist, e em Sunday Bloody Sunday; foi exibido um vídeo de manifestantes da pró-democracia no Irã.
Ultraviolet (Light My Way) foi modificada, ganhando uma introdução estilo ficção científica com um poema de Wystan Hugh Auden.
Uma voz robótica diz: stop all the clocks, cut off the telephone, prevent the dog from barking with a juicy bone. He was my North, my South, my East and West, my working week and my Sunday rest, my noon, my midnight, my talk, my song. I thought that love would last forever: ‘I was wrong’. The stars are not wanted now, put out every one; pack up the moon and dismantle the sun.
Na segunda noite, a banda resolveu modificar o setlist. Bad e Until The End Of The World saíram do set, One voltou a ser tocada no final do show e retornaram ao set as canções Mysterious Ways (com dedicação para a cantora Irlandesa Sinead O Connor), Unknown Caller, Angel Of Harlem e I Still Haven't Found What I'm Looking For.
Na terceira noite, uma surpresa: pela primeira vez nessa turnê, New Year's Day.
Stay (Faraway, So Close) foi tocada pela segunda vez na turnê. Em Walk On, Bono anunciou Aung San Suu Kyi como a mais nova 'Embaixadora da Consciência da Anistia Internacional'.
E ao final do show, um boato surgiu em uma publicação de um jornal Inglês: foi o show de despedida da banda em Dublin, sua terra natal.
Dizem que a banda não voltará à tocar em sua cidade.
Será esta a última turnê mundial do U2?
---------------------
Vídeos:









segunda-feira, 27 de julho de 2009

Shine Like Stars, o segmento de With Or Without You

No ano de 1987, o U2 lançou a canção With Or Without You, que se tornou número 1 nas paradas rapidamente.
A música foi tocada pela primeira vez ao vivo no segundo show da turnê The Joshua Tree, em 4 de abril de 1987.
Uma característica do U2 é introduzir em canções que eles tocam ao vivo, trechos de canções que eles gostam ou que tem algo haver com o ritmo ou a letra da canção tocada.
Nesta tour, Bono em vez de cantar um trecho de uma canção já existente, preferiu criar um trecho como extensão para a canção; dando um toque especial para a já belíssima 'declaração de amor' do álbum The Joshua Tree.
O segmento ''we'll shine like stars in the summer night/we'll shine like stars in the winter light/one heart, one hope, one love'' começou a ser introduzido no final da letra original; e se tornou a versão predileta dos fãs da banda.
No longa Rattle And Hum, lançado em 1988; a versão ao vivo de 'With Or Without You' contém o trecho extra conhecido como 'Shine Like Stars'; e é sem dúvida a melhor versão ao vivo da canção tocada até hoje.
Na performance irretocável do U2, Bono aparece no palco com cabelos presos, colete de couro e a guitarra virada para as costas; como vemos ele no vídeo original da canção. De 1987 para cá o U2 em alguns shows ainda utiliza o snippet 'Shine Like Stars'.

Curiosidade: em algumas versões de With Or Without tocada ao vivo, Bono usou uma variação do trecho, cantando: 'We'll shine like stars in the summertime/We'll shine like stars in the silver light/We'll shine like stars and it'll be alright'.
---------------------------------------------
Vídeo:

A segunda versão para o videoclipe de I'll Go Crazy If I Don't Go Crazy Tonight

I'll Go Crazy If I Don't Go Crazy Tonight, do mais recente álbum de estúdio do U2; já tem uma segunda versão do videoclipe da canção.
Depois do videoclipe em animação dirigido por David O'Reilly , a banda mostra agora uma versão ao vivo do clipe, gravada na segunda noite dos shows da turnê 360°, em Barcelona.
A banda, que vem tocando uma versão remixada da canção em seus shows, tocou exclusivamente a versão normal da canção na noite de gravação do clipe em Barcelona, justamente para a montagem do vídeo.
Além da performance ao vivo, foram gravadas cenas separadas de bastidores com Bono, The Edge, Larry, Adam e depois de todos integrantes juntos.
O vídeo utiliza o áudio original da canção com o som ao vivo do público, e mostra a banda tocando a canção e um resumo do que é a turnê 360°.
Na entrada da pista para os shows em Barcelona haviam cartazes informando a gravação dos shows.

----------------------------
Vídeo:

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Larry Mullen Jr Motorcycle Safety Commercial - Vídeo

Comercial com Larry Mullen para a Motorcycle Safety Foundation, provalmente do final dos anos 80/começo dos anos 90.
------------------------------
Vídeo:

quarta-feira, 22 de julho de 2009

When Will I See You Again, o snippet tocado pelo U2 na Elevation Tour

Em 2001, durante a Elevation Tour; o U2 em 15 shows tocou um trecho da bela canção 'When Will I See You Again', da banda The Three Degrees.

When will I see you again
When will we share precious moments
Will I have to wait forever
Or will I have to suffer night through
When will I see you again
--------------------------------------
Vídeo:

360º (Berlim e Amsterdam) - Vídeos

O U2 se apresentou nas cidades de Berlim e Amsterdam dando sequência à turnê 360º, e apresentaram novidades no setlist dos shows.
Em Berlim, o U2 tocou pela primeira vez nessa tour uma versão acústica da canção Stay (Faraway, So Close!).
E na segunda noite dos shows de Amsterdam, mudanças significativas: Unknown Caller e The Unforgettable Fire não foram tocadas. E apareceram pela primeira vez na turnê as canções Elevation, Until The End Of The World e Bad.
Outra curiosidade é que One, que estava sendo tocada no bis, antes da música final; agora foi tocada na primeira parte do show.
------------------------------
Vídeos:




O videoclipe de I'll Go Crazy If I Don't Go Crazy Tonight

Foi lançado o videoclipe para o terceiro single do mais recente álbum do U2.
O vídeo é uma animação criada pelo artista irlandês David O’ Reily, realizador do premiado curta 'Please Say Something' (vencedor do Urso de Ouro em 2009), ilustrador do filme 'Son Of Rambow' (Um Novo Herói) e animador de várias sequências do filme 'Guia do Mochileiro das Galáxias'.
A animação utiliza-se da letra para criar histórias paralelas de vários personagens que decidem mudar o rumo de suas vidas.
O videoclipe foi exibido pela primeira vez via VidZone, um aplicativo para PlayStation 3 que transmite streaming de vídeos musicais.
-------------------------

sexta-feira, 17 de julho de 2009

A noite em que o U2 recebeu Axl Rose no palco da ZooTV

O U2 fez um show em Vienna, Austria; no dia 24 de maio de 1992. Foi o primeiro show deles naquele país, e também o primeiro show ao ar livre que eles faziam desde 1989.
O fato que tornou esse show marcante foi a participação de Axl Rose do Guns 'n' Roses, que se juntou à banda no palco para fazer um dueto com Bono em uma versão acústica de "Knockin' On Heaven's Door", canção de Bob Dylan que o U2 tocava em alguns shows, e que tinha sido gravada pelo Guns para o álbum Use Your Illusion.
No dia anterior, o Guns tocou no estádio Donau Insel e o U2 estava na platéia.
Como retribuição, o Guns foi prestigiar o show do U2 um dia depois, e então foi feito o convite para Axl fazer uma participação no show da banda.
************************************
A história do Guns N' Roses começa nos idos de 1983 quando o vocalista W. Axl Rose deixa a banda Rapid Fire para montar uma nova banda com seu amigo de infância Izzy Stradlin. A banda formada pela dupla se chama Rose, que logo é renomeada para Hollywood Rose. Contava com W. Axl Rose (vocais), Izzy Stradlin (guitarra), Chris Weber (guitarra), Rick Holland (baixo) e Johnny Kreiss (bateria). A nova banda consegue algum destaque nos subúrbios de Los Angeles, com muitas composições próprias (que futuramente seriam tocadas pelo Guns n' Roses) como "My Way, Your Way" (Anything Goes), "Wreckless" (Reckless Life) e "Shadow Of Your Love". O último show do Hollywood Rose aconteceu na virada do ano de 1984/1985. Após isso a banda se dissolveu.
Assim, ao início de 1985, os ex-membros do Hollywood Rose, Axl Rose e Izzy Stradlin (Guitarra Base), se juntam a três ex-membros de outra banda recém dissolvida: Tracii Guns (Guitarra Solo), Ole Beich (Baixo) e Robbie Gardner (Bateria) da banda L.A. Guns. Com a junção dos membros e dos nomes das duas bandas, surge o Guns n' Roses. Essa formação porém se apresentou apenas uma única vez, em março de 1985. Após esse show, Ole Beich foi substituído por Duff McKagan.
Com essa formação (Axl, Tracii, Izzy Stradlin, Duff e Robbie), a banda fez mais alguns shows até a metade de 1985, quando a banda sofreu novas alterações: Tracii Guns e Robbie Gardner saíram da banda. Duff McKagan convidou seus antigos parceiros de Road Crew, o guitarrista Slash e o baterista Steven Adler para seus lugares. Nascia assim a formação mais conhecida da banda Guns N' Roses.
A estréia nos palcos da nova formação aconteceu em 6 de Junho de 1985, no conhecido Troubador em Hollywood. Após isso, a banda seguiu para Seattle onde teve a sua turnê de estréia, conhecida por Hell Tour. Sobre esta turnê do Guns, pode-se afirmar que foi um fracasso, logo no primeiro show, o público foi inferior a 2.000 pessoas, fazendo com que a banda vendesse parte do equipamento para voltar para casa.
Em 1986, lançaram um EP independente, Live ?!*@ Like a Suicide. Uma das poucas cópias desse EP acabou na gravadora Geffen Records, que decidiu assinar um contrato com a banda.
Em 1987, com a Geffen na retaguarda da banda, o Guns começa a editar seu primeiro álbum. Nos primeiros meses de 1987, a banda passava por aquela árdua rotina (sexo, drogas, e muito hard rock em suas veias). Axl inclusive gravou sons pornográficos para colocar na música "Rocket Queen".
No dia 16 de Julho de 1987, Appetite for Destruction foi lançado. Foi aclamado pela crítica, mas o álbum e seu primeiro single, "Welcome to the Jungle", ficaram um bom tempo sem muita exposição - até que David Geffen pediu a MTV para transmitir o videoclipe da música. Apesar de inicialmente passar apenas de madrugada, logo o vídeo se tornou um dos mais requisitados da emissora. O segundo single, "Sweet Child O' Mine", foi ainda mais bem-sucedido, e quando o terceiro, "Paradise City", foi lançado, o álbum já tinha alcançado o topo das paradas. Appetite se tornou o álbum de estréia de uma banda, com cerca de 28 milhões de cópias.

O Guns começou então a abrir shows para grandes bandas como o Iron Maiden, Rolling Stones e Aerosmith, mas à medida em que as vendas de Appetite cresciam, partiram para uma turnê mundial sendo eles os cabeças-de-cartaz de muitos concertos.
Na turnê o comportamento dos membros atraía a mídia: Duff, Slash e Steven entravam no palco freqüentemente sob efeito de drogas ou álcool, e o guitarrista muitas vezes entrava no palco amparado e desmaiava ao final dos shows. Um show em Castle Donnington, Inglaterra, no festival Monsters of Rock, teve um acontecimento trágico, quando dois fãs morreram acidentalmente pisoteados. Todos os acontecimentos nos seus concertos deram ao grupo o apelido de "A banda mais perigosa do planeta".
O lançamento seguinte foi G N' R Lies, em 1988, que incluía as quatro músicas de Live ?!*@ Like a Suicide e mais 4 canções acústicas. O álbum fez sucesso, chegando ao #2 (O Top 1 era o álbum anterior) da parada da Billboard, vendendo 5 milhões de cópias nos EUA e 12 milhões mundialmente, e teve dois hits: "Patience" e "Used to Love Her".

Porém uma das músicas, "One in a Million", que mencionava "niggers" (negros) e "faggots" (bichas), causou polêmica, e Axl Rose foi acusado de racismo e homofobia. Rose negou, dizendo que era fã de homossexuais como Freddie Mercury (Queen) e Elton John, e, além disso, Slash era filho de uma negra.
O mau comportamento de alguns membros levou a gravadora a pedir imediatamente mudanças de comportamento. Os membros começaram a tratar-se dos seus vícios após Axl Rose ameaçar sair da banda ou demitir membros se estes continuassem à abusar do alcool e das drogas.
Em 1990, a banda começou a gravação de seu próximo álbum. Durante a gravação de "Civil War", Steven Adler não conseguia tocar bateria de tão chapado que se encontrava com cocaína e heroína, com mais de 30 takes sendo necessários.[6] Em julho daquele ano, Adler foi demitido e substituído por Matt Sorum dos ingleses The Cult. O tecladista Dizzy Reed (que foi colocado na banda por indicação de Axl Rose, Dizzy passava por dificuldades financeiras na época) também se uniu à banda e o empresário foi trocado.
Em janeiro de 1991, a banda tocou para o público que até então conseguiu reunir: 140 mil pessoas no dia 20 de janeiro e 120 mil no dia 23, no festival Rock in Rio 2 realizado no estádio Maracanã, Rio de Janeiro. Foram os concertos que marcaram as estréias de Sorum e Reed]na banda, o GN´R já encabeçava uns dos maiores shows e festivais da epóca . Em maio do mesmo ano, teve início a turnê mundial dos álbuns Use Your Illusion (que seriam lançados meses depois), começando pela cidade americana de East Troy, Wisconsin, com a turnê durando 28 meses, com 196 shows em 32 países. A banda Skid Row abriu os shows.
Em 1991, depois de um grande período de gravação, finalmente em setembro, foi lançado os álbuns duplos Use Your Illusion I e Use Your Illusion II.

As vendas no dia 17 de setembro foram de quase 1 milhão de cópias, e os dois álbums conseguiram a primeira e segunda posição na parada da Billboard. Acompanhados de muitos singles, alguns com videoclipes superproduzidos como "Don't Cry", "Estranged" e "November Rain".

Para Don't Cry foram produzidas duas versões, uma delas lançada no álbum Use Your Illusion I, e a outra lançada no álbum seguinte, Use Your Illusion II, com uma letra alternativa.

Tudo deu certo para Slash, que passou um ano fora tocando com grandes nomes como Bob Dylan, Michael Jackson, Iggy Pop e Lenny Kravitz . Mas longe de se tornar uma estrela menor do cenário, ele preferiu a química do Guns. "Se não fosse Axl, eu poderia estar ainda procurando um cantor", ressaltou. "Sair do nada e chegar a tal ponto foi uma grande virada na minha cabeça. Agora que aconteceu, e nós conseguimos nos manter juntos, eu não acredito que teremos esse tipo de problema de novo".
Em novembro de 1991, Izzy Stradlin saiu da banda. Axl e Slash elegeram o guitarrista Gilby Clarke (ex-Kill For Thrills) como seu substituto (no entanto Izzy Stradlin' acabaria por voltar em alguns espetáculos após Clarke sofrer um acidente de moto e quebrar o pulso).
A banda continuou causando tumultos, como num show em St. Louis, Minnesota, em que Axl abandonou o palco após brigar com um espectador com uma câmera, que tirava fotos ajustando o flash diretamente para seus olhos. Acabou por gerar centenas de feridos e um processo de milhões de dólares e alguns dias de cadeia para Axl Rose. Outro acontecimento em Montreal, em que a banda abandonou o palco após apenas 9 músicas por problemas de áudio, a atitude gerou revolta - carros quebrados e incêndios. Axl também arrumou atritos generalizados com a imprensa musical dos EUA e Inglaterra, chegando a citar na música "Get in the Ring" os nomes de vários jornalistas (e as revistas em que eles trabalhavam) com quem ele gostaria de brigar.
A turnê Use your Illusion World Tour passou no Brasil em Dezembro de 1992 com 2 shows em São Paulo e um no Rio de Janeiro, e terminou em Julho de 1993 em Buenos Aires, Argentina. Foi o último show da banda com Slash, Duff, Sorum e Clarke.
Em 1993, a banda lançou The Spaghetti Incident?, um álbum de covers (principalmente de punk rock), com recepção "boa" do público e ruim da crítica para época. Uma canção escondida de autoria do conhecido serial killer Charles Manson, "Look at Your Game Girl" fora incluída a pedido de Axl, causando polêmica tanto pública quanto interna. The Spaghetti Incident? vendeu mais de 10 milhoes de cópias, e o single "Since I Don't Have You" (cover da banda The Skyliners) foi sucesso em todo o mundo.

Em 1994, Axl é processado por agressão pela sua ex-esposa e pela sua ex-namorada Stephanie Seymour. Também em 1994, Gilby Clarke pede demissão da banda por Axl Rose e Slash não aceitarem suas composições. Paul Tobias entrou para o seu lugar, ficando claro o descontentamento de Slash sobre o novo guitarrista. A última música com o guitarrista foi um cover de "Sympathy For The Devil", dos Rolling Stones, para o filme Interview with the Vampire. Em 1995, Slash se demitiu e começou um projeto chamado Slash's Snakepit, com músicas rejeitadas por Axl para o álbum que sucederia The Spaghetti Incident?.
Em 1996, Matt Sorum foi demitido e no ano seguinte, Duff McKagan saiu da banda, tornando Axl o único integrante original.

Era o fim do verdadeiro Guns N Roses..........

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Dove Of Peace, a canção com participação de Bono - Áudio

Bono, Slash, Sting, Elton John, Chris Martin e outros juntaram-se a Sacha Baron Cohen para criar uma paródia às canções beneficentes como "Do They Know It's Christmas" do Band Aid.
"Dove of Peace (Pombo da Paz)" foi gravada em parte no Abbey Road Studios de Londres e a canção vai promover "Bruno", o mais recente projeto do criador de Borat e Ali G, onde o ator interpreta um repórter de moda austríaco homossexual.
A canção evidencia o tipo de preocupação do repórter de moda pelo continente africano. Chris Martin e Bono mostraram senso de humor ao participarem dessa sátira em um tipo de projeto que eles próprios já abraçaram: Bono foi um dos integrantes do Band Aid, em 1984, e também da versão 2004 do mesmo Band Aid, que Chris Martin também participou.
E Bono faz uma participação no final do filme.
-------------------
Trecho da aparição de Bono e a canção 'Dove Of Peace':

360° (Itália e França) - Vídeos

Depois de iniciar a nova turnê em Barcelona, o U2 deu continuidade à 360° World Tour, com shows na Itália e França.
Pequenas mudanças ocorreram no setlist.
Abaixo, os vídeos das novidades, incluindo uma versão de Vertigo com uma introdução de um alarme nuclear, tocada na segunda noite na França.
E também a apresentação de Party Girl, com a aniversariante e filha de Bono, Eve; no palco.
------------------------------
Stuck In A Moment (Acoustic):

Party Girl:

Vertigo (with Nuclear Allarm):

Mysterious Ways:

Electrical Storm:

I Still Haven't Found / Stand By Me:

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Filmes em que Bono (e U2) são citados

No filme Busca Implacável, Liam Neeson é Bryan Mills, um ex-agente da CIA que se vê numa grande enrascada depois que sua filha de 17 anos, Kim (Maggie Grace, da série "Lost"), é sequestrada.
Atualmente, ele ganha a vida como segurança e a garota vive com a mãe e o padrasto. Ela quer passar férias na Europa, acompanhando a turnê do U2, mas como sabe que o pai não consentirá, mente e diz que irá apenas para Paris.
Ao desembarcar na capital francesa, Kim e uma amiga acabam sequestradas por uma quadrilha. Mas, antes de ser levada, a menina consegue telefonar para o pai e lhe passa pistas valiosas.
Com a experiência adquirida na CIA, o serviço de espionagem americano, Bryan parte para a França em busca da filha. Lá, com a ajuda de antigos colegas do serviço de espionagem, descobre que a moça foi capturada por albaneses que lucram com o tráfico de mulheres para prostituição. Ele terá apenas 96 horas para recuperar Kim.
No filme 'O Atirador', o personagem de Mark Wahlberg vai trocar uma gravação em áudio por uma moça que está sequestrada. Ele diz que quer alguém de confiança para intermediar a troca, então diz que pode ser 'aquele cara de óculos do U2 que é amigo do Nelson Mandela'. O parceiro dele espantado diz: O Bono? Você quer que tragam o Bono aqui?. Cena 'O Atirador':

domingo, 12 de julho de 2009

Space Oddity: o prenúncio para o U2 iniciar os shows da turnê 360º - Vídeo

Antes do U2 subir ao palco para os shows da '360º Tour', os alto-falantes dos estádios tocam "Space Oddity", de David Bowie.
A canção escolhida para tocar nos sistemas de som, antes do apagar das luzes na nova tour do U2; foi lançada em 1969, no álbum de mesmo nome. O disco 'Space Oddity' foi o segundo álbum da carreira de David Bowie.
A canção foi composta exclusivamente por Bowie e foi produzida por Gus Dudgeon.
O single alcançou a quinta colocação na parada britânica, e ainda faturou um prêmio Ivor Novello, no mesmo ano. Na gravação, Bowie foi acompanhado por Herbie Flowers (baixo), Terry Cox (bateria) e Rick Wakeman (teclados e piano).
A letra fala sobre um astronauta chamado Major Tom.
Ela foi tocada pela emissora BBC, durante a cobertura da chegada do homem à Lua, nove dias após o lançamento do single. Major Tom ficou tão marcado na carreira de David Bowie, que foi revisitado novamente nas músicas "Ashes to Ashes" e "Hallo Spaceboy".
Em 1975, "Space Oddity" foi relançado em single.
Completando agora 40 anos da gravação da música, um novo single da canção será lançado em comemoração.
--------------------------------
Vídeo:

sábado, 11 de julho de 2009

Kingdom, a possível canção inédita do U2 - Áudio

O setlist do novo show do U2 mostra a canção creditada como 'Kingdow: Intro'

A canção que o U2 está utilizando como introdução dos shows da recém iniciada turnê '360°', vem chamando a atenção dos fãs da banda.
Tudo porque a música tocada no sistema de som dos estádios traz a voz de Bono e possivelmente de Gavin Friday, e ao que parece é uma canção inédita das gravações do álbum No Line On The Horizon, que poderá ser incluída no próximo álbum da banda, 'Songs Of Ancent', à ser lançado no ano de 2010.

Um preview de 2 minutos e 22 segundos da canção creditada ao U2 em parceria com Gavin Friday, surgiu na internet com o título de 'Kingdom', e também alguns sites citam a canção como 'Kingdom Of Your Love'.
/////////////////////////////////////////
A letra:
Soul (repeats)
Sing yourself on down the street
Sing yourself right off your feet
Sing yourself away from victory and from defeat
Sing yourself with fife and drum
Sing yourself to overcome
The thought that someone’s lost and someone else has won
--------------------
Áudio:

domingo, 5 de julho de 2009

A versão renegada do videoclipe de Get On Your Boots

Alguns dias antes da estréia oficial para o primeiro videoclipe do novo álbum do U2, intitulado 'No Line On The Horizon'; fotos do que seria o possível videoclipe de Get On Your Boots vazaram na internet.
Quando o vídeo oficial estreou, o fundo animado utilizado não era o mesmo mostrado nas fotos. As animações eram bem diferentes.
Então o que se entendeu foi que essas fotos eram apenas demarcações do diretor Alex Courtes para o clipe.
Mas 6 meses após isso, o segredo foi revelado: o diretor Martyn Pick no início foi o escolhido para dirigir o videoclipe de Get On Your Boots. Ele gravou a banda num fundo verde e fez uma animação para ser inserida atrás da banda. Só que ao que parece, Larry Mullen não ficou contente com o resultado da animação, e o videoclipe foi descartado.

A banda convidou o diretor Alex Courtes para realizar uma nova animação para o vídeo.
Utilizando a mesma gravação da banda no fundo verde, Alex Courtes idealizou uma nova animação, que foi aprovada, tornando assim o vídeo dele o oficial para a música.
E aqui está a primeira versão renegada do diretor Martyn Pick para o videoclipe de Get On Your Boots:

-------------------------
Renegade Version:

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Blackberry Loves U2: teaser do site

A nova turnê do U2 (360° World Tour) está sendo patrocinada pela Research In Motion, fabricante do Blackberry.
O BlackBerry é um aparelho celular que possui funções de editor de textos, acesso à Internet, e-mail e tecnologia IPv6. O aparelho utiliza o serviço de e-mail da Research In Motion (RIM). É o aparelho que deu origem à categoria dos smartphones.
Bono comentou sobre isso: “Estou muito empolgado com isso. A RIM nos dará o que a Apple não daria — acesso aos seus laboratórios, contato com seus empregados e uma maneira de criarmos algo realmente espetacular.”
Talvez Bono esteja desenvolvendo com a RIM, porque um website teaser chamado 'Blackberry Loves U2' foi lançado logo após o show de estréia da banda na nova turnê.
O endereço do teaser: http://na.blackberry.com/eng/u2/
--------------------
Vídeo:

As duas primeiras noites da turnê 360° (Barcelona) - Vídeos

O cenário de “360º”, da turnê mundial que o U2 abriu no estádio Camp Nou, em Barcelona, na noite de 30 de Junho e que se seguiu em um segundo show na noite de 02 de Julho, é mesmo impressionante, além de inédito. Abaixo das já famosas quatro “patas” de 50 metros de altura, cobertas por um tecido verde e enormes botões laranja e do telão de alta definição, um palco em forma de picareta é a base do quarteto irlandês. E é do interior deste mesmo palco que os músicos surgem, para ao longo do evento se deslocarem, em diferentes momentos e com ajuda de duas pontes móveis, por uma passarela circular que delimita a área VIP do público. A bateria de Larry Mullen Jr. gira sobre seu próprio eixo para que ele e seus companheiros mudem de lado e toquem algumas canções de frente para as arquibancadas de trás (daí o conceito dos 360 graus).O conjunto da obra lembra mesmo uma nave espacial, como vinham destacando relatos prévios à estréia (os mesmo que apontam custos estratosféricos de US$ 100 milhões para a turnê). Um cartão de visita de impacto que a tradição de megaconcertos iniciada por Bono e companhia há duas décadas, quando se tornaram um dos maiores nomes do planeta pop, não poderia deixar de garantir aos seus seguidores. No entanto, justamente pelo fato da banda já ter posto em prática quase todo tipo de ideia para suas performances, as grandes surpresas param por aí. Para o mal ou para o bem, fica difícil para os astros de Dublin escapar dos próprios clichês que criaram. O roteiro do show, que incluiu 22 canções, é apenas uma atualização do que a banda faz desde que, com a célebre “Zoo TV”, realizada entre 1992 e 1993, mergulhou de cabeça no uso de recursos tecnológicos do showbiz e entrou definitivamente para o ramo das megaturnês multimilionárias – a expectativa é de que esta supere a anterior, “Vertigo”, de 2005 e 2006, rentável em quase US$ 400 milhões.
O repertório traz 7 canções novas, extraídas do recente álbum “No Line On The Horizon”, e hits de todas as outras fases dos 30 anos de estrada.
O U2 prometeu tocar canções que eles nunca tocaram ao vivo até hoje, e também prometeram ressuscitar canções que eles não estavam tocando nas turnês mais recentes.
Um dia antes da noite de estréia, a banda fez um ensaio geral para centenas de fãs e amigos da banda no Camp Nou, onde tocaram o set completo e mostraram o funcionamento das luzes, telão, e tudo mais. E as surpresas já aconteceram nesta apresentação: Ultraviolet (Light My Way) foi tocada ao vivo depois de 16 anos, e The Unforgettable Fire foi tocada depois de 19 anos fora de um setlist da banda. As recentes Unknown Caller e Moment of Surrender foram tocadas ao vivo também pela primeira vez. E o set teve canções como MLK e In A Little While, que são canções difíceis de integrar os shows da banda.
A banda resolveu ousar e apresentar uma versão remixada e bem eletrônica de Crazy Tonight, nos moldes daquele remix de Lemon que tocava na Popmart Tour.
A noite de estréia em Barcelona para 90 mil pessoas teve o setlist idêntico à essa apresentação teste, mas o setlist da segunda noite em Barcelona trouxe novas surpresas: Crazy Tonight além da versão remixada, teve também sua versão normal tocada ao vivo. E para delírio dos fãs da banda, a canção Electrical Storm foi tocada pela primeira vez ao vivo pela banda.
Os shows foram um espetáculo áudio visual espantoso. A banda deixou o público de boca aberta com um mega palco, uma estação espacial em forma de aranha de 50 metros de altura, inspirada na obra do arquiteto catalão Antoni Gaudi, batizada de The Claw (A Garra).
O espetáculo de luzes que saíam da estação espacial, o telão sanfona que se abria e descia até cobrir a bateria, mais as 17 câmeras estratégicamente posicionadas fizeram com que cada música parecesse um videoclipe acabado.
Em Ultraviolet, Bono todo iluminado por um traje de luzes vermelhas, brinca com um microfone-volante suspenso do alto do palco. Um dos pontos altos da noite de estréia.
Outras técnicas manjadas do U2, mas que continuarão surtindo efeito em “360º”, são colocar-se em dia sobre causas políticas e apresentá-las ao seu séquito, se atualizar sobre as novas possibilidades tecnológicas que propiciem delírio coletivo, e não deixar passar em branco as personalidades ou símbolos que, segundo rege sua própria cartilha, precisam ser homenageadas.
Vide o discurso do carismático bispo sul-africano Desmond Tutu. Suas falas são exibidas no telão em mais de um momento do show, e contribuem para divulgar a campanha pela erradicação da pobreza e da Aids, 'ONE'. O debate político também é forte com as honras à ativista e Prêmio Nobel birmanesa encarcerada Aung San Suu Kyi. A ela, o U2 dedica não só a música “Walk On”, mas também palavras de seu frontman, imagens no telão e a distribuição de máscaras com seu rosto, algumas delas usadas por integrantes da platéia convidados a desfilar no palco.
Já as novas estripulias técnicas remetem a “Zoo TV”, quando Bono telefonava para grandes líderes mundiais entre uma música e outra. Só que desta vez ele contatou, e via vídeo, uma Estação Espacial Internacional.
E no setor das homenagens apolíticas, não era necessário divagar muito para apostar que o alvo seria Michael Jackson. Pairava apenas a curiosidade de se saber como seria feito o tributo. “Escrevemos esta canção para Billie Holiday, mas hoje à cantaremos para Michael Jackson”, explicou Bono, antes de cantar “Angel of Harlem” na primeira noite, com citações de “Man In The Mirror” e “Don’t Stop Till You Get Enough’, ambas de Jackson.
Já na segunda noite em Barcelona, Bono fez a homenagem cantando um trecho de Billie Jean depois da canção Desire.
De todos os movimentos já previstos quando o U2 entra em cena, o mais essencial para muitos de seus fãs e que pouco tem a ver com política ou pirotecnia é a competência de seus quatro músicos. Juntos no palco, como costumam estar há mais de trinta anos, Bono, The Edge, Larry Mullen Jr. e Adam Clayton relembram os presentes de que são, antes de tudo, uma banda de rock, que soa como se fosse formada por mais do que apenas quatro integrantes, tamanha a massa sonora que produzem. E, com os instrumentos em punho, eles em geral demonstram que estariam se divertindo de qualquer forma, independentemente de estarem ou não envoltos em uma parafernália tão espetacular. É interessante ver o contido Mullen subindo sozinho ao palco, para sentar-se em sua bateria e começar o show com as batidas de “Breathe”, sem maiores segredos. Com o baixista Clayton, ele ainda compõe uma sólida cozinha roqueira, o esqueleto certo para a voz preenchedora de espaços de Bono e dos acordes cheio de ecos de The Edge que, como se sabe, é um dos mais criativos e influentes guitarristas em atividade.
----------------------------------------- Vídeos das apresentações:
Intro + Breathe:

No Line On The Horizon:
The Unforgettable Fire:
Ultraviolet (Light My Way):
Crazy Tonight (Remix):
Electrical Storm:
Unknown Caller:
Moment Of Surrender:
I'll Go Crazy If I Don't Go Crazy Tonight:
MLK:
Desire/Billie Jean:
Angel Of Harlem/Man In The Mirror:

Blog U2 Sombras e Árvores Altas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...