Anúncios

Ainda Não Encontrou O Que Procura? Pesquise Aqui!

terça-feira, 30 de novembro de 2010

A pré estréia de "Spider-Man: Turn Off The Dark"

"Homem-Aranha", a produção mais cara já feita pela Broadway, pegou o público de surpresa na primeira noite de pré-estreia no domingo (28), quando sua cena de vôo high-tech empacou, deixando os astros suspensos em pleno ar.
O espetáculo de 65 milhões de dólares, "Spider-Man: Turn Off The Dark" ("Homem-Aranha: Desligue o Escuro"), com músicas de Bono, do U2, foi interrompido ao menos cinco vezes, até mesmo enquanto os atores sobrevoavam a platéia durante a pré-estreia, informaram órgãos da mídia local na segunda-feira (29).
Em uma das principais cenas, Reeve Carney, que interpreta o personagem central, ficou pendurado alguns metros acima do público enquanto a equipe de teatro interceptava e tentava agarrar seu pé para puxá-lo para baixo, provocando risadas do público.
A estreia havia sido adiada diversas vezes depois da falta de financiamento e problemas técnicos. A estreia oficial ocorre apenas no dia 11 de janeiro, e apesar das pré-estreias geralmente permitirem a correção de problemas, a maioria não apresenta tantas falhas como as de "Homem-Aranha".
Bono e The Edge, assim como o diretor Julie Taymor, haviam dito recentemente que esperavam problemas técnicos no começo dos espetáculos.
Taylor disse que o alto custo da produção se deve às mais de 20 cenas de voo complexas. Dois atores ficaram gravemente feridos durante o ensaio das acrobacias.
Depois de caírem na internet alguns vídeos do musical que adaptará a história do Homem-Aranha para os palcos, o programa 60 Minutes, da CBS, fez uma entrevista com Bono e The Edge, vocalista e guitarrista da banda U2, sobre a produção de “Spider-Man: Turn Off the Dark”. Toda a megalomania que estavam falando que o musical seria, realmente foi realizada. Pulos, lutas no ar, mudanças de grandes cenários rapidamente e etc.


A peça chega aos palcos após três anos de produção, intensos ensaios e preparativos para que tudo funcione ao vivo, assim como nos cinemas. Para viver Peter Parker nos palcos, foi escalado o cantor de rock da banda independente Carney, Reeve Carney. Seu trabalho no meio musical data ainda da década de 90, quando gravou com cantores conhecidos, como Michael Jackson.


A direção ficou pro conta de Julie Taymor, responsável pelo musical “Across the Universe“. Nos palcos serão contadas as aventuras de Peter Parker e sua transformação de um adolescente comum passando por suas primeiras mudanças após a picada de uma aranha, e chegando ao personagem que ele cria, conhecido como “Homem-Aranha”.
A produção está orçada em US$60 milhões, o mais caro da história.


Crise financeira prejudica luta contra aids, diz Bono

Os tempos difíceis vividos pelos países desenvolvidos estão afetando os esforços para conter a disseminação da aids pelo mundo, disse o vocalista Bono, do U2, nesta terça-feira.
"Os tempos estão difíceis no mundo ocidental", declarou à Reuters o astro do rock e ativista irlandês, após o lançamento, na Opera House, em Sydney, do Dia Mundial de Luta contra a Aids, marcado em todo o mundo em 1 de dezembro.
Bono disse que as agências voltadas ao combate à síndrome da imunodeficiência adquirida (Aids) "lutam duro por financiamento" quase três décadas depois que a doença foi diagnosticada pela primeira vez.
Ele afirmou ser necessário dispor de mais dinheiro para cumprir a meta estabelecida pelo Fundo Mundial a fim de eliminar a transmissão do HIV das grávidas para os fetos até 2015.
De acordo com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), mais de mil bebês nascem diariamente na África com o HIV e cerca de metade das mulheres HIV-positivas na África não obtém as drogas necessárias para evitar a transmissão do vírus aos seus bebês.
"Em tempos de recessão, as pessoas têm de dizer aos políticos que isso é importante para elas", afirmou Bono.
Estima-se que 33,3 milhões de pessoas em todo o mundo tinham o vírus da imunodeficiência humana (HIV) em 2009, de acordo com os números mais recentes divulgados pela Unaids. Havia 26,2 milhões em 1999.
"Algumas pessoas acham que a pandemia está acabando e que o trabalho já foi feito", disse Bono. "Mas não é assim."


fonte: http://www.estadao.com.br/noticias/geral,crise-financeira-prejudica-luta-contra-aids-diz-bono-do-u2,647484,0.htm

Bono e Edge no evento ''World Aids Day'

Bono, líder da banda U2, participou do evento 'World Aids Day' que aconteceu em Sydney, na Austrália. O cantor, muito divertido, brincou com os fotógrafos durantes as fotos. Outras personalidades que também prestigiaram o evento foram o companheiro de banda de Bono, The Edge, e a primeira-ministra da Austrália, Julia Gillard.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Bono se encontra com ministro australiano Kevin Rudd

Em viagem a Sidney, na Austrália, o cantor Bono se encontrou com o ministro australiano Kevin Rudd para discutir a situação dos soropositivos no país. A conversa aconteceu no Sidney Opera House, um dos principais pontos turísticos da cidade, na tarde do último domingo, 28.

Confirmado: U2 traz a turnê 360º para o Brasil em abril de 2011

A Live Nation Global Touring e a TIME FOR FUN confirmam o retorno do U2 ao Brasil! O show da “U2 360° Tour" chega a São Paulo no dia 09 de abril de 2011, no Estádio do Morumbi. O show é apresentado por Oi, co-patrocínio TAM e MasterCard ShowPass.
“O U2 sempre atinge o seu melhor nível quando em contato e rodeado pelo seu público. E essa produção extraordinária torna isso possível em estádios”, afirma o empresário da banda, Paul McGuinness. “Foi importante para a banda ter conseguido trazer toda a estrutura envolvida em 360° para o Brasil, para que os fãs pudessem vivenciar a mais recente das produções lendárias do U2”.
Recém-concluída sua esgotada turnê européia, U2 360° passará ainda pela Austrália, Nova Zelândia e África do Sul antes de chegar à América do Sul em março do próximo ano. Quando aterrissar no Brasil, U2 360° terá sido vista por mais de 4,5 milhões de fãs.
Com um sistema cilíndrico de vídeo interligando painéis em LED e uma estrutura de aço de quase 50 metros de altura sobre um palco com pontes rotativas, a banda criou uma verdadeira experiência para o público que for aos shows de 360°. Para essa turnê, Willie Williams, há muitos anos diretor dos shows do U2, trabalhou novamente com o arquiteto Mark Fisher (ZooTV, PopMart, Elevation e Vertigo). Juntos, criaram o design inovador em 360°, que proporciona uma visão geral e sem obstruções para o público presente.
“Ter uma produção em estádio com visão em 360° é algo que a indústria de shows tem tentado realizar há algum tempo. Realizada desta forma, a U2 360° nos dá capacidade extra de público, o que significa um grande número, milhares na verdade, de ingressos vendidos a preços baixos em todos as apresentações” afirma o produtor da turnê 360º Arthur Fogel e CEO da Live Nation Global Touring. “Com essa configuração única de palco, U2 360° tem um excelente campo de visão”.
Para manter o conceito desta turnê - configuração única de palco com visão excelente de todos os locais - os ingressos estarão disponíveis ao preço inicial de R$70, e com um valor de pista de R$180.
A pré-venda para clientes dos cartões Citibank, incluindo os cartões Credicard e Diners, acontece nos dias 04 e 05 de dezembro de 2010 (sábado e domingo) e para o público em geral na terça-feira, dia 07 de dezembro de 2010. Ingressos podem ser adquiridos pelo telefone 4003-0806 (válido para todo o País) e pelo site www.ticketsforfun.com.br. Membros do site oficial do U2 poderão obter ingressos antes da pré-venda para clientes Citibank. Mais informações no site da banda: www.U2.com. “U2 360° TOUR” é produzida pela Live Nation Global Touring em parceria com a TIME FOR FUN. Para mais informações sobre a turnê, venda de ingressos, como se afiliar ao fã-clube, artigos do U2 e mais visite: http://www.u2.com/

SERVIÇO U2 – 360° TOUR
Realização: Live Nation Global Touring e TIME FOR FUN
Apresentado por: Oi
Copatrocínio: TAM e MasterCard ShowPass
Operadora Oficial: TAM Viagens
Rádio Oficial: Oi FM
Local: Estádio do Morumbi — Praça Roberto Gomes Pedrosa, nº 1 — Morumbi — São Paulo (SP)
Única apresentação: 09 de abril de 2011
Abertura dos portões: 16h
Show de abertura: Muse
Horário de início dos shows: 20h
Duração do show principal: aproximadamente 2h
Classificação etária: Não será permitida a entrada de menores de 12 anos; 12 anos e 13 anos: permitida a entrada (acompanhados dos pais ou responsáveis legais); a partir de 14 anos: permitida a entrada (desacompanhados).
Capacidade: 89.426 lugares
Meio de Pagamento Preferencial: Credicard
Acesso para deficientes

SETOR
Pista R$ 180,00 (INTEIRA) R$ 90,00 (½ ENTRADA)
Cadeira Inferior A R$ 340,00 (INTEIRA) R$ 170,00 (½ ENTRADA)
Cadeira Inferior B R$ 340,00 (INTEIRA) R$ 170,00 (½ ENTRADA)
Cadeira Superior Azul 1 R$ 380,00 (INTEIRA) R$ 190,00 (½ ENTRADA)
Cadeira Superior Azul 2 R$ 380,00 (INTEIRA) R$ 190,00 (½ ENTRADA)
Cadeira Superior Azul Premium R$380,00 (INTEIRA) R$ 190,00 (½ ENTRADA)
Cadeira Superior Vermelha R$ 380,00 (INTEIRA) R$ 190,00 (½ ENTRADA)
Cadeira Superior Amarela (Visão parcial) R$ 70,00 (INTEIRA) R$ 35,00 (½ ENTRADA)
Cadeira Superior Laranja R$ 380,00 (INTEIRA) R$ 190,00 (½ ENTRADA)
Arquibancada Azul R$ 240,00 (INTEIRA) R$ 120,00 (½ ENTRADA)
Arquibancada Vermelha R$ 240,00 (INTEIRA) R$ 120,00 (½ ENTRADA)
Arquibancada Vermelha Especial R$240,00 (INTEIRA) R$ 120,00 (½ ENTRADA)
Arquibancada Amarela R$ 220,00 (INTEIRA) R$ 110,00 (½ ENTRADA)
Arquibancada Laranja R$ 240,00 (INTEIRA) R$ 120,00 (½ ENTRADA)

- Meia-entrada: obrigatória a apresentação do documento previsto em lei que comprove a condição de beneficiário: no ato da compra e entrada do evento (para compras na bilheteria oficial e pontos de venda físicos) / na entrada do evento (para compras via internet ou telefone). Limitação de venda a estudantes em 30% da capacidade do local.
- Membros do site oficial do U2 contam com pré-venda exclusiva e poderão adquirir ingressos entre os dias 01 e 03 de dezembro.
- Clientes dos cartões Credicard, Citibank e Diners contam com pré-venda exclusiva e poderão adquirir ingressos entre os dias 04 e 05 de dezembro.
- Fã clube oficial da Muse conta com pré-venda exclusiva e poderão adquirir ingressos no dia 06 de dezembro.
- A venda para o público em geral será aberta em 07 de dezembro.
- Clientes dos cartões Credicard, Citibank e Diners que efetuarem compra via internet até 72 horas antes do evento, serão isentos de taxa de entrega.
- Clientes de todos os cartões de crédito MasterCard podem optar pela tecnologia MasterCard ShowPass, na qual o cartão vira ingresso. Mais informações no site: www.mastercardshowpass.com.br
- Vendas limitadas a 6 ingressos por pessoa

HORÁRIO DA ABERTURA DAS PRÉ-VENDAS E VENDAS
De acordo com as datas de pré-venda e vendas citadas acima:
Internet (informações e vendas) — Tickets For Fun ( http://www.ticketsforfun.com.br/ ), a partir da 0h
Telefone para vendas — 4003-0806 (válido para todo o país), às 10h
Pontos de Venda Tickets For Fun (FNACs não participarão da venda deste show), às 10h http://premier.ticketsforfun.com.br/content/outlets/agency.aspx , às 10h
Bilheteria Oficial – Estacionamento Credicard Hall, às 10h

BILHETERIA OFICIAL – SEM TAXA DE CONVENIÊNCIA
Estacionamento anexo ao Credicard Hall - diariamente, das 10h às 22h - Av. das Nações Unidas, 17.981 - Santo Amaro – São Paulo (SP)

LOCAIS DE VENDA - COM TAXA DE CONVENIÊNCIA
Pontos de venda no link (FNACs não participarão da venda deste show): http://premier.ticketsforfun.com.br/content/outlets/agency.aspx

Central Tickets For Fun: por telefone, entrega em domicílio e retirada na bilheteria (taxas de conveniência e de entrega) - 4003-0806 (válido para todo o país), das 10h às 21h - segunda a sábado (funciona no mesmo horário, excepcionalmente no domingo, dia 05/12, na pré-venda Credicard Citibank e Diners). Pela Internet: http://www.ticketsforfun.com.br/ (entrega em domicílio - taxas de conveniência e de entrega) Formas de Pagamento:Dinheiro, cartões de crédito MasterCard, Diners, American Express e Visa. Cartões de Débito MasterCard Débito/ Rede Shop e Visa Electron.


informações do site: http://www.u2br.com/

domingo, 28 de novembro de 2010

Penélope Cruz posa em prol de projeto contra a Aids na África

Penélope Cruz abriu uma exceção em seu período de gestante reclusa e aceitou posar para as lentes do fotógrafo Peter Lindbergh por uma boa causa: RED, projeto criado pelo vocalista do U2, para lutar contra a Aids na África.
A atriz espanhola, que está na reta final da gravidez, impôs apenas uma condição: aparecer na capa da Vogue Espanha de dezembro em um plano curto para evitar comentários sobre a barriga.
— Bono é brilhante — justificou Penélope. — Só as pessoas que conhecem ele sabe até que ponto pode chegar para ajudar os demais. Não só tem ideias geniais como as coloca em prática com muito trabalho e esforço.
Sobre a gravidez disse:
— Me sinto muito bem, muito feliz e muito entusiasmada.
No projeto RED também estão engajadas as atrizes Kate Winslet, Julianne Moore, Meryl Streep, Gwyneth Paltrow e Naomi Watts. A lente de Lindbergh também vai retratar neste trabalho outros personagens da vida cultura e social espanhola, como o goleiro da seleção espanhola Iker Casilas, o cineasta Pedro Almodóvar e os atores Antonio Banderas e Eduardo Noriega.
Penélope Cruz encontrou por acaso no estúdio do fotógrafo com o goleiro Casillas e não escondeu a idolatria ao atleta.
— Você não sabe como fez a todos nós espanhóis felizes — declarou para ele, antes de pedir para tirar uma foto ao seu lado. Do site: http://www.clicrbs.com.br/especial/sc/donnadc/19,0,3121102,Penelope-Cruz-posa-em-prol-de-projeto-contra-a-Aids-na-Africa.html

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Mais uma vez, 'Scarlet' aparece em setlist de show do U2 (desta vez sem Jay Z)

Na segunda noite dos shows da 360° no Mt Smart Stadium em Auckland, Nova Zelândia; o U2 tocou novamente a prometida 'One Tree Hill', e desta vez a banda tocou 'Scarlet' sem a presença de Jay Z.

Saiba mais sobre a canção 'Scarlet':

Havia uma grande pressão sobre a banda para usar sua música em nome do Cristianismo, de Jesus, de Shalom. Pessoas dentro do grupo achavam que o U2 deveria usar o reconhecimento que eles tinham ganho pra fazer proselitismo. “Eu me recordo que pensava: Deus precisa de vendedores?”, disse Bono.
A essa altura, o estado dos evangélicos e dos fundamentalistas, a difusão religiosa na América, os pregadores com suas mãos estendidas à televisão tentando roubar seu dinheiro.
E assim, ‘Scarlet’ tem uma linha minimalista. Pode ter sido originalmente uma peça instrumental para a qual Bono não conseguiu chegar com uma letra, mas ela resiste ao teste do tempo por sua simplicidade. The Edge está ao piano novamente, Adam Clayton contribui com uma ressonante e melódica parte de baixo e Larry desempenha o papel de percussionista com uma moderação admirável. A influência do álbum de cantos gregorianos de Paul McGuinness é discernível nas linhas do refrão de Bono. E há alguma coisa com efeito de cura, em vez de triunfalista quando ele canta uma palavra, uma vez após outra: “Rejoice”.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

U2 toca ao vivo pela segunda vez em sua carreira, a canção 'Scarlet' - 360° Tour

No dia 14 de Outubro de 1981 o U2, tocando na Rádio BBC, apresentou pela primeira vez uma versão ao vivo de "Scarlet", faixa do álbum October.
29 anos depois, a banda voltou à tocar ao vivo a canção, na primeira noite dos shows na Nova Zelândia, no Mt Smart Stadium, pela turnê 360°.
Bono dedicou a música à Aung San Suu Kyi, que teve imagens sua mostradas no telão, e também a participação do rapper Jay Z (que foi o artista convidado para abrir os shows na Oceania).
A canção se resume à uma única palavra: REJOICE.

'One Tree Hill' também fez parte do set, e foi sua primeira execução nesta turnê. Já era uma canção esperada, já que Edge tinha dito que provavelmente o U2 tocaria ela em Auckland.

Em 'City Of Blinding Lights', a banda utilizou uma frase no telão, não vista em nenhum dos shows anteriores.
Os integrantes do U2 homenagearam os 29 mineiros mortos no desastre da mina de Pike River e exibiram os seus nomes no telão.
"As pessoas têm maneiras de lidar com a dor. Na Irlanda, nós cantamos". Jay-Z também disse: "Esses homens estarão sempre em nossos corações e eles serão eternamente jovens".
Agradecimento: Cibely Cobo (que acordou cedo pra acompanhar o show e me informou SÓ 8 horas depois.....).

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Em ensaios para os últimos shows do ano da turnê 360°, U2 prepara grande surpresa

O U2 vem se preparando para os shows finais do ano de 2010 na turnê 360°.
A banda vem ensaiando no MT Smart Stadium, em Auckland (Nova Zelândia); e estes ensaios já mostram que a banda prepara surpresas para as apresentações.
Além de 'One Tree Hill', que The Edge já havia citado como provável canção no setlist, a surpresa maior ficou por conta do ensaio de 'Scarlet', faixa do álbum October.
O U2 tocou a canção ao vivo uma única vez até hoje, e ela poderá aparecer no set do show em Auckland. É esperar pra ver (e ouvir).........


Bono comenta sobre o musical 'Spider-Man: Turn Off the Dark'

O vocalista do U2 afirmou que fazer um musical foi bem mais difícil do imaginava. O rockstar e o guitarrista The Edge assinam a trilha do espetáculo mais caro da história da Broadway, 'Spider-Man: Turn Off the Dark', com orçamento estimado em US$ 60 milhões. O musical, que sofreu com diversos adiamentos, estreia neste domingo (28/11).
"Nós não imaginávamos como seria difícil montar esse espetáculo, tecnicamente e financeiramente", diz Bono, em entrevista à Billboard.com. Porém, para o cantor, a parte de criação foi divertida. "Foi mais fácil no sentido de que a música veio facilmente. Idealizar o show, sua escala, a sequência de vôo foi puro prazer".
O musical, dirigido por Julie Taymor, exibe engenhosidade com 40 trechos de músicas, incluindo 18 faixas inteiras, cenários gigantescos e um elenco de 41 atores, além de acrobacias aéreas.
No entanto, para Bono, toda essa grandeza traz riscos. "Porque é tecnicamente muito difícil. Nunca foi feito antes com o tipo de escala que idealizamos. Pode haver boas razões para isso e vamos descobrir", diz.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

"A América teve o Elvis, nós o Bowie", diz Bono

O U2 é eternamente grato à David Bowie, disse Bono em entrevista à Rolling Stone. O líder da banda irlandesa explicou que o músico teve um papel preponderante no sucesso da sua banda e compara-o a Elvis Presley.
"O Bowie não tinha medo de usar a escala, de dramatizar as coisas. Os seus alinhamentos não eram uma mera jukebox que ele percorria do início ao fim. Era drama", disse Bono. "Não estarei exagerando se disser que aquilo que o Elvis significou para a América foi o que o David Bowie significou para o Reino Unido e a Irlanda. A mudança de consciências foi radical".
O músico recorda ainda a primeira vez que viu o "camaleão" na televisão: "Quando o vi pela primeira vez, ele estava cantando 'Starman' na televisão, foi como se uma criatura caísse do céu. Os americanos levaram o homem à lua. Nós tivemos o nosso homem britânico do espaço - com uma mãe irlandesa".

Do site: blitz.aeiou.pt

Depois de ter participado de show particular em festa do U2, cantora brasileira Izzy Gordon canta em festa da namorada de Paul McCartney

Paul McCartney comemorou neste sábado (20) o aniversário da namorada, Nancy Shevell, com um clima bem brasileiro.
O casal, que está hospedado no hotel Grand Hyatt devido às apresentações do ex-Beatle em São Paulo, se divertiu no bar do local ao som da cantora Izzy Gordon.
Não é a primeira vez que, acidentalmente, Izzy se apresenta para um astro internacional. Quando Bono passou pela cidade para as apresentações com o U2, a cantora também se apresentou para ele, no mesmo local.
Bono chegou a cantar com ela no Hotel Grand Hyatt a faixa "I´ve Got You Under My Skin", canção de Cole Porter.
De acordo com pessoas presentes no bar do hotel, McCartney chegou a pegar um tamborim para tocar. Pouco depois, dividiu o microfone com Izzy para cantar "Só Danço Samba" e dançou animado.
“Foi um sonho. Quando soube que ele estava na cidade, pensei, sem pretensão: ‘Puxa, já cantei para o Bono, do U2. Bem que podia cantar para o Paul’. Não sei se os anjos me atenderam, mas logo depois ligaram dizendo que fui escolhida novamente para mostrar a música brasileira a um estrangeiro muito famoso”, contou Izzy em entrevista ao jornal “O Dia”.
Ainda segundo fontes de QUEM, todos que estavam no local assinaram um termo de confidencialidade e foram proibidos de registrar com imagens a presença do ex-Beatle no local
.

O SHOW DE PAUL MCCARTNEY EM SÃO PAULO PELA TURNÊ "UP AND COMING

Foram quase três horas de show de Paul McCartney no Morumbi, em São Paulo, na noite de domingo. O primeiro de dois shows do ex-Beatle na capital paulista levou ao estádio uma multidão de 64 mil fãs.

A noite não poderia ser melhor: clima ameno e a lua cheia atrás do enorme palco com três telões. Apesar de seguir o roteiro, repetindo muitas das frases em bom português faladas anteriormente em Porto Alegre, Sir Paul não decepcionou.

Várias vezes o público gritou "Paul, Paul, Paul" e, ao cantar "she loves you, yeah yeah yeah", arrancou do ídolo uma resposta espontânea: "I love you, yeah yeah yeah". Mas nem por isso improvisou no set list. Cantou exatamente o que planejara.
O blazer azul royal que vestia ao entrar no palco às 21h35min logo foi tirado e o pop star fez charme com uma calça de cintura alta preta, suspensórios e camisa branca. Tanto ou mais que os fãs, Paul parecia se divertir no palco, ao lado de uma "banda fantástica" como ele mesmo definiu, formada por Paul Wix Wickens (teclado), Brain Ray (guitarra e baixo), Rusty Anderson (guitarra) e Abe Laboriel Jr (bateria). Até 0h21min mostrou um fôlego de garoto ao longo de 36 canções.
Não perdeu o rebolado quando levou um tombo segundos antes de deixar o palco. Havia ido à boca de cena pegar bandeiras do Brasil jogadas pelo público. A chuva de papel verde e amarelo picado, efeito de encerramento do show após duas voltas de Paul ao palco para o bis, foi a causa do escorregão que o levou ao chão. Ágil, Paul levantou, ergueu as mãos com as bandeiras, mostrou que estava bem e partiu.
- Escrevi essa música para meu amigo John - disse Paul, antes de cantar sozinho no palco "Here today" e emocionar a todos com a homenagem a John Lennon.
Com fotos dos Fab Four no telão, Paul também prestou tributo a George Harrison com "Something". Antes de cantar "Obla di obla da" brincou:
- Essa eu quero que vocês cantem junto. Bom, tenho certeza que cantarão de qualquer modo.
Muitas vezes Paul puxou o coro da multidão no Morumbi, divertindo-se como um principiante encantado pela resposta do público. Impressiona o frescor de Paul após meio século de uma carreira de sucesso sem precedentes na história da música.

Quando canta "Give peace a chance" em frente ao símbolo hippie de paz e amor no telão é como se o tempo tivesse parado numa época em que ideais existiam, junto com o sonho de um mundo melhor. Só um astro com alguma inocência intacta é capaz de fazer acreditar que o sonho não acabou........

sábado, 20 de novembro de 2010

Steve Lillywhite afirma que 'No Line On The Horizon' foi um fracasso

O produtor do U2, Steve Lillywhite, admitiu que a banda não realizou as suas ambições com o seu mais recente álbum e foram afetados pelo seu relativo fracasso.
Lançado no ano passado, "No Line On The Horizon' vendeu menos do que seus antecessores e recebeu críticas muito mornas. Citado no jornal 'The Irish Times' à frente da 'Hot Press Music Show', em Dublin, Lillywhite disse que o álbum não tinha uma grande canção e sua inspiração norte-Africana não funcionou.
"No final do dia, o público está sempre certo, especialmente quando você tem uma plataforma tão grande quanto o U2", explicou. "Claro que afeta. Eles são apenas seres humanos. Colocam o seu coração e alma em tudo o que fazem, mas as vendas não foram o que eles esperavam, porque eles não tiveram uma canção que inflamasse a imaginação das pessoas."
Ele acrescentou: "É uma pena, porque toda a ideia de Marrocos como uma grande idéia foi ótima. Quando a grande idéia para o U2 é boa, é quando eles conseguem ser sucedidos, mas eu não acho que o espírito do que eles partiram para alcançar foi traduzido. Algo não significativo aconteceu e veio atráves das gravações."
Lillywhite foi co-produtor de "No Line ..." ao lado de Brian Eno e Daniel Lanois.

'Bono brasileiro' diz que é hora de trocar a Irlanda pelo Brasil

'Dei muitos autógrafos, tirei milhares de fotos. Nunca vou esquecer', diz Samuel.
Nem Bono - ou, melhor, nem a versão brasileira do vocalista do U2 - deixou de sentir o agravamento da crise econômica irlandesa.
Samuel Araújo deixou o calor de Fortaleza há seis anos para acompanhar uma namorada irlandesa, acabou decidindo ficar e tentar a vida no país.
Baseado em Galway, costa oeste, ele começou a trabalhar fazendo "bicos", enquanto cursava cinema em uma universidade.
Durante os últimos quatro anos, Samuel fez trabalhos temporários para uma produtora de entretenimento, e teve a oportunidade de, literalmente,"vestir a carapuça" de um de seus maiores ídolos. Samuel viajou a China e África do Sul para divulgar a Irlanda em uma regata internacional, usando uma máscara gigante de Bono e imitando o cantor.
"A direção da empresa onde eu trabalhava gostava da forma como eu interpretava o Bono e achava que o meu jeito era parecido com o dele. Daí eu passei a ser o vocalista do U2", conta Samuel.
"Foi uma experiência inesquecível. Eu ia a jantares oferecidos para pessoas influentes dos países, ministros, diplomatas. Todos achavam o máximo o fato de que havia um brasileiro na equipe da divulgação da Irlanda, e que este brasileiro era o Bono. Dei muitos autógrafos, tirei milhares de fotos com fãs, nunca vou me esquecer desta época", diz Samuel.
Passados os tempos do boom econômico, a Irlanda está longe daquele país outrora apelidado de "Tigre Celta", e a indústria do entretenimento foi uma das mais afetadas. O trabalho como Bono para o brasileiro Samuel acabou.
Ele está com férias marcadas para o Brasil e acha que esta pode ser um volta definitiva.
"As notícias que a gente recebe do Brasil são de que as coisas estão melhorando muito. Eu voltei de uma viagem onde encontrei muitos brasileiros passeando aqui pela Europa, e nunca vi isso acontecer tanto como agora", diz.
"Pela quantidade de brasileiros que você encontra, pelos papos, dá para perceber que o poder aquisitivo do brasileiro está crescendo, ao ponto de ele pode vir para a Europa, viajar sem pensar tanto na troca do câmbio, no que vão gastar aqui."
Para ele, os tempos de crise também contribuem para criar um certo clima de inseguranca para os entrangeiros que vivem país, o que, para ele, é um motivo a mais para fazer as malas.
"Quando esta crise chegou e as pessoas começaram a perder o emprego, a gente passou a sentir que o irlandês já começa a olhar para o imigrante com uma certa rivalidade", diz.
"Os irlandeses são pessoas muito amáveis, muito generosas, mas sempre rola uma insegurança neste caso." BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.


Link: http://www.estadao.com.br/noticias/internacional,bono-brasileiro-diz-que-e-hora-de-trocar-a-irlanda-pelo-brasil,642217,0.htm

Sessão de sábado: 'Bono - God's Favorite Son'

Assista na íntegra ao documentário 'Bono: God's Favorite Son', que traça, pela primeira vez, a vida extraordinária de Bono, desde seu início humilde e a formação do U2, até seu papel como filantropo e porta-voz pela educação e melhoria de vida de muitos.
'O Filho Favorito de Deus' narra a história completa e não-autorizada de como uma das figuras mais benevolentes da música pop mudou a cara da música moderna e ainda assim se manteve íntegro e prosseguiu na luta para melhorar a vida do próximo.
Sem legendas em português.


U2 anuncia oficialmente o EP 'Wide Awake In Europe'

Agora é oficial: foi anunciado no site oficial do U2 que a edição limitada em vinil de "Wide Awake In Europe" será lançada em 26 de Novembro de 2010, 'Black Friday', o dia seguinte à celebração da Ação de Graças nos Estados Unidos. O vinil é composto por três faixas gravadas ao vivo durante a recente turnê européia do U2, a 360º Tour.
As 5,000 cópias do álbum serão vendidas com exclusividade em lojas de música independentes nos Estados Unidos, numa promoção semelhante ao Record Store Day, um projeto internacional que celebra lojas de música independentes.
"Todos nós queríamos ficar por dentro do Record Store Day", disse o baixista Adam Clayton. "Minha loja de discos local me introduziu à músicas que eu não conhecia e possivelmente nunca teria descoberto."
"Wide Awake in Europe" evoca o lançamento de 1985 da banda, "Wide Awake in America". Incluirá a primeira gravação oficial de "Mercy", uma faixa adorada pelos fãs e que não tinha sido lançada oficialmente ainda, e versões ao vivo de "Moment Of Surrender" e "I'll Go Crazy If I Don't Go Crazy Tonight", faixas do álbum "No Line On The Horizon".
Bono, o vocalista da banda irlandesa, assegurou numa entrevista à revista Rolling Stone que o U2 têm material para mais três álbuns. Na próxima primavera, prevê-se a edição do álbum "Songs of Ascent". Há um outro trabalho planejado que integrará músicas mais dançantes e que contará com a participação dos artistas Will.I.Am e David Guetta.

"Alguns cantam ópera, Pavarotti era uma ópera" - Arquivo 'Bono 50 Anos'

Em 2007, o vocalista do U2 publicou no site oficial da banda um texto em homenagem ao tenor italiano Luciano Pavarotti, que faleceu vítima de um câncer no pâncreas. O título do texto dizia: "Alguns cantam ópera, Luciano Pavarotti era uma ópera."
Os dois realizaram uma parceria no ano de 1995 em prol das vítimas da guerra da Bósnia. A canção é a maravilhosa 'Miss Sarajevo'.
"Ele vivia as canções, sua ópera era uma grande mistura de alegria e tristeza; surreal e mundana ao mesmo tempo; um grande vulcão de um homem que cantava fogo mas fazia isso como um grande amor pela em toda a sua complexidade, um grande e generoso amigo." No texto, Bono lembrou passagens de sua convivência de forma bem-humorada: "Ele gostava de comer, de dormir e, aí assim, fazia o aquecimento de suas cordas vocais, apesar de eu me lembrar dele mais comendo do que se aquecendo."
Bono contou, ainda, a última conversa que teve com o tenor. "A voz que antes era mais alta que qualquer banda de rock, tornou-se um sussurro. Assim mesmo, ele transmitia o seu amor. Cheio de amor."

Leia o texto de Bono na íntegra:

"Alguns cantam ópera, Pavarotti era uma ópera"

Ninguém podia concretizar aquelas melodias acrobáticas como ele. Viveu as canções, sua ópera era uma grande mistura de alegria e de tristeza; surreal e terreno ao mesmo tempo; um grande vulcão de homem que cantava o fogo mas derramava-o com um amor à vida em toda a sua complexidade, um amigo grande e generoso.
Muito, muito divertido, o Pavlova que nós o costumávamos chamar.
Um manipulador emocional, se quisesse que alguém lhe fizesse algo, era impossível dizer não. Um grande elogiador.
Quando quis que o U2 lhe escrevesse uma canção, telefonou para ao nossa empregada, Theresa, continuamente, assim que, nós falamos sobre pouco mais em nossa casa.
Quando quis que o U2 fosse tocar em seu festival em Modena, viajou para Dublin sem anunciar-se com um grupo de filmagens, e parou-nos na porta. A sua vida e talento eram grandes, mas o seu sentido de serviço ao mais fraco e vulnerável era maior.
Nós escrevemos-lhe “Miss Sarajevo”. Ele tinha trabalhado na crise humanitária que era a guerra na Bósnia. Viajamos juntos num vôo da força aérea das NU para Mostar... todos nós muito sérios com capacetes de guerra, apenas quase atirados neste avião industrial com este grande homem que tem um grande pão com parmigiano de Reggio Emilia, "o mais melhor queijo no mundo" disse... só para fazer-nos rir.
Em Pesaro, a sua casa de verão, viveu uma vida quase boémia com um estúdio de gravação ajustado acima numa casa de anexo - mas fez todos os seus vocais no seu quarto... lá era uma rede pendurada entre dois pinheiros para uma siesta. Gostava de comer, de dormir e de então aquecer então as suas cordas vocais, embora me recorde que comia mais do que aquecia as cordas vocais. Quando pela primeira vez gravamos com ele, saí de lá bem mais pesado do que quando cheguei.
Intelectualmente curioso, não poderia deixar de furar a sua própria geração – amante de ideias novas, povos novos, novas formas de canções.
Um homem sexy cuja a vida se iluminou outra vez quando caiu se apaixonou por Nicoletta e enquanto prestava atenção quando Alice brincava no quintal. Amou muito todas as suas filhas. A tristeza de perder o seu único filho era o seu único silêncio.
Falei-lhe esta última semana... a voz que antes era mais alta do que o som de uma banda de Rock, era agora um sussurro. Ainda assim comunicou o seu amor. Completamente cheio de amor.
É isso o que as pessoas não compreendem sobre o Luciano Pavarotti. Mesmo quando a sua voz perdeu força, as suas habilidades interpretativas faziam dele um gigante entre alguns homens altos.”

Bono

A última aparição do The Hype # Church Hall, 1978

No dia 20 de março de 1978, o The Hype (com Dik Evans no palco) fez sua última aparição.
Ao final do primeiro set, Bono anunciou o fim do The Hype e avisou que o U2 retornaria ao palco com seus 4 integrantes para continuar a apresentação.
Entre esses dois sets, Adam e Edge foram convidados da apresentação do The Virgin Prunes, e Adam tocou no set do The Modern Heirs.
O setlist completo do The Hype neste show é desconhecido. O que se sabe é que eles tocaram duas covers: Dancing In The Moonlight e Glad To See You Go.
E para o set do U2, que teve composições próprias, uma das tocadas foi 'Shadows And Tall Trees'.


Setlist:
1.Dancing In The Moonlight

2.Glad To See You Go

3.Shadows And Tall Trees


Do livro U2 BY U2:

Adam: Depois disso, os Hype de cinco elementos ainda fizeram mais uma apresentação, na qual se despediram do Dick. Foi no salão da igreja presbiteriana, em Howth. Parecia uma daquelas ocasiões em que se vai tomar chá com o vigário. Não tinha nada de ar de rock ‘n’ roll. Mas não deixou de ser uma noite divertida para todos nós.

Bono: Naquela noite atuaram quatro bandas e o Adam entrava em todas! Tocou com os Hype, depois ele e o Edge apoiaram o Gavin e o Guggi no primeiro espetáculo dos Virgin Prunes e, por fim, tocou algumas músicas com a nova banda do Steve Averill, os Modern Heirs. E com o U2, claro. O Adam tinha uma coisa fantástica, sabia sempre o que queria e tinha a coragem de o dizer. E tudo o que ele queria era estar numa banda e ir até o fim.

Edge: Foi um momento de virada. Fizemos versões de outros artistas como Hypes e depois regressamos como U2 com um repertório de originais. O Dick ficou um tanto desiludido por ter chegado o fim. Acho que o aceitou com um certo fatalismo. Não houve lágrimas nem cenas. Mas, quanto a mim, houve uma certa tristeza. Ele era meu companheiro e meu irmão. Vivemos muito unidos durante muitos anos e éramos companheiros na música. Agora, íamos seguir caminhos separados. No entanto, tinha de reconhecer que era o melhor para todos. A nossa banda de quatro integrantes era mais intensa. Esta nossa nova versão possuía uma harmonia e um entusiasmo que eram muito apelativos. Estávamos ansiosos pelas próximas músicas, pelas próximas atuações. Tínhamos apanhado a febre do Rock ‘n’ Roll.

Hoje em dia, o Dick passa a maior parte do tempo fazendo pesquisa no campo da ciência informática. Vemo-nos com regularidade e ele continua a tocar guitarra e a estar envolvido no mundo da música. Tenho certeza de que sente alguma mágoa pelo trem ter saído da estação sem ele. Ele teria adorado fazer parte de tudo aquilo conosco. Mas também sei que não está sempre pensando que as coisas poderiam ser diferentes. Já naquele tempo, existia no U2 uma harmonia que os Hype nunca tiveram. Não teria sido a mesma coisa com dois guitarristas. Ele tocava com tanta sutileza, de forma tão singular. É absolutamente brilhante. No início, tocava guitarra muito melhor do que eu. Foi ele quem me ensinou a tocar, mas o seu estilo natural foi sempre diferente. Ele é uma pessoa mais do tipo intelectual e isso se podia notar na sua forma de tocar.


Adam: Me lembro do significado de quando nos tornamos o U2 naquela noite, de termos ficado só os quatro. Era um sentimento de estabilidade, estávamos onde devíamos estar, tocando o nosso próprio material e estava tudo bem. Na semana seguinte: Top of the Pops!

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Bono comparece em aniversário de Gerard Butler

Gerard Butler comemorou seus 41 anos de idade em grande estilo, com uma festa realizada na casa noturna The Darby, em Nova York, no último sábado (13). O ator escocês animou todos os seus convidados VIPs, como os atores Adrien Brody e Kate Hudson, o rapper Jay-Z, o cantor e líder do U2 Bono e John Mayer, que o ajudou durante uma apresentação especial.
De acordo com a agência "The Grosby Group", durante a comemoração, Gerard Butler subiu no palco acompanhado da mestre de cerimônias da casa, Lady Rizo, para cantar para seus convidados. "Entre as músicas tocadas, Gerard cantou 'Wonderwall', dos Oasis ao lado de Lady Riso e John Mayer. Depois eles continuaram com a música Mustang Sally. Ele tinha uma voz ótima!", disse uma fonte da agência.
"No final, Gerry anunciou para a plateia que John Mayer iria se apresentar, mas John respondeu dizendo que estava ali apenas para acompanhar Lady Rizo na guitarra." Apesar de negar a apresentação, o cantor acabou apresentando um de seus maiores sucessos, "Who Says".


link: http://revistaquem.globo.com/Revista/Quem/0,,EMI187918-9531,00-GERARD+BUTLER+COMEMORA+ANIVERSARIO+AO+LADO+DE+JOHN+MAYER.html

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Bono celebra libertação de Aung Suu Kyi

O vocalista do U2, Bono, celebrou a libertação da dirigente birmanesa Aung San Suu Kyi. O cantor fez fortes campanhas pela libertação da ativista, em prisão domiciliar nos últimos anos, durante os concertos da turnê 360º.
“Estou muito feliz pela possibilidade de este poder ser o início de uma discussão racional. Ao mesmo tempo, é uma alegria cautelosa, porque mesmo que ela esteja aqui fora, como nós precisamos que ela esteja, está talvez mais vulnerável”, afirmou o vocalista.
O apoio de Bono a Aung Suu Kyi refletiu-se não só em campanhas de sensibilização durante os concertos, mas também em forma de música, através do single “Walk On”, do álbum “All That You Can’t Leave Behind”, lançado em 2000.
Aung Suu Kyi foi prémio Nobel da Paz e esteve presa durante 15 dos últimos 21 anos, tendo sido libertada duas vezes pelo governo militar birmanês antes de voltar a ser colocada em prisão domiciliar.


link: www.myway.pt/

domingo, 14 de novembro de 2010

George W. Bush: "Bono, aquele casado com a Cher?"

O ex-presidente dos EUA, George W. Bush, pagou um carinhoso tributo à Bono, líder do U2, descrevendo-o como um homem realmente impressionante que realmente entendia as questões do Terceiro Mundo.
Em seu livro ‘Decision Points’, o Sr. Bush conta como ele tinha um pé atrás com roqueiros filantropos antes de seu primeiro encontro com Bono na Casa Branca em 14 de março de 2002 – pouco antes do dia de São Patrício.
“Eu era cético quanto a celebridades que pareciam adotar a causa do momento como uma maneira de impulsionar suas carreiras,” ele escreve.
Mas ele diz no livro que Bono entrou no salão oval com sua “personalidade eletrizante e seus óculos escuros característicos” e “rapidamente dissipou a noção de que ele queria aparecer”.
“Ele sabia de nossos orçamentos, entendia os fatos, e tinha visões bem informadas sobre os desafios na África.” O Sr. Bush diz que Bono trouxe a ele “um presente com consideração – uma velha Bíblia Irlandesa”.
O Sr. Bush diz que o respeito dele por Bono cresceu com o tempo.
“Você sabia que 2003 versículos da escritura falam diretamente aos pobres do mundo?” – perguntou Bono à Bush.
“As pessoas só sabem apontar os pecados óbvios como infidelidade conjugal. Mas algumas vezes nós ignoramos os mais sérios.”
O presidente ficou impressionado com o conhecimento de Bono sobre a escritura, dizendo que ele era “um homem de fé genuína”.
Entretanto, quando um membro de sua equipe perguntou se ele sabia quem Bono era, o Sr. Bush disse que claro que ele sabia – ele era o astro do rock que “tinha sido casado com Cher” (Nota do editor: ele se refere ao primeiro marido e ex-parceiro artístico da cantora, Sonny Bono).
Fonte: whiplash.net

sábado, 13 de novembro de 2010

The Ballad Of Ronnie Drew - Tradução

Canção escrita por Robert Hunter, Bono, The Edge, Carmody. Produzida por John Reynolds.

Música do U2 (Adam Clayton, Bono, The Edge, Larry Mullen Jnr) The Dubliners (Barney McKenna, Eamonn Campbell, John Sheahan, Patsy Watchorn) e Kila (Dee Armstrong, Eoin Dillon, Brian Hogan, Lance Hogan, Colm Snodaigh, Rnn Snodaigh, Rossa Snodaigh)

Band of Bowsies: Christy Moore, Shane MacGowan, Damien Dempsey, Andrewa Corr, Sinead O'Connor, Moya Brennan, Glen Hansard.
Participação em ordem alfabética: Billy McGuinness, Brian Kennedy, Bronagh Gallagher, Chris De Burgh, Christy Dignam, Duke Special, Eleanor McEvoy, Eleanor Shanley, Gavin Friday, Iona Green, Jack L, Jerry Fish, Joe Elliott, Mary Black, Mary Coughlan, Mik Pyro, Mundy, Paddy Casey, Paul Brady, Ronan Keating.

Gravada no Windmill Lane, em 14 e 15 de Janeiro de 2008.


"The Ballad of Ronnie Drew" é um single conjunto das bandas U2, The Dubliners, Kíla e "A Band of Bowsies".
A canção foi gravada para um evento de caridade, a Irish Cancer Society , uma sociedade de combate ao cancêr na Irlanda.
Músico folk irlandês que lutava contra o câncer quando essa canção foi lançada, Ronnie Drew faleceu em agosto de 2008 por causa da doença.

The Ballad Of Ronnie Drew - A Balada de Ronnie Drew

Here's to the Ronnie, the voice we adore
Aqui está o Ronnie, a voz que nós adoramos

Like coals from a coal bucket scraping the floor
Como carvão de um balde de carvão raspando o chão

Sing out his praises in music and malt
Cante alto seus louvores em música e malte

And if you're not Irish, that isn't your fault
E se você não é irlandês, isso não é sua culpa

Raise up our voices like dogs in a pack
Levante nossas vozes como cachorros em bando

Thankful for honest men we never lack
Grato aos homens honestos que nunca nos faltaram

We got'em by twenties, we got'em by ones
Chegamos neles pelos 20, nós começamos por outros

Them and their daughters and all of their sons
Eles e suas filhas e todos os seus filhos

Here's to you, Ronnie Drew
Essa é pra você, Ronnie Drew

Here's to you, Ronnie Drew
Essa é pra você, Ronnie Drew

Ronnie Drew, we love you, yes we do
Ronnie Drew, nós o amamos, sim nós fazemos

Here's to you, Ronnie Drew, here's to you
Essa é pra você, Ronnie Drew, essa é pra você

And what's it to any man whether or no?
E o que é isso para qualquer homem que queira ou não?

Whether I'm easy or whether I'm true
Se eu sou fácil ou se eu estou certo

As I lifted her petticoat easy and slow
Como eu ergui o saiote dela fácil e lentamente

And I tied up me sleeve for to buckle her shoe
E eu amarrei para cima minha manga para afivelar o sapato dela

Get up and go at it, five until five
Se levante e vá para lá, 5 para as 5

When the whistle says budge it we come back alive
Quando o apito diz 'mova' nós voltamos vivos

He'll sing to the heavens, he's stormy as hell
Ele cantará aos céus, ele é tempestuoso como inferno

And wherever he goes, we'll be wishing him well
E onde quer que ele vá, nós estaremos o desejando bem

Here's to you, Ronnie Drew
Essa é pra você, Ronnie Drew

Here's to you, Ronnie Drew
Essa é pra você, Ronnie Drew

Ronnie Drew, we love you, yes we do
Ronnie Drew, nós o amamos, sim nós fazemos

Here's to you, Ronnie Drew, here's to you
Essa é pra você, Ronnie Drew, essa é pra você

The dawn and the dust, the wise, the unjust
O amanhecer e o pó, o sábio, o injusto

Kids in gambling games
Crianças em jogos de azar

The unheard, the unseen, the unwashed and unclean
O desconhecido, o não visto, o sujo e o mal lavado

Where the streets all have names
Onde todas as ruas têm nomes

Baggers, street masons, street wagons to Stevens
Imploradores, pedreiros de rua, vagões de rua para Stevens

With lovers and loners who can hear all intoners
Com os amantes e solitários que podem ouvir todo os carentes

The goths and the ravers, invalids and traders
Os góticos e o ravers, inválidos e comerciantes

Sing out Ronnie Drew
Cante para Ronnie Drew

A life for a life or a hand for a hand
Uma vida por uma vida ou uma mão por uma mão

Trust in the music and strike up the band
Confie na música e detone com a banda

The more that we sing the less that we fight
O mais que nós cantamos, o menos que nós lutamos

Time and again this is proved to be right
Tempo e novamente isto provou ser o certo

Build you a statue on St. Stephen's Green
Construa para ele uma estátua em St. Stephen's Green

No fairer monument ere to be seen
Nenhum monumento mais justo será visto

The statue of Ronnie Drew holding the hand
A estátua de Ronnie Drew dando a mão

Of a girl with her hair in a black velvet band
À uma menina com o cabelo em uma bandana preta

Here's to you, Ronnie Drew
Essa é pra você, Ronnie Drew

No stranger to devils or angles to tell
Nenhum estranho para diabos ou ângulos para contar

Here's to you, Ronnie Drew
Essa é pra você, Ronnie Drew

A friend of a friend of a friend of a friend of a
Um amigo de um amigo de um amigo de um amigo de um

friend to you
amigo para você

Ronnie Drew, we love you, yes we do
Ronnie Drew, nós o amamos, sim nós fazemos


Here's to you, Ronnie Drew, here's to you
Essa é pra você, Ronnie Drew, essa é pra você

Here's to you, Ronnie Drew, here's to you, Ronnie
Essa é pra você, Ronnie Drew, essa é pra você, Ronnie

Drew
Drew

Here's to you, Ronnie Drew, here's to you, Ronnie
Essa é pra você, Ronnie Drew, essa é pra você, Ronnie

Drew
Drew

And what's it to any man whether or no?
E o que é isso para qualquer homem que queira ou não?

Whether I'm easy or whether I'm true
Se eu sou fácil ou se eu estou certo

As I lifted her petticoat easy and slow
Como eu ergui o saiote dela fácil e lentamente

And I rolled up me sleeve for to buckle her shoe
E eu amarrei para cima minha manga para afivelar o sapato dela


Bono aparece no DVD 'Paul McCartney - The Space Within Us'

Em setembro de 2005, Paul McCartney começou a travessia de 11 semanas e 34 shows nos Estados Unidos com a "US Tour". Músicas de sua carreira solo, com os Wings e os Beatles fizeram parte do repertório. Em pouco tempo, se tornou o espetáculo do ano na América, com casas lotadas por onde passou. E é esse show que foi lançado em DVD e Blu Ray.
O vídeo captura a força de mais de 25 câmeras de HDTV em uma performance histórica de duas horas com mais de vinte músicas. O material extra inclui a mensagem de bom dia de Paul para os astronautas a bordo da Estação Espacial Internacional, entrevistas com McCartney e banda, passagem de som.
Entre os depoimentos colhidos para o filme sobre a importância dos Beatles e de Paul, estão os do Presidente Clinton, Tony Bennett, Herbie Hancock, Eddie Vedder (Pearl Jam), Alec Baldwin e muitos outros.
Em um certo momento onde podemos ver imagens de backstage do Grammy Awards, vemos Paul se encontrar com Jay Z e Beyonce. É nesta parte que aparece Bono conversando com Sir Paul, para logo depois os dois tirarem uma foto juntos!


A aparição de Bono no DVD aos 6:02 do vídeo:


Canção do DVD ' The Space Within US'

Aung San Suu Kyi é libertada em Mianmar

Depois de quase duas décadas vivendo em prisão domiciliar, a líder da oposição em Mianmar, Aung Suu Kyi, símbolo da dissidência à junta militar, foi libertada no dia de hoje. A condenação de 18 meses de prisão domiciliar, que a vencedora do Nobel da Paz em 1991 encerra hoje, é a última de uma longa série de punições.
Aung Suu Kyi apareceu com um vestido lilás na porta de sua casa, onde três mil seguidores a aguardavam para celebrar sua libertação. O comparecimento público da ativista, de 65 anos, ocorre minutos depois de ter recebido a liberdade.
"Este é um tempo de calma e um tempo de diálogo. As pessoas devem trabalhar em harmonia. Só assim poderemos chegar ao nosso objetivo", afirmou Suu Kyi a uma multidão.
Suu Kyi ficou presa durante 15 dos últimos 21 anos e é vista pela população birmanesa como um símbolo da resistência democrática pacífica em Mianmar, país comandado por militares.
Desde o ano passado, o U2 passou a incentivar os fãs a baixarem pela internet uma imagem do rosto da líder oposicionista e a usar em seus shows, quando tocam a música "Walk On".

"Recorte, prenda um elástico ou cordão nos lados, experimente o tamanho (...) Use para ir à universidade, use nos ônibus e nos trens. Use nos bares e nas lojas. E não esqueça. Traga a um show do U2", dizia o texto divulgado no site da banda, que citava uma comparação entre a birmanesa e Nelson Mandela.
"U2 acredita que o mundo não deve esquecer Aung San Suu Kyi, e os fãs que vão aos shows da 360 Tour estão sendo convidados a usar a máscara quando a banda tocar 'Walk On', que foi escrita para ela."
No show da banda em Dublin no ano passado, Bono anunciou em pleno concerto que Aung San Suu Kyi era a Embaixadora de Consciência da Amnistia Internacional 2009.
"Walk On" é a quarta faixa como também o quarto single do álbum 'All That You Can't Leave Behind', sendo lançado como single em 1° de novembro de 2001. A canção foi escrita sobre Aung San Suu Kyi.


sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Fitzwilliam Street, a rua do videoclipe de 'The Sweetest Thing'

O vídeo de 'The Sweetest Thing' do U2, dirigido por Kevin Godley, mostra Bono levando sua esposa Ali em um passeio de carruagem ao longo da Fitzwilliam Street Upper, em Dublin.
Vários artistas ao longo do caminho, ajudam no esforço de Bono para se desculpar com sua esposa. Os artistas apresentados incluem Riverdance, Boyzone, Steve Collins, o Artane Boys Band e o Chippendales. The Edge, Adam Clayton, Larry Mullen Jr., Norman Hewson (irmão de Bono), também participam do vídeo.
Localizada no centro de Dublin, a área comercial de mais prestígio da cidade fica na Fitzwilliam.

Blog U2 Sombras e Árvores Altas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...