Anúncios

Ainda Não Encontrou O Que Procura? Pesquise Aqui!

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

U2 negociou game nos moldes de 'The Beatles Rock Band'

Adam Clayton revelou ao jornal USA Today em 2009, que o U2 já havia negociado uma participação na série de games Rock Band. A parceria, no entanto, não se concretizou por divergências contratuais.
A banda chegou a se reunir com as empresas responsáveis pelo jogo, MTV Games e Eletronic Arts, mas as partes não chegaram a um acordo. "Sentimos que algumas das concessões que teríamos que fazer não eram o que estávamos querendo".
Contudo, o lançamento de 'The Beatles Rock Band', mudou a imagem que o grupo tinha sobre games musicais. "Nós definitivamente gostaríamos de estar no jogo", disse Adam.
Clayton disse: "Isso poderia mudar. Gosto muito da idéia de que essa é a maneira como as pessoas estão adquirindo a música e adoraríamos fazer parte deste mundo. Vamos dar um jeito."
O baixista do U2 confirmou que o jogo dos Beatles foi o que trouxe de volta seu entusiasmo com o projeto: "Estamos interessados em algo como os Beatles fizeram, em que a animação representa melhor a banda. Não queremos ser caricaturados".
'The Beatles: Rock Band' é um jogo de videogame desenvolvido pela Harmonix. O jogo tem 45 músicas dos The Beatles, desde o primeiro álbum, Please Please Me, até o último, Let It Be. O jogo também conta com três álbuns completos para download e mais uma música avulsa, 'All You Need Is Love'. Os álbuns são Rubber Soul, Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band e Abbey Road. O jogo ainda tem materiais inéditos. A presença de Paul McCartney e Ringo Starr no palco da E3 de 2009 marcaram o lançamento oficial do jogo. Yoko Ono e Olívia Harrison, viúvas de John Lennon e George Harrison, também estavam presentes.
Ele foi lançado no dia 9 de setembro de 2009, e neste mesmo dia foi lançado um box com todos os discos de estúdio do Beatles remasterizados. The Beatles: Rock Band foi lançado para Playstation 3, Xbox 360 e Wii.

O jogador deve mostrar suas habilidades de canto e tocar instrumentos acompanhando a música, e ganha pontos conforme seu desempenho.

O jogo segue a carreira dos Beatles na ordem cronológica, desde o Cavern Club até o palco de Ed Sullivan; o show no Shea Stadium, o Budokan no Japão, Abbey Road e o famoso show no telhado da Apple Corps em 1969.

Os avatares de Paul, John, George e Ringo têm a aparência e figurinos idênticos aos originais de cada época, e é impressionante a qualidade da renderização.

Além das apresentações conhecidas nos palcos, estúdios e telhado, há clipes animados inéditos com efeitos psicodélicos como em 'Lucy In the Sky' e 'I Am The Walrus', e cenários bucólicos como em 'Here Comes The Sun' e 'Dear Prudence'.

As canções utilizadas vieram diretamente das ‘master tapes’ da Apple Corps, e o jogador toca em réplicas virtuais dos instrumentos originais dos Beatles: a guitarra Rickenbacker 325 de John, o baixo Höffner de Paul, a guitarra Gretsch Duo Jet de George e a bateria Ludwig de Ringo, com o logotipo da banda.

Segredos revelados: 'The Hands That Built America'

Bono revelou para a Spin Magazine em 2002 que trabalhava em novas canções para o novo álbum do U2 que seria lançado em 2003 ou 2004. Ele citou uma canção chamada "A Man's A Man", que estaria em um filme chamado 'Gangs Of New York'.
Martin Scorsese queria uma canção tema para o seu novo filme, e o chefão da Miramax, Harvey Weinstein; conseguiu convencer o U2 a gravar uma música inédita para os créditos do longa.
'The Hands That Built America' então foi escrita para ser utilizada na trilha sonora do filme de Scorsese, chamado 'Gangues de Nova York'.
Não se sabe ao certo se "A Man's A Man" era uma canção diferente ou se foi o título inicial de trabalho de 'The Hands That Built America'.
A banda apresentou a canção pela primeira vez no TriBeCa Film Festival, em Nova York, no ano de 2002.
Aproveitando o lançamento da nova coletânea da banda, 'The Best Of U2 1990 - 2000'; a canção foi inserida na compilação como uma das duas canções inéditas presentes. Sempre no refrão desta versão, ouve-se murmúrios confusos ao fundo, mas que segundo o site oficial da banda, são: "Russian, Sioux, Dutch, Hindu", "Korean, Hispanic, Muslim, Indian".
Ela foi registrada no estúdio HQ, em Dublin e em Nice, França. Foi produzida por William Orbit.

No DVD 'The Best Of U2 1990 - 2000', a banda utilizou um vídeo de um ensaio mais acústico da canção, no estúdio em Dublin, no dia 09 de maio de 2002. Então o áudio da canção neste vídeo é diferente da versão final gravada mixada e inserida no CD da coletânea.
O vídeo é composto apenas de imagens em preto e branco do U2 tocando a faixa no estúdio.

A canção é sobre Nova York. O primeiro verso da canção faz referência a Grande Fome Irlandesa, e os resultados da imigração de milhares de pessoas da Irlanda para os Estados Unidos, um fato que se reflete na demografia da cidade de Nova York.
O segundo verso refere-se ao sonho americano, e os ideais que o trabalho duro pode trazer prosperidade à uma pessoa.
O terceiro verso é sobre a mediação bem sucedida de Bill Clinton entre a Irlanda e a Irlanda do Norte.
O verso final é sobre o fatídico dia 11 de setembro de 2001.
O título da canção foi inspirado pelo Horslips, na faixa-título de seu álbum "The Man Who Built America".
A música ganhou o prêmio de Melhor Canção Original no Globo de Ouro de 2003.
Quem faz o backing vocal em forma de ópera, é o próprio Bono.
A trilha sonora do filme traz uma terceira versão da música, diferente das outras duas encontradas no CD da coletânea 'The Best Of U2 1990 - 2000' e no DVD 'The Best Of 1990 -2000'.
Esta versão da trilha sonora (Soundtrack Mix) traz um som mais celta com adições de violinos e um 'Tin Whistle' tocados pelas irmãs Sharon Corr e Andrea Corr, integrantes da banda The Corrs.
Nesta versão foram removidos os murmúrios. No entanto, foi inserida uma nova linha com Bono cantando: "Washington tree, Washington tree now". Outras pequenas modificações na letra também foram realizadas.
Um 2° videoclipe foi editado para esta versão, trazendo uma combinação de imagens envelhecidas da banda tocando a música, e cenas do filme Gangues de Nova York.

Acabou por aí? Não!
Nos créditos finais do filme, uma quarta versão da canção. É basicamente a versão 'Soundtrack Mix', com uma introdução estendida, diferente e reeditada:

'The Hands That Built America' tinha sido anunciada para ser um single que seria lançado em 2003, trazendo como Lados B as canções "The Playboy Mansion" (uma versão diferente da lançada no álbum Pop, refeita e denominada de '2003 Mix') e "That's Life" (canção cover de Frank Sinatra cantada por Bono na trilha sonora de 'The Good Thief'), além da 2° versão do videoclipe da canção.
O site Amazon anunciava a venda do single para 28 de abril daquele ano, e uma versão alemã do single também estava prevista.
Como a canção não levou o Oscar naquele ano, eles cancelaram o lançamento do single.
Ainda está no ar o link com o anúncio do single: http://www.amazon.com/Hands-That-Built-America-U2/dp/B00008WVHZ
O single já tinha uma capa pronta para o seu lançamento:

Bono e Edge plagiaram som da banda....... U2!

É isso mesmo! Bono e Edge foram os responsáveis pelas letras e canções da trilha sonora do musical da Broadway 'Spider-Man: Turn Off The Dark'.
Os primeiros segundos da faixa instrumental 'NY Debut' é IDÊNTICO aos primeiros segundos da canção 'In God's Country', do U2.
O som de guitarra e violão utilizado na introdução da canção do U2 lançada em 1987 no álbum 'The Joshua Tree', é muito parecido com o som de introdução da canção do musical da Broadway, que tem um compasso mais lento.
Confiram as duas introduções e dêem suas opiniões:

IN GOD'S COUNTRY (U2):


NY DEBUT (SPIDER-MAN: TURN OFF THE DARK):

terça-feira, 30 de agosto de 2011

U2 vence na categoria Live Act no Brit Awards 93 - Video

O U2 vence a categoria 'Best Live Act' no Brit Awards de 1993, e a banda sobe ao palco para receber o prêmio:

U2: The Early Days - Livro





Publicado em 1989 pela Delta, esta primeira edição do livro importado de 96 páginas 'U2: The Early Days', é um registro fotográfico íntimo do nascimento do U2.
Bill Graham e os três fotógrafos da obra (Patrick Brocklebank - James Mahon - Hugo McGuinness) foram particularmente próximos do U2 durante o final de 1970, período que antecedeu o lançamento de "Boy", seu primeiro álbum.
O legado nas fotografias originais e inéditas, todas em preto em branco, foram selecionadas à partir de mais de 750 fotos nunca antes publicadas.

Trecho da canção 'A Day Without Me' apareceu em shows da turnê 360° no ano de 2009

Em shows pela turnê 360° no ano de 2009 em Londres e Glasgow, o U2 utilizou na performance ao vivo de 'The Unforgettable Fire' um trecho de uma canção que está presente no primeiro álbum da banda e que não é tocada ao vivo em sua íntegra desde 1985: 'A Day Without Me'.
Bono cantou a linha: "Starting a landslide in my ego. Starting a landslide......".
"A Day Without Me" é o primeiro single do álbum de estréia do U2, Boy. Lançado em agosto de 1980, foi o segundo single da banda com a Island Records.

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Red Hot Chili Peppers segue os passos de Beatles e U2 na gravação do seu novo videoclipe

Prestes a virem ao Brasil, o Red Hot Chili Peppers teve o primeiro single de seu novo álbum lançado recentemente.
"The Adventure Of Raindance Maggie" é o primeiro single do álbum "I'm With You", que sai no dia 30 de agosto. A capa do novo trabalho, que traz uma mosca em cima de uma cápsula de remédio, foi feita pelo artista britânico Damien Hirst. "É uma imagem. É arte. Icônica. Não definimos um significado, mas está aberto para interpretação", disse o vocalista Anthony Kiedis.

Damien Hirst recentemente foi o responsável por uma animação visual em vídeo para o U2, que foi utilizada pela banda no Festival de Glastonbury, e que também trouxe moscas em sua concepção.
A música "The Adventure Of Raindance Maggie" teve seu vídeo registrado em uma apresentação surpresa do grupo na cobertura de um prédio em Venice Beach, na Califórnia.

Filmado pelo diretor de clipes e comerciais Marc Klasfeld, o clipe referencia o célebre show dos Beatles sobre os escritórios da Apple Records em 1969, registrado no documentário “Let It Be”.
E também a histórica performance do U2 em Los Angeles em 1987, em cima do telhado de uma loja de licores, onde a banda registrou o videoclipe de 'Where The Streets Have No Name' e causou tumulto nas ruas e problemas com a polícia.

Mais uma vez, Rick Rubin ficou encarregado da produção do trabalho dos Peppers, que será o primeiro sem o guitarrista John Frusciante desde "One Hot Minute", de 1995, gravado por Dave Navarro. Frusciante deixou o grupo em 2009, sendo substituído por Josh Klinghoffer.
Rick Rubin produziu duas faixas inéditas para o U2 na coletânea U218 Singles, lançada em 2006.

Uma homenagem à Christopher Nolan

O escritor irlandês Christopher Nolan, que, apesar de sempre estar quase que totalmente imobilizado por uma paralisia cerebral, escreveu obras que lhe renderam prêmios e fama internacional.

Nolan, que tinha pouco controle sobre seu corpo, era obrigado a escrever com um computador e um teclado adaptados à sua deficiência.

Em 1988, o autor venceu o prêmio literário britânico Whitbread com sua autobiografia, Under The Eye Of The Clock ("Sob O Olhar Do Relógio").
Nascido em 1965, Nolan teve paralisia cerebral em decorrência de uma insuficiência de oxigênio registrada por complicações no parto.
Aos 15 anos, publicou Dam Burst of Dreams, muito elogiado pela crítica. Sua terceira obra importante, The Banyan Tree, conta a história de uma mulher do oeste da Irlanda e sua família.
Nolan faleceu em 2009, aos 43 anos de idade.

A presidente irlandesa, Mary McAleese, afirmou que Nolan era um escritor cujas conquistas eram tanto mais surpreendentes quanto o fato de ter que lutar diariamente contra a sua doença.
Em 2004, o U2 escreveu uma canção sobre Christopher Nolan, e Bono comentou sobre: 'Nós viemos do lado Norte de Dublin, estudamos e nos conhecemos numa escola chamada Mount Temple Comprehensive. E quando estávamos terminando o colégio um garoto estava começando. Era um garoto com paralisia, não conseguia fazer nenhum movimento e nasceu com problemas de oxigenação...
Mas apesar de tudo isso, ele tinha algo diferente nos olhos... um brilho nos olhos, que era sua única forma de comunicação. E isso fazia sua mãe acreditar nele.
Ela acreditava que ele estava consciente de tudo... então costumava ler pra ele e lhe ensinar coisas. Até que aos 13 anos de idade, descobriram um medicamento que lhe dava condições de fazer um pequeno movimento com o pescoço. E com um instrumento semelhante ao chifre de um unicórnio preso na testa ele aprendeu a digitar... e digitou as coisas que estavam presas na sua mente por anos. Escreveu uma coletânea de poemas, ganhou uma série de prêmios, foi para a universidade e se tornou um gênio. Graças ao amor de sua mãe e ao avanço da medicina. Tornou-se um poeta, um belo poeta...escreveu um livro chamado "Dam-Burst Of Dreams" e seu primeiro poema se chama: "I Learned To Bow" (Aprendi A Me Curvar), onde ele agradece a Deus, pelo presente que lhe foi dado pela ciência e pela medicina. Claro que ciência, medicina e Deus são tudo a mesma coisa...
Deveriam sempre ser a mesma coisa. Seu nome é Christopher Nolan e essa música é para ele, se chama Miracle Drug....'

A história por trás da faixa 'Don't Come Knocking'

O filme Don't Come Knocking reune o famoso diretor alemão Win Wenders com Sam Sheppard, mais de 20 anos após a sua colaboração em Paris, Texas; que venceu a Palma de Ouro no Festival de Cannes em 1984.
Howard Spence (Sam Shepard) já teve dias melhores: antes um protagonista dos westerns, agora ele só consegue papéis secundários e leva uma vida autocentrada, afogado em álcool, drogas e jovens mulheres. Até que um dia sua mãe revela que ele tem um filho (ou filha, não se sabe ao certo) desconhecido. Howard vê nisso uma razão para remontar ao passado e, a partir daí, conviver melhor com o presente. No seu caminho estarão um velho caso de amor, um jovem casal, uma estranha e desconhecida garota e até mesmo um "caçador de recompensas" enviado pelo estúdio de cinema que ele abandonou no meio de uma filmagem.
Além de seu reencontro com Shepard, Wenders mais uma vez teve a oportunidade de trabalhar com Bono. Wenders já dirigiu um roteiro de Bono de 'The Million Dollar Hotel', e também o U2 sempre colabora com canções para os filmes de Wenders.

A primeira colaboração do U2 com o diretor, foi o vídeo de 'Night And Day', da compilação 'Red, Hot and Blue'.
O vídeo foi filmado em 1990 no telhado e dentro do apartamento de Wim Wender em Torstrasse, Berlim Mitte.
Mitte é um bairro que reúne cafés, bares, lojas e galerias de arte na parte oriental da cidade.
No videoclipe, gravado em uma noite gelada de inverno na Alemanha, o diretor fez Bono ficar na parte de fora do apartamento, com a camisa aberta.
Wenders gosta de deixar espaço para acaso e espontaneidade ao fazer seus filmes. Em 'Don't Come Knocking', Bono contribuiu para esses dois elementos, como Wenders relata na seguinte história, sobre o homem de frente do U2 vindo através de uma música para seu amigo - um dueto com Andrea Corr do The Corrs - às 11 horas.

"Bono tinha visto o filme em um corte brusco, tinha gostado muito dele, e - eu não havia pedido a ele, eu sabia o quão ocupado o homem era. Mas a sorte é que ele foi voluntário e se ofereceu por conta própria, 'Talvez eu pudesse escrever uma canção- título', porque ele adorou o filme".
"Então havia essa vaga esperança de que talvez, eventualmente, teríamos uma canção-título. Acabamos de editar o filme e T-Bone (Burnett) gravou a trilha do score, a trilha sonora e tudo mais. Nós colocamos algumas outras músicas ao fundo apenas para segurar o lugar da nossa canção-título, mas nunca conseguimos uma canção-título.
"O filme foi terminado, fomos para Cannes, não tínhamos uma canção título. Exibimos ele em Cannes, sem a música do U2, tivemos uma das canções de T-Bone no final e não uma canção título. O lugar dela estava sendo reservado".
"O U2 estava fazendo a turnê Vertigo, Bono estava envolvido com Live 8, a campanha One. Se você quisesse chegar até ele, teria ou que falar com Bush em Washington, para Blair, em Londres, para Chirac. Quero dizer, parecia ridículo de acreditar que ele estava escrevendo uma música, muito menos que iria gravá-la".
"Então, finalmente, ele veio para fazer as primeiras impressões. E eles foram para a Alemanha e França, porque o filme saiu no final de agosto, início de setembro. O produtor finalmente disse, 'Vamos lá, este é um sonho. Nós nunca teremos uma canção do U2. Temos que fazer impressões, nós temos que fazer pré exibições para a imprensa, temos que começar a ser sérios e trabalhar."
"Então, eu disse ao laboratório que a partir da próxima semana iríamos fazer impressões. Na sexta-feira à noite recebi um e-mail com um anexo muito grande. O email era de Bono. Quando fui abri-lo, era a música, mas era apenas a voz de Bono e a voz de Andrea, e havia uma base temporária por baixo das vozes, feita por The Edge no computador, porque eles simplesmente não tinham tempo para gravar tudo, e para polir ela".

"Então lá estava eu, tinha a canção-título, mas estava incompleta. Então, eu passei toda a coisa para o T-Bone, eu estava em Berlim, mandei o longo anexo ao T-Bone com um e-mail dizendo: 'Na segunda-feira precisamos dela terminada'. E T-Bone me escreveu, dizendo: 'Você está louco? É sábado de manhã aqui. Como você quer que eu organize, pegue os músicos, grave a música, mixe, e te devolva na segunda-feira?'.
"Eu respondi: 'É a nossa única opção.' Ou até segunda-feira vamos ter a música do U2, uma canção de Bono, não é uma música do U2, é uma canção de Bono com ajuda de Edge - ou não, porque é o nosso prazo, temos de fazer as impressões".

Naquela noite de sábado, T-Bone colocou sua banda musical juntos, recriou o arranjo criado por The Edge, gravou os músicos, mixou sua trilha no domingo, e na manhã de segunda-feira, quando Wenders voltou no estúdio, ele tinha a música completa.
Wenders resumiu tudo: "Foi tão estreito quanto ele podia chegar."
O resultado final é um número imaculado, uma música sutil, sedutora, mais ao longo das linhas de 'Slow Dancing' ou 'Falling at Your Feet'. É também uma reminiscência de um outro dueto entre Bono e Andrea Corr: a cover para a canção de Ryan Adams, 'When the Stars Go Blue'.
É um feito notável que se tornou ainda mais notável pela torrente de atividade durante o qual a canção foi criada.
Ela toca nos créditos finais do filme:

domingo, 28 de agosto de 2011

Bono e George Clooney passeiam de moto na Itália

George Clooney recebeu os amigos Bono e o empresário Rande Gerber em sua casa em frente ao lago Como, na Itália, na sexta-feira (26), e eles resolveram fazer um programa de homens: andar de motocicleta. As informações são do site Just Jared e Celebuzz deste domingo (28).
As fotos mostram também o vocalista do U2 sem camisa e enrolado em uma toalha enquanto conversa com Clooney. Depois, o trio saiu pelas ruas para passear de moto.


A fama de bom anfitrião de Clooney é bem conhecida entre os astros de Hollywood. Vera Farmiga, que contracenou com ele no filme Up in the Air, disse sobre o colega de trabalho no canal E!: "Ele é tão altruísta. Ele é um bobão e ele é tão carinhoso com a equipe. [...] Ele faz você se sentir como se você fosse a pessoa mais importante na sala. Ele é realmente curioso sobre quem você é. Isso é raro para uma estrela de cinema".

Do site: Vírgula

Os instrumentos do U2 estão em casa novamente

Do site U2 BR, via U2 Place:

Quase um mês após o final da 360º Tour, os instrumentos usados pelo U2 retornam à Dublin, mais precisamente para o estúdios de Hanover Quay, onde a banda gravou seus álbuns nos últimos anos.
Como podemos ver nas fotos abaixo retiradas do Interference, nos últimos dias vários caminhões chegaram ao estúdio para descarregar os equipamentos utilizados pela banda no mundo todo durante os dois longos anos da última turnê.




sábado, 27 de agosto de 2011

U2 entre os 10 melhores álbuns de 1991, segundo o site 'Ultimate Classic Rock'

Com bandas como Pearl Jam, U2, Metallica e Nirvana lançando álbuns no ano de 1991, o ano é um dos mais importantes da história do rock 'n' roll.
Duas décadas depois, a influência destes discos continua tão forte como nunca.
Em comemoração do 20º aniversário de um dos maiores anos na música, a lista do site 'Ultimate Classic Rock' dos 10 Melhores Álbuns de Rock de 1991:

10. 'Temple of the Dog'- Temple of the Dog

09. "Badmotorfinger" - Soundgarden
08. 'No More Tears' - Ozzy Osbourne

07. "Out of Time ' - REM
06. 'Blood Sugar Sex Magik " - Red Hot Chili Peppers
05. 'Use Your Illusion I' e 'II' - Guns N 'Roses

04. 'Ten' - Pearl Jam

03. 'Achtung Baby' - U2

02. "Metallica" (The Black Album)

01. Nevermind' - Nirvana

========================================

Lançado no dia 27 de agosto de 1991, há exatos 20 anos, “Ten” do Pearl Jam marcou de vez o início da dominação grunge, que ficaria ainda mais massiva com a chegada “Nevermind” do Nirvana, no mês seguinte.
Apesar de ainda ser o álbum mais vendido e mais conhecido do Pearl Jam, vendendo quase 10 milhões de cópias só nos EUA, “Ten” não foi um sucesso imediato. Foram quase 9 meses até que o álbum entrasse no Top 10 da parada americana, onde ficou até a chegada de “Vs.”, segundo álbum do Pearl Jam, em 93.
O resultado foi que ao final de 1993, quando a explosão grunge começava a se apagar, o Pearl Jam era a banda que mais tinha vendido discos de toda a cena e, pode se argumentar, uma das maiores bandas do mundo, posição que o grupo mantém até hoje.
“Ten” rendeu oficialmente três singles - “Jeremy”, “Alive” e “Even Flow” – mas, mesmo sem promoção, as rádios começaram a tocar a faixa “Black” no fim de 92, e as quatro continuam entre as favoritas dos fãs, velhos e novos. Embora nesses 20 anos, a banda tenha feito outros grandes álbuns, “Ten” permanece não só como um dos discos mais importantes das últimas décadas, mas um retrato fiel e impactante do Pearl Jam.

Agradecimento: TVZ

Deserto: o símbolo do álbum 'The Joshua Tree'

Em Dezembro de 1985 Bono e sua mulher Ali visitaram a Etiópia pela primeira vez, apoiando uma organização chamada "World Vision".
Ali trabalhou em campos de refugiados e orfanatos, onde ela colecionou experiências em primeira mão sobre as conseqüências da fome neste país. Ainda assim, mesmo onde a pobreza é pior, Bono observou um grande espírito nas pessoas, que muitas vezes falta em um mundo desenvolvido: "Eles têm um verdadeiro deserto, temos diferentes tipos de desertos".
Isto, pela primeira vez, desencadeou em Bono o pensamento de tomar o deserto como um símbolo para o próximo álbum que seria gravado pelo U2.
A gravação teve início um ano depois, com os primeiros títulos de trabalho, como 'The Desert Songs' e 'The Two Americas'. Assim, Anton Corbijn começou a procurar um local apropriado para a sessão de fotos para a arte da capa do álbum.
Ele traçou um retrato do Joshua Tree, que ele tinha visto em fotos anteriores, e mostrou para Bono. Em Dezembro de 1986 a banda finalmente pegou a estrada para tirar novas fotos para o álbum.
A idéia de Corbijn, e o fato de que normalmente crescem as árvores Joshua crescem grupos, mas que a Joshua Tree vale por si só, levou ao título do álbum, 'The Joshua Tree'.
Nas letras do álbum, Bono continuou com essa ideia de deserto fixada na mente.
Nas canções 'Trip Through Your Wires', 'Where The Streets Have No Name' e 'In God's Country', Bono utiliza a palavra deserto nas letras.
Uma canção que ficou fora do álbum, mas foi lançada na edição especial de 20 anos de 'The Joshua Tree', tem o título de 'Desert Of Our Love'.
Em geografia, Deserto é uma região que recebe pouca precipitação pluviométrica. Como consequência, os desertos têm a reputação de serem capazes de sustentar pouca vida.

Em shows da turnê Lovetown em 1989, Bono declamou trechos da letra da canção Heartland

Tocando em Melbourne, Victoria, Australia, no National Tennis Centre em 1989 pela turnê Lovetown; o U2 em duas noites utilizou na introdução da canção 'Where The Streets Have No Name', trechos da letra de uma canção da banda jamais tocada ao vivo até hoje: Heartland, do álbum 'Rattle And Hum', lançado em 1988, e que deu origem à 'Lovetown Tour'.
Durante a introdução instrumental de 'Streets', Bono declama trechos de 'Heartland': " She feels like water in my hand. Freeway like a river cuts through this land. Through the ghost-ranch hills, death valley waters. Tonight, I belief goes on and on."

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Os segredos de 'Stateless' revelados

O livro 'Into the Heart' de Niall Stokes, traz detalhes sobre a canção 'Stateless' do U2, presente na trilha sonora de 'The Million Dollar Hotel':

'Stateless' surgiu de uma jam em uma passagem de som. O U2 estava na Austrália e se sentiram confortáveis o suficiente antes do próximo show, para deixar a música fluir através deles.
O engenheiro de som da banda, Joe O'Herlihy, rotineiramente armazena esses materiais improvisados em Fitas DAT.
Enquanto gravavam o álbum "All That You Can't Leave Behind", a banda voltou à trabalhar nesta canção inédita. "Sempre houve esta linda semente de rendição", disse Daniel Lanois. "Para estes dias é muito, muito inspirador. É basicamente Bono. Ele pegou a guitarra de Edge, com os grandes sons, e veio com essa coisa no local. Tentamos obter nisto um registro para o U2".
Mas não se encaixavam perfeitamente. Além disso, Bono tinha outros peixes para fritar. Ele começou à ouvi-la sobre uma cena em 'Million Dolar Hotel', onde Tom Tom pula do telhado. Ela teria feito um certo sentido. "Eu não tenho nenhuma casa neste mundo", Bono canta, ecoando o espiritual bluegrass "Este mundo não é o meu lar", " apenas a gravidade, a sorte e tempo / Eu não tenho nenhuma casa neste mundo / Só você e você não é minha / sem pátria / sem importância".
No final, eles tiveram de encontrar um lar para ela no filme, mas ela ainda oferece um dos momentos mágicos em que elide a música e efeitos visuais com uma potência tranquila. É uma idéia clássica do U2, evocando o fantasma do espírito que assombra Zooropa, em 'Stay (Faraway So Close)' e 'The Wanderer', em particular. "É como um blues de Robert Johnson" Bono reflete. "É uma espécie de um blues sci-fi". Um tipo diferente de blues, você poderia dizer.

O insulto de Ian Brown à Bono

O site cultural Flavor Wire resolveu compilar os maiores insultos do mundo da música e explorar as guerras entre nomes como Kurt Cobain e os Guns N' Roses, Elton John e Madonna, Robert Smith e Morrissey.
Saiba agora o que Ian Brown do Stone Roses disse sobre Bono:
"É um falso, não é? Quando fizemos o Live Aid, que lhes deu sucesso internacional, ele olhou ao redor e viu uma garota negra no meio da multidão, que era de Hackney ou assim, e disse: 'Aqui está uma grande oportunidade para eu mostrar que sou o Sr. África'. É como o período colonialista com um grande chapéu branco".

Ler mais: http://blitz.aeiou.pt/quando-os-artistas-se-insultam-veja-aqui-o-top-30-das-maiores-ofensas-do-mundo-da-musica=f75987#ixzz1W2qUIniW

'Ghost In The Shell', de Mamoru Oshii

"Ghost In The Shell" é um filme de animação dirigido por Mamoru Oshii em 1995. Foi adaptado a partir da Graphic Novel cyberpunk de Masamune Shirow lançada em 1989.
A Major Motoko é uma agente cibernética e líder da unidade do serviço secreto Esquadrão Shell. Formada pelo governo para combater a onda de crimes, eles são informados de que um famoso criminoso, "expert" em computadores, está no Japão. O suspeito é conhecido apenas pelo codinome "Mestre Marionete", por sua habilidade de manipular as mentes das pessoas. Este único e misterioso 'super hacker' é suspeito de inúmeras infrações, incluindo a manipulação do mercado de ações, coleta de dados ilegais, manobras políticas, atos terroristas e violação da ética cibernética.
A Seção 9, o serviço secreto de elite do Japão, é chamado em
para capturar esse criminoso, mas apenas para descobrir
que a rede elaborada de evidências leva de volta à
própria Comissão Nacional Japonesa de Segurança Pública, e que este super "hacker" surgiu como um vírus de computador criado pelo próprio Ministério como a ferramenta final na espionagem política e comercial.
Sabendo que esta informação pode ser o seu fim, o Ministério das Relações Exteriores ataca o Esquadrão Shell na esperança de resgatar o Mestre Marionete
No Brasil, o filme foi lançado com o título "O Fantasma Do Futuro".
Na versão original japonesa do filme, a música que toca nos créditos é 'Reincarnation III', de Kenji Kawai.
Na versão americana, a canção dos créditos finais é 'One Minute Warning', do Passengers.

Real ou Imaginário?
Este filme é real!

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Vertigo Tour 2005 UK Necklace

Estes colares de prata foram produzidos para a Vertigo Tour em 2005. Eles não estavam à venda no início da turnê, e parece que eles foram adicionados à linha de souvenirs comerciais da turnê só mais tarde, na Inglaterra.
Havia três símbolos, que correspondiam aos símbolos encontrados nas camisetas vendidas naquela turnê. Eram: a bomba, o coração e o símbolo da paz; cada um deles trabalhado em prata.

Histórias da ZooTV: Bono é espancado com uma escova de cabelo

Do livro 'U2 At The End Of The World':

Na turnê ZooTV, você podia subir uma pequena escada para um vasto hall atrás do palco, no qual ficava um pequeno vestiário e um saco de boxe onde os membros se reuniam durante os intervalos, e onde eles podiam trocar de roupa. Uma noite Bono voltou indignado durante o solo do Edge em "Bullet The Blue Sky." Estava tudo dando errado naquela noite e ele estava furioso. Antes de se atirar na cadeira onde a estilista Nassim Khalifa o embonecava, ele socou o saco, atirou uma cadeira e chutou a parede. Enquanto Nassim tentava escovar o cabelo dele ele socava a mesa e gritava, "Merda! Merda!". Então, ela bateu na cabeça dele com a escova como se ele fosse um cão malvado. Bono ficou chocado. "Isto dói!" Ele olhou para o espelho e viu Nassim calmamente escovando, sem dizer nada. Ele calou a boca e se comportou.

Tradução: Forum UV Brasil

Music From Spider-Man: Turn Off The Dark - CD




CD Music From Spider-Man: Turn Off The Dark, lançado pela Mercury Records, com licença da Interscope Records nos EUA e da Universal Music no resto do mundo. Edição nacional.

Faixas:
01 NY Debut (Instrumental)
02 Boy Falls From The Sky
03 Rise Above 1
04 Picture This
05 I Just Can't Walk Away (Say It Now)
06 Bouncing Off The Walls
07 Pull The Trigger
08 No More
09 Diy World
10 If The World Should End
11 Sinistereo
12 A Freak Like Me Needs Company
13 Rise Above 2
14 Turn Off The Dark

O CD foi produzido por Steve Lillywhite, com produção executiva de Bono e Edge.
Foi gravado no MSR Studios em Nova York, com exceção de 'Bouncing Off The Walls', que foi gravada no Henson Recording Studios, por Nicolas Essig.
Nos agradecimentos especiais do encarte, Bono e Edge agradecem à Larry Mullen, Adam Clayton e Paul Mcguinness.
O álbum é dedicado à memória de Tony Adams.

Blog U2 Sombras e Árvores Altas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...