Anúncios

Ainda Não Encontrou O Que Procura? Pesquise Aqui!

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

O poema que pode ter inspirado uma canção ainda inédita do U2

Uma canção inédita do U2, com o título de "If I Could Live My Life Again", estava cotada para fazer parte do álbum 'No Line On The Horizon', mas acabou sendo cortada da lista final. Bono disse que a letra desta canção foi inspirada pelo grande poeta argentino Jorge Luis Borges. Bono disse que teve a primeira ideia para a canção, enquanto ele conversava com Michka Assayas, em dezembro de 2005.
Curiosamente, muitos anos antes de Bono escrever a letra desta canção, surgiu na internet um poema escrito em espanhol, que seria de Jorge Luis Borges chamado Instantes, que começa com as frases: “Si pudiera vivir nuevamente mi vida / En la próxima trataría de cometer más errores” (Se eu pudesse viver novamente a minha vida / na próxima tentaria cometer mais erros).
Este poema provavelmente foi a fonte de Bono para a composição de "If I Could Live My Life Again", a canção ainda inédita do U2, já que Bono afirmou que a letra da música foi inspirada por Jorge Luis Borges, e a primeira linha deste poema já remete ao título da canção.
A autoria do poema é questionada, não existindo ainda confirmação de que o autor seja de fato Jorge Luiz Borges. Ele é considerado o maior poeta argentino de todos os tempos e é, sem dúvida, um dos mais importantes escritores da literatura mundial.
O poema Instantes seria de autoria de uma senhora americana, chamada Nadine Stair. Outros afirmam que existe uma publicação desse poema na Seleções de outubro de 1953, do escritor e humorista Don Herold.

O POEMA ORIGINAL:

Instantes

Si pudiera vivir nuevamente mi vida.
En la próxima, trataría de cometer mas errores.
No intentaría ser tan perfecto, me relajaría mas.
Sería mas tonto de lo que he sido,
de hecho tomaría muy pocas cosas con seriedad.
Sería menos higiénico, correría mas riesgos.
Haría mas viajes, contemplaría mas atardeceres,
subiría mas montañas, nadaría mas ríos.
Iría a mas lugares donde nunca he ido,
comería mas helados y menos habas.
Tendría mas problemas reales y menos imaginarios.

Yo fui una de esas personas que vivió sensata y prolíficamente
cada minuto de su vida.
Claro que tuve momentos de alegría, pero si pudiese volver atrás,
trataría de tener solamente buenos momentos.

Por si no lo saben, de eso está hecha la vida, solo de momentos.
No te pierdas el ahora.

Yo era uno de esos que nunca iba a ninguna parte, sin un termómetro,
una bolsa de agua caliente, un paraguas y un paracaídas.
Si pudiese volver a vivir, viajaría mas liviano.

Si pudiera volver a vivir, comenzaría a andar descalzo a principios de la primavera y seguirá así hasta concluir el otoño.
Daría mas vueltas en calesita, contemplaría mas amaneceres y jugaría con niños.
Si tuviera otra vez la vida por delante.

Pero ya ven, tengo 85 años y sé que me estoy muriendo.

Bono diz que pobreza extrema acaba em 2028 e cita Brasil como exemplo

Bono, líder do U2, deixou de lado a persona astro do rock para falar sobre pobreza extrema, que, segundo ele, deve chegar ao fim nos próximos 15 anos. Para o músico, Brasil, Gana e Tanzânia lideram a corrida pela solução do problema.
"Hoje quero apenas cantar os fatos. [O índice mundial de] pobreza extrema foi reduzido pela metade. E, se continuarmos nesta tendência, será zero em 2028", disse Bono para a plateia do TED, um evento em Long Beach que reúne especialistas de tecnologia, entretenimento e design para palestras de cerca de 15 minutos. "E 2028 está quase aí, só mais umas três turnês de despedida dos Rolling Stones."
Segundo Bono e sua organização One.org, o número de pessoas nessa situação (ou seja, com até R$ 2,50 por dia) foi de 43% em 1990 para 21% em 2010. O índice de mortalidade de crianças de até cinco anos também diminuiu bastante (menos 7.256 crianças morrem por dia).
"Não é algo Poliana, sem noção de um roqueiro. É real", ele continuou nos bastidores, ao conversar com jornalistas. "Mas o índice ainda é alto, há muito trabalho a ser feito. A pobreza não vai acabar."
O aumento da transparência financeira de governos e queda no preço dos remédios de Aids são fatores que ajudaram no combate, além do acesso à tecnologia. Corrupção continua sendo a principal trava, mas a "vacina é a transparência", falou Bono.
O cantor foi premiado em 2005 com um TED Prise, prêmio de R$ 200 mil que o ajudou a fundar a organização One para combate à pobreza. Ele citou o Brasil como exemplo e elogiou o ex-presidente Lula e sua "protegè" Dilma.
Ao ser questionado sobre corrupção no Brasil, o presidente do One, Michael Elliott, afirmou: "Vamos chegar mais rápido ao índice zero se lutarmos contra corrupção, mesmo em países que estão indo bem", disse.

Do site: Diário do Nordeste

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Larry Mullen não colocaria a canção "Pete The Chop" em uma coletânea de sucessos do U2

Em 1996, em uma matéria para a Revista Propaganda, foi perguntado para Larry Mullen qual nova canção do U2, que estaria no próximo álbum da banda (POP), estava à espera para ser renomeada. Larry respondeu: "MFRR".
Este título citado por Larry é da primeira versão da canção "Mofo". "MFRR" é uma gíria para "motherfucker".
Nesta mesma matéria, Larry revelou que a canção "Pete The Chop" era uma faixa improvável para integrar uma coletânea de sucessos do U2.
Mas à qual das duas versões da música Larry se referiu? Entendam: The Edge, para a edição remasterizada de War de 2008 comentou: "Estilisticamente bastante diferente de qualquer outra coisa do álbum 'Boy', para grande aborrecimento de nossa gravadora, "Pete The Chop" foi preterida quando escolhemos as canções para gravar o álbum. A partir daí, em intervalos regulares, teríamos aqui a mesma pergunta da Island Records: "O que aconteceu com Pete The Chop? (whatever happened to Pete The Chop?).
Por que nós adicionamos "Treasure" ao título eu não tenho idéia, talvez tenha sido para proteger "Pete The Chop" da resultante e potencial catástrofe pessoal com atenção da mídia."
"Pete The Chop" é uma canção da época do álbum 'Boy', como declarou Edge. Ela foi reescrita em 1983, teve o título prolongado para "Treasure (Whatever Happened To Pete The Chop)", e lançada como Lado B no single de "New Year's Day".

Um áudio raro (e único) do U2 tocando a primeira versão "Pete The Chop" em 1980 no National Stadium:

Em 1998, o U2 lançou sua primeira coletânea, abrangendo os 10 primeiros anos da banda. Em uma edição limitada dupla trazendo b sides, nem a primeira versão "Pete The Chop" e nem "Treasure (Whatever Happened To Pete The Chop)" fizeram parte da lista de faixas.

Rapper Dr. Dre por pouco não participou de uma das versões da canção "Discothèque" do U2

Em 1997, Adam Clayton foi sabatinado via chat no msn, logo após as apresentações do U2 em Dublin em agosto de 1997 pela turnê Popmart. Ele respondeu a perguntas do tipo "você deixaria um Smurf fazer cover do U2?" (ele disse que sim, que não via nenhum problema nisso), ou "já assistiu a algum filme pornô na tela de PopMart?", até questões mais sérias sobre o U2. Adam ainda revelou que o rapper Dr. Dre por pouco não participou de uma das versões da canção "Discothèque", e que ele também poderia ter participado de uma versão de "If God Will Send His Angels": "Nós nos encontramos quando estávamos masterizando o POP em Nova York com Aza, porque queríamos naquele momento que ele trabalhasse conosco em um remix de "Discothèque", mas no final ele disse que a velocidade da faixa é muito rápida para o rap ou hip hop. Então estamos pensando em fazer isto com ele em "If God Will Send His Angels".

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Compositor John Mackey utilizou em uma de suas peças, introdução de canção do U2

O compositor John Mackey usou o tema introdutório de guitarra da canção "Where The Streets Have No Name" do U2, em sua peça de 2009 para a Wind Ensemble, 'Aurora Awakes'.
Embora as cepas da guitarra de The Edge têm sido metamorfizadas nas repetições insistentes de percussão do teclado, a estética é semelhante – uma proclamação distante que cresce progressivamente no fervor. A diferença entre a apresentação do U2 e de Mackey, no entanto, é que o riff de guitarra desaparece para a maioria da música na versão do U2, enquanto em Aurora Awakes, a motivação persiste por quase todo o restante da peça: "A introdução é minha parte favorita da música, então por que não tentar escrever uma peça inteira que usa essa pequena dica do minimalismo como base?"

Em 1996, Bono afirmou que "Luminous Time (Hold On To Love)" era uma canção improvável para integrar uma coletânea de sucessos do U2

Em 1996, em uma matéria para a Revista Propaganda, foi perguntado para Bono qual nova canção do U2, que estaria no próximo álbum da banda (POP), estava à espera para ser renomeada. Bono respondeu: "Super City Mania".
Quando o álbum POP foi lançado, a canção foi mesmo renomeada para "Miami".
Esta confirmação vem de uma cópia em CD do álbum POP que um DJ recebeu em 1996, onde o título "Super City Mania" indicava a faixa que, no lançamento oficial de POP, os fãs conheceram com o título definitivo de "Miami".
Nesta mesma matéria, Bono revelou que o lado b de 1987 "Luminous Time (Hold On To Love)" era uma faixa improvável para integrar uma coletânea de sucessos do U2.
Em 1998, o U2 lançou sua primeira coletânea, abrangendo os 10 primeiros anos da banda. Em uma edição limitada dupla trazendo b sides, a faixa "improvável" citada por Bono, entrou na compilação!

"Take My Hand" era o título inicial da canção "Drowning Man" do U2

O disco 'War' do U2 completa 30 anos agora em 2013. Durante 8 segundos da faixa de abertura "Sunday Bloody Sunday", um som de violino elétrico é ouvido. O responsável por ele é o violinista Steve Wickham, que participou também de outra faixa no disco: "Drowning Man": Steve revelou que quando uma demo de "Drowning Man" foi apresentada à ele, ela tinha o título de trabalho de "Take My Hand".
Steve Wickham comentou sobre as sessões em estúdio que ele participou com o U2: "a banda foi juntada ao vivo no estúdio. Eu toquei junto na sala de controle e depois de um take de "Sunday Bloody Sunday", todos pareciam muito felizes e, provavelmente, muito aliviados que o estranho do ponto de ônibus convidado por The Edge para participar do disco, poderia realmente tocar violino. Fui contratado e The Edge tocou outra faixa, chamada Steve Wickham (era o título de trabalho naquele momento). Fui para casa com uma mixagem áspera dela e trabalhei em uma parte em uma semana. Eu, o Edge e Steve Lillywhite montamos camadas de violinos para tornar o som de um violinista como uma seção de cordas. Eu aprendi muito nesses dias."

Do site: ATU2 ( @U2 )

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Bono e Eve em festa beneficente pós-Oscar de Elton John

Logo após a cerimônia do Oscar neste domingo, 24, em Los Angeles, Elton John recebeu convidados em sua tradicional festa beneficente de sua instituição de combate à Aids, nos Estados Unidos. 
Entre os famosos que foram à 21st Annual Elton John AIDS Foundation's Oscar Viewing Party estavam Bono e sua filha Eve.
A temática da aids esteve presente em outro momento na premiação. O documentário "How To Survive A Plague", que acompanha o trabalho de duas organizações não governamentais: o ACT UP e o TAG, ambas especializadas no combate contra o vírus da aids e lutam pelo desenvolvimento de novos remédios para o tratamento da doença, concorreu na categoria "Melhor Documentário", mas perdeu para "Searching For Sugar Man".

Dos sites: Caras - Agência de Notícias da Aids

"Novelty Act": a canção inédita do U2 descartada de última hora do single de "Stuck In A Moment You Can't Get Out Of"

Em dezembro de 2000, começou a ser divulgado o lançamento do novo single do U2, da canção "Stuck In A Moment You Can't Get Out Of". A primeira informação dava conta de 2 CD'S diferentes, com as seguintes faixas:

CD 1
1. Stuck In A Moment You Can't Get Out Of
2. Beautiful Day – (Live from KROQ, Los Angeles)
3. New York – (Live from KROQ, Los Angeles)

CD 2
1. Stuck In A Moment You Can't Get Out Of
2. Novelty Act – (Unreleased Track)
3. Beautiful Day [Quincey and Sonance Remix]

O grande atrativo para os fãs estava no CD 2, onde um lado b divulgado era uma canção inédita do U2. Na internet, surgiu um amostra de 20 segundos de uma canção que seria "Novelty Act". Os fãs baixaram, e comentaram que o som remetia aos tempos de 'Achtung Baby'. Mas a verdade veio a tona logo depois, e o que parecia ser uma amostra da nova canção do U2, era na verdade um trecho de uma canção chamada "Mirrors Edge", de Madelyn Iris.
Um pouco antes do lançamento do single do U2, por algum motivo desconhecido, a banda deixou de fora a canção "Novelty Act", substituindo-a por outro lado b inédito: "Big Girls Are Best".
O que se sabe de "Novelty Act", que permanece inédita até os dias de hoje, é que ela surgiu ainda nas gravações do álbum POP em 1996, tanto que no livro da Four5One que mostra capas provisórias de discos do U2, o título 'Novelty Act' está estampado em algumas destas capas.

Bono inspirou subliminarmente o casamento de Phil Joanou e Kate Hyman

Kate Hyman: vice-presidente da A&R International e Imago Records, e seu marido, Phil Joanou, diretor de Rattle And Hum; explicam a sua repentina decisão de voar para Las Vegas e se casarem na capela Graceland em 19 de março de 1992: "O que nos inspirou foi ... bem, Bono estava cantando e entre as músicas, ele disse: 'vamos para Vegas por um tempo e se casar'. E ele deve ser cuidadoso com o que ele diz, porque há algumas pessoas impressionáveis ​​na platéia, e nós somos dois deles e nós fizemos isso", disse Kate.
Phil completou: "Nós não estávamos nem sentados juntos no momento que aconteceu isto. Na verdade, a publicidade subliminar dos shows não é nas telas, ela vem de Bono".

domingo, 24 de fevereiro de 2013

Os 25 anos do filme-concerto 'Rattle And Hum' do U2 - Parte 2

Post feito para o site U2 Boots Brasil

O filme se divide em duas partes distintas, espalhadas ao longo de 95 minutos: os shows e as atividades extra-palco. Quatro shows diferentes foram rodados para as seqüências ao vivo - dois em Denver, Colorado, mais dois outros, os últimos de toda a turnê, em Tempe, Arizona. Os dois primeiros foram filmados em preto-e-branco e os dois últimos em cores. Embora na maioria das vezes a banda deixasse de cabelos em pé a equipe comandada por Joanou (70 pessoas ao todo, das quais 12 câmeras), havia momentos, também, em que Phil (apelidado não se sabe nem por que nem por quem do U2 de "E.T.") conseguia "encenar" seqüências coreografadas especificamente de acordo com suas necessidades cinematográficas. A própria seqüência de abertura usada no trailer nos cinemas americanos - é um "teatrinho": um a um, sob os acordes de "Where The Streets Have No Name"; Larry, Adam, The Edge e Bono vão tomando posições no palco. Em certo momento, Bono acena para o "público". Só que o público não estava lá. Talvez este bom comportamento fosse para compensar as armadilhas criadas por Bono para as câmeras. Num dos shows de Tempe, a combinação era a seguinte: a quarta música a ser tocada seria "MLK". No meio da canção, o contra-regra acionaria o mecanismo que faria girar uma cruz gigantesca. Pois no final do terceiro número Bono resolve modificar a seqüência das músicas e, em vez da canção "MLK", empurra a banda para tocar a canção "Out of Control", muito, mas muito mais rápida que "MLK", nada relacionada com a elegia a Martin Luther King contida na canção originalmente planejada para o quarto posto da seqüência, e menos ainda com a cruz gigante - que o contra-regra, alheio à mudança e ao repertório do U2, resolveu girar de qualquer maneira.
Tão interessantes quanto os próprios shows, as cenas fora do palco narram a passagem da banda por um território musical, social e político muito diferente de sua Irlanda natal. E registram as conseqüências desse périplo e do conseqüente fascínio da banda com a cultura americana. No início de 1987, The Edge contava em uma entrevista que, somente nas últimas duas turnês do U2, ele havia conhecido o que chama de a "América oculta", um lado do país "que não fica óbvio em uma cidade". Neste lado oculto ele teria encontrado "música que nunca chega ao rádio, que nunca chega a ser conhecida, de uma maneira ou outra, blues e música country. Encontrei também escritores americanos, gente como Raymond Carver, e vários escritores indígenas". Este fascínio com os Estados Unidos já era evidente no disco 'The Unforgettable Fire' e no término de cada show da turnê The Joshua Tree com uma fita gravada de Jimi Hendrix tocando o hino americano em Woodstock. Mas, aos poucos, este fascínio viu-se transformado em verdadeira escavação cultural em busca de raízes e história. Alguns destes achados estão no filme: passeios pelo Harlem (antes de uma ida à igreja, para cantar com o coral local), gravações no Texas com B.B. King, gravações no lendário Sun Studio, em Memphis, Tennessee (onde já gravaram Elvis Presley, Jerry Lee Lewis, Al Green, Isaac Hayes e Otis Redding), visitas a Graceland (mansão onde morava Elvis), tudo registrado em preto-e-branco.
O que o filme registra também é a gravação de algumas das faixas do que Bono já chamou de "o primeiro álbum de rock’n’roll do U2". Faixas mais cruas do que seria de se esperar do U2, nascidas a partir do momento em que The Edge e Bono começaram a mergulhar nas raízes do blues através de contatos e colaborações com Keith Richards, faixas como "Desire" e "When Love Comes To Town". Ou covers como a de "All Along The Watchtower", canção de Bob Dylan que se transformou num dos bastiões do repertório de Hendrix. As seqüências de show do disco também surpreenderam, conforme esperava Jimmy lovine, porque, ao contrário de um álbum de grandes sucessos gravado ao vivo, o U2 gravou versões diferentes, com novos arranjos, de musicas de seu repertório. "É um disco agressivo", segundo lovine.
Mais de uma vez os integrantes do U2 brincaram com a escala gigantesca de sucesso que alcançaram. Durante a entrega dos prêmios Grammy, por exemplo, Bono suspirou, reclamando que não era fácil ficar promovendo a paz entre as superpotências, zombando da própria aura sobre-humana que alguns enxergavam na banda. Aparentemente mantendo sua cabeça coletiva abaixo das nuvens, o U2 conseguiu cavalgar a fama, o poder e a bajulação reservados aos megastars, sem cairem nas armadilhas conseqüentes.

sábado, 23 de fevereiro de 2013

Tori Amos cantando "Running To Stand Still" do U2

Tori Amos em uma performance ao vivo da canção do U2 "Running To Stand Still", em show de sua turnê 'Night Of Hunters Tour'.


Tori Amos é uma cantora, compositora e pianista norte-americana. Amos esteve à frente de um grupo de cantoras e compositoras no começo da década de 90, sendo digna de nota, no começo da sua carreira, como uma das poucas cantoras e intérpretes pop que usam o piano como instrumento principal. 
Ela é conhecida por suas músicas emocionalmente intensas, que tratam de uma variedade de assuntos, incluindo sexualidade, religião e tragédia pessoal.
Amos vendeu 12 milhões de discos ao redor do mundo até 2005, e é muito admirada e seguida no mundo cult. Tendo um histórico de comentários excêntricos em shows e entrevistas, ganhou a fama de ser altamente idiossincrática. Como crítica social, e algumas vezes ativista, alguns dos tópicos que mais aborda incluem feminismo, religião e sexualidade.

Os 25 anos do filme-concerto 'Rattle And Hum' do U2 - Parte 1


Post feito para o site U2 Boots Brasil

1987 foi o ano que viu o U2 se transformar na maior banda de rock de sua geração. Artisticamente avalizado por gigantes de outras eras, como Bob Dylan e Bruce Springsteen, comercialmente bem-sucedido, com vendas de 12 milhões de cópias do LP The Joshua Tree, recebeu ainda o Grammy de melhor canção do ano com "I Still Haven’t Found What I’m Looking For".
O grupo alcançou os mais altos degraus da popularidade na música, transferindo-se para estádios abertos cada vez maiores, à medida que a turnê sofria as repercussões de uma presença maciça nas rádios, paradas e capas de revistas. Como as regras de conduta da indústria do rock prevêem, geralmente, que após períodos de imensa visibilidade como foi o ano de 1987 para o U2, o artista deva se resguardar, para evitar um desgaste artístico ou um fastio do público, aquele seria o momento de Adam Clayton, Lany Mullen, The Edge e Bono colocarem as barbas de molho temporariamente. Mas como o U2 chegou onde chegou criando sua própria tábua dos mandamentos do rock - resumível em uma só frase, "se for verdadeiro, então faça", era mais natural, naquela altura, esperar o inesperado.
"Este ano (1987) foi muito perigoso para o U2", disse The Edge em uma entrevista. "Em vários aspectos, agora somos um nome conhecido de todos. Mas, por outro lado, acho que isso nos torna um bem público como jamais fomos. Vimos o início da mitificação do U2, e isso pode se tornar complicado. Também existem muitas distrações agora, distrações financeiras. O dinheiro traz uma grande liberdade, mas muitos grupos não conseguem sobreviver ao sucesso financeiro. Então, há um problema em potencial. Ser levado a sério também é um problema e parece que as pessoas dão importância demais a tudo que fazemos, importância além da área musical. E acho que isso pode ser ruim. Ser levado a sério, é um problema. As pessoas dão importância demais, além da música, a tudo que fazemos. Isso pode ser ruim."
Mas o U2 queria um ano de visibilidade provavelmente superior ao de 1987, e então em 1988, a banda lançou 'Rattle And Hum', um longa-metragem para o circuito de cinema com o registro dirigido pelo então jovem Phil Joanou, trazendo imagens de três shows-chave da turnê The Joshua Tree, de 1987.
E ainda, a trilha sonora correspondente, com um disco duplo que trazia faixas ao vivo e material inédito, produzido pelo mesmo Jimmy Iovine que já trabalhara com a banda em Under A Blood Red Sky.
A idéia do filme partiu da própria banda e do empresário Paul McGuinness. Numa entrevista à revista Rolling Stone em 1987, McGuinness explicou que para atingir todo o público que gostaria de assistir a um show do U2 naquela época, a banda precisaria excursionar por quatro anos seguidos. Além disso, ele acreditava que todo mundo já estivesse "de saco cheio" daquela fita do show em Red Rocks (o famoso show de 'Under a Blood Red Sky', de 1983). Paul disse: "Chegou um ponto em que aquela fita começou a nos causar um certo constrangimento."
Com isto em mente, Michael Hamlyn, produtor de vídeo do U2, começou a selecionar vários nomes de possíveis diretores para rodar um documentário da turnê de 1987. Não estava na lista de Hamlyn o nome de Phil Joanou, formando da Escola de Cinema da University of Southern California e, aos 26 anos, dono de um invejável currículo que incluía a direção de dois episódios da série Amazing Stories, criada e produzida por Steven Spielberg, mais um longa de sucesso nas bilheterias, Three O’Clock High (Te Pego Lá Fora, aqui no Brasil). Mas Joanou sabia do interesse do U2 num filme e tratou de ir atrás deles. Quando, enfim, conseguiu se reunir com a banda, foi recebido com uma pergunta à queima-roupa, disparada por Bono: "Se você fosse fazer um filme do U2, que tipo de filme você faria?" A resposta de Phil: "Que tipo de filme você quer fazer?". Pronto, foi o suficiente para garantir-lhe a cadeira de diretor. "Este filme é sobre um grupo que já está junto há dez anos", explicou Joanou numa entrevista, enquanto preparava a montagem final de 'Rattle And Hum'. "E captura um momento da vida deles que resultou em músicas novas. E o contrário do que foram, por exemplo, Bring On The Night, do Sting, ou The Last Waltz, com The Band, que documentavam o início ou o fim de uma banda. E mais sobre um barato do que sobre uma história propriamente dita."

A versão demo inédita de "Walk On"

Simplesmente sensacional este achado do site U2 Valencia (e divulgado pelo blog ATU2)! 
Trata-se de um video de Bono cantando uma versão demo inacabada da canção "Walk On", cerca de 4 meses antes do lançamento oficial da faixa no álbum 'All That You Can't Leave Behind' do U2.
O vídeo é de 23 de junho de 2000, quando um grupo chamado TROCAIRE organizou uma pequena festa de aniversário / evento em Dublin, em honra à Aung San Suu Kyi (cujo aniversário é 19 de junho e para quem a música foi dedicada no disco do U2).
Bono apresenta a canção pela primeiríssima vez, em uma versão demo inacabada, bem crua, com letras alternativas e a parte instrumental bem diferente do take final do álbum. Ela é mais acústica, com violões, e partes de guitarra diferentes de Edge.
O curioso é que Bono canta esta versão para os convidados presentes no evento, justamente em cima da reprodução do áudio de um CD ou uma fita cassete gravada em estúdio, deste take antigo de "Walk On". Bono tem um microfone e um rádio toca fitas em suas mãos. 
Esta versão da canção jamais foi lançada pela banda.
Para colecionador e fanático nenhum botar defeito!

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Ali sofre acidente na Costa Rica em moto de quatro rodas

Ali Hewson, mulher de Bono, foi hospitalizada na Costa Rica após sofrer um acidente em uma moto de quatro rodas no fim-de-semana passado.
O casal encontrava-se de férias na Costa Rica, mas no sábado Ali sofreu o acidente e fraturou algumas costelas.
A esposa do cantor foi transportada de helicóptero para um hospital na capital costa-riquenha, San Jose.
Um porta-voz do U2 indicou que "Ali sofreu um acidente durante umas férias em família. Ela sofreu fraturas em algumas costelas e alguns cortes e contusões, mas está se recuperarando muito bem."

Agradecimento: http://diariodigital.sapo.pt

"Don't Let The Dues Get You Down": o título citado pelo jornal Los Angeles Times em 1991 como sendo uma canção inédita do U2

Em maio de 1991, o Los Angeles Times publicou: "As rádio de rock não estão tocando. As lojas de discos não vão vendê-lo. A gravadora da banda não lançou ele. Mas os fãs do U2, tanto nos Estados Unidos, como em grande parte da Europa, tem acompanhado discretamente a circulação de um bootleg de um conjunto de quatro discos com gravações ásperas e muitas inacabadas do tão aguardado novo álbum do U2. Intitulado 'The New U2: Rehearsals and Full Versions', o álbum está sendo vendido com dois discos, oferecendo cerca de 30 novas músicas, incluindo material novo e inédito com títulos como "She's Gonna Blow Your House Down", "Sweet Baby Jane", "I Feel Free", "Don't Say Goodbye" e "Don't Let The Dues Get You Down".
É impossível dizer quantas cópias do bootleg existem. O álbum causou um rebuliço imediato, especialmente com o U2, quem vem estado longe dos olhos do público nos últimos dois anos. Muitas bandas de rock viram seus outtakes, materiais inéditos de estúdio ou gravações ao vivo pirateados, mas não antes de um novo álbum ser lançado. Neste caso, o novo material do U2 chega enquanto a banda ainda está gravando o novo álbum do U2, com seu álbum sem título e não programado para a liberação até outubro.
"O que torna isso quase sem precedentes é que estas são as fitas de músicas que não estão nem mesmo finalizadas ainda", disse Pete Howard, editor do International CD Exchange, que disse que ele recebeu o bootleg de um assinante anônimo. "Algumas das músicas soam perto de serem versões finais, mas outras ainda são instrumentais, sem vocais. Você pode até ouvir Bono sinalizando para a banda entrar na ponte ou em um refrão."
Notícias do bootleg não cairam bem para o U2 ou a Island Records, que colocou um anúncio de página inteira na publicação britânica Music Week, avisando as lojas de discos que o selo "iniciou procedimentos legais" contra qualquer um que vende os bootlegs. O gerente geral da Island, Andy Allen, acrescentou: "Nós tomamos a mesma posição aqui, que os nossos colegas na Inglaterra. Vamos processar duramente esses contrabandistas."
De acordo com informações, as fitas piratas foram obtidas após a banda jogar no lixo de um hotel de Berlim, fitas com mixagens ásperas descartadas, onde foram recuperadas por camareiras do hotel. Os seguidores da banda acreditam que as fitas datam de sessões de gravação da banda de 1990 no Hansa Studios em Berlim. Mas um porta-voz insistiu: "É impossível imaginar a banda deixando essas fitas no lixo do hotel. Elas estariam sempre à sete chaves".
Legalmente, a banda tem todo o direito de suprimir os bootlegs, se eles conseguirem encontrá-los. "Você só registrar os direitos autorais para músicas quando o álbum sair, mas a proteção de direitos autorais está em vigor logo que você terminar de cortar a música", explicou Peter Paterno, um advogado de entretenimento, agora diretor da Hollywood Records. "Eu recorreria à RIAA para tentar confiscar as fitas. Mas não é uma coisa tão terrível para a banda. Acho que as pessoas vão sair e comprar o produto final também."
Programadores de rádio, citando um incidente recente em que a Geffen Records processou a estação de rock WMMS-FM em Cleveland por colocar no ar uma gravação pirata de uma nova canção do Guns N 'Roses, disseram que eles pensariam duas vezes antes de colocar qualquer material do U2 no ar."

"Don't Let The Dues Get You Down" era uma versão demo da canção lançada em Achtung Baby com o título de "Acrobat".

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Bono e Ali curtem férias em praia da Costa Rica

Bono e sua esposa Ali passam férias na Costa Rica, informou nesta quinta-feira a imprensa local.
A Direção de Migração confirmou aos jornalistas que Bono e sua esposa chegaram à Costa Rica em 11 de fevereiro e até o momento não deixaram o país.
Meios de imprensa locais indicaram nesta quinta que o casal se encontra em uma praia da cidade de Cóbano, no Pacífico norte da Costa Rica, e que aparentemente a mulher sofreu um acidente, o que obrigou com que fosse a um hospital privado de San José, onde chegou de helicóptero e permaneceu apenas algumas horas.
No entanto, o Hospital CIMO não confirmou nem negou a informação, pois sua política é não dar detalhes sobre a entrada de pacientes.
Segundo a Direção de Migração, esta é a primeira vez de Bono na Costa Rica, um país que costuma ser visitado por artistas famosos, especialmente devido a suas formosas e abundantes praias.

Do site: http://musica.terra.com.br

A imprensa anuncia a saída de Adam Clayton do U2


Post feito para o site U2 Boots Brasil

Isto foi uma das coisas divulgadas pela imprensa no ano de 1993, juntamente com os próximos passos do U2, que estava naquele momento prester à lançar seu novo álbum. Bono travestido? O U2, grande bastião do "rock visceral", produzindo hits para discotecas? Uma banda católica, posando ao lado de modelos seminuas? O U2 estava passando por uma mutação surpreendente, e radicalizaram definitivamente seu trabalho, com um disco ousadíssimo.

CONFIRMADO:

NOVO DISCO DO U2 ZOOROPA LANÇAMENTO MUNDIAL: 6/07
PRIMEIRO SINGLE/CLIP "NUMB" /LANÇAMENTO MUNDIAL: 26/07
NOVO DISCO DE REMIXES PARA PISTA EM OUTUBRO
CONFIRMADA RENOVAÇÃO COM A GRAVADORA ISLAND
CONTRATO CALCULADO EM MAIS DE CEM MILHÕES DE DÓLARES
O NEGÓCIO MAIS CARO DA HISTÓRIA DA MÚSICA INCLUI COMPRA DE DEZ POR CENTO DA ISLAND PELO U2
BANDA FAZ SUA TURNÊ EUROPÉIA ATÉ 30/07
A IMPRENSA ANUNCIA A SAÍDA DO BAIXISTA ADAM CLAYTON DO GRUPO

A notícia da possível saída de Adam do U2 deixou os fãs aflitos: "em um futuro próximo o U2 pode mudar de cara. Correm boatos de que Adam Clayton pode deixar a banda (aliás, ele é o único não-cristão da banda e está noivo da modelo Naomi Campbell)".
Adam já tinha sido alvo de manchetes em agosto de 1989 em Dublin, sendo preso por carregar uma pequena quantidade de maconha.
Logo após o lançamento do álbum Zooropa e o início da turnê européia, os rumores da saída de Adam aumentaram, após ele ter problemas com o álcool, que veio à tona em 26 de novembro de 1993, quando ele estava com tanta ressaca, que foi incapaz de subir ao palco com o U2 em Sydney, na Austrália. Seu técnico de baixo tocou em seu lugar, e para frustração de Bono, Edge e Larry, pela primeira vez o U2 tocava sem um dos seus integrantes. Após esse incidente, Adam desistiu do álcool, e felizmente continua sendo o baixista do U2, que já está há mais de 30 anos na estrada, sendo uma das maiores bandas do mundo.

Semana de moda de Nova York: look da Edun com seios de modelo à mostra na passarela

Em 2005, Bono e Ali Hewson fundaram a Edun, que desfilou na semana de moda de Nova York em 2013. Desde que foi fundada, marca atraiu a atenção de nomes como Anna Wintour, diretora da Vogue americana, e de toda a índustria ao produzir a maior parte de suas coleções na África. A Edun promove o desenvolvimento sustentável de países africanos, apoiando fabricantes, dando suporte de infra-estrutura e estimulando iniciativas comunitárias no continente. 
Atualmente suas roupas vêm do Quênia, de Madagascar, da Tunísia, do Marrocos e da Uganda.
Os looks são realmente interessantes, com informação de moda e tudo que têm direito. Mas não foram apenas o cunho social ou as peças com pegada militar e muito tweed que sobressairam no inverno 2013. O vestido vermelho, com decote profundo, foi a estrela da noite, quando falhou em sua tarefa de cobrir a modelo.
Ela nem percebeu a escapolida, já que passou todo o trajeto da passarela com os peitos de fora! Tudo sob os olhares do vocalista do U2 e sua esposa.

Do site: http://revistaglamour.globo.com

Edun e Diesel fazem parceria para coleção sustentável

O programa social EDUN de Bono e Ali Hewson, sua esposa, está em parceria com a marca Diesel, com uma proposta 100% sustentável de fabricação africana.
Um dos programas sociais do EDUN, no norte da Uganda, chama-se Conservation Cotton Initiative Uganda (CCIU). Criado em 2009, fornece aos produtores de algodão suporte, treinamento empresarial e financiamento na construção de negócios sustentáveis incluindo até mesmo suporte aos comerciantes de sementes.
Essa ideia de parceria entre o EDUN e a Diesel teve inicio em janeiro de 2012, quando Bono, Ali e o fundador da Diesel Renzo Rosso viajaram juntos para a África e Renzo se apaixonou pelo belo projeto EDUN e resolveram unir forças. A união deles consiste em mostrar que é possível produzir e explorar algo sustentável na África, mesmo em um lugar pobre como o norte da Uganda, que se recupera de 25 anos de guerra civil.
Nessa parceria, Bono e Ali participam com sua experiência de comércio no EDUN e a Diesel na sua área de criação de novos conceitos mostrando uma coleção 100% África, desde o algodão ao bordado das peças da coleção.
A coleção estará disponível no mercado a partir do mês de março de 2013.

Do site: http://www.puretrend.com.br

Integrantes do The Secret Machines dão detalhes sobre a versão de "I Am The Walrus" gravada com Bono

Na trilha sonora do filme Across The Universe, Bono canta "I Am The Walrus", acompanhado pela banda The Secret Machines, que abriu alguns shows da turnê Vertigo, do U2.
Brandon do The Secret Machines comentou em 2007: "Nós fizemos uma versão de "I Am the Walrus", com Bono, para um filme que sai em novembro, de Julie Taymor. É um musical com todas as músicas dos Beatles. Bono faz o vocal principal na gravação. Então, tecnicamente, nós já colaboramos com ele, mas nunca estivemos na mesma sala."
Josh Garza, o baterista, completou "Não tivemos a chance de conhecê-lo. Nós gravamos a base da música e, em seguida, enviamos para ele, pois o U2 estava em turnê no Canadá. Bono gravou os vocais da canção em Montreal. Então depois de finalizada, Julie acabou gostando da canção, da maneira que soou e Bono acho que nos deu alguns adereços loucos. O Secret Machines então acabou gravando mais canções para o filme. Então nós conversamos sobre isso. Agradecemos Bono por nos fazer soar tão bem, e ao mesmo tempo ele estava agradecendo-nos por fazê-lo soar bem. Foi muito legal. Então, eu acho que nós estávamos ligados como que em um nível musical estranho."
"Sabíamos que ele tinha ouvido falar de nós", disse outro integrante, Ben. "Mas, de repente, estávamos fazendo entrevistas e as pessoas disseram: "vocês sabiam que Bono gosta de vocês?", e eu bem surpreso: "sério?"

"Assaulted By Underpants": a canção inédita do U2

"Assaulted By Underpants" é uma canção inédita do U2 dos primeiros anos da banda, e Bono mencionou este título por volta de 1981 em uma entrevista. Ele descreveu a letra como sendo sobre claustrofobia das grandes cidades, e o título foi inspirado pelos enormes anúncios de cuecas no metrô de Londres.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Bono explicou como seria o projeto interativo do U2 com a Sega em 1993

No ano de 1993, foi divulgado que o U2 estava produzindo um acordo com a gigante dos videogames na época, a Sega.
O U2 negociava o lançamento de um CD-Rom. Não um jogo, mas um produto interativo que uniria música, vídeo, texto.
Após um entrevistador da Rolling Stone dizer que o U2 havia realizado diversos videos para "One" e "Even Better Than The Real Thing", e que então o álbum Achtung Baby estava se aproximando de algo mutável, Bono comentou sobre o projeto do CD -Rom interarivo: "uma coisa emocionante sobre o que está para acontecer é que estamos trabalhando com a Sega em um CD Rom interativo da Zoo TV. Você vai ser capaz de misturar seus próprios vídeos para as nossas músicas. Haverá uma caixa de cor, se você quiser, de imagens. Estou muito animado com isso. E você vai ser capaz de remixar a nossa música para si mesmo, o que me assusta um pouco. Você tem que engolir em seco antes de concordar com algo assim."

A versão antiga de "The First Time" com letras alternativas, que Bono mostrou pela primeira vez para um crítico musical espanhol

Existe uma versão antiga de "The First Time" acústica, que sempre causou um debate entre os fãs do U2, pois ela apareceu antes de seu lançamento oficial no álbum Zooropa de 1993, e o que se dizia é que esta versão era uma demo inacabada da música, com Bono no vocal e The Edge no violão, e que havia sido transmitida em uma rádio mexicana, quando o U2 visitou o México pela primeira vez, em novembro de 1992. Foi então que esta versão ficou conhecida entre os fãs como "The First Time (Mexican Radio Demo)".
Na verdade, esta versão antiga de "The First Time" é uma performance solo de Bono (sim, é ele que toca o violão, e não Edge), que aconteceu em outubro de 1992 antes de um show do U2 pela ZOOTV Outside Broadcast no Dodgers Stadium em Los Angeles.
A canção inédita, que naquele momento ainda tinha o título de trabalho "Prodigal Son", foi cantada (com voz de Fat Lady) e tocada por Bono para o crítico musical espanhol e radialista Julian Ruiz, durante uma entrevista com o vocalista no hall do Dodger Stadium. Bono canta trechos de uma letra inédita, que não entrou na versão final da canção no disco de 1993.
Na entrevista, transmitida em uma rádio espanhola (e daí tirado o áudio da performance de "The First Time", Bono disse que escreveu a canção para outra pessoa cantá-la (Al Green, a inspiração de Bono), e é por isso que ele canta em falseto esta versão.
Tempos depois, quando Julian Ruiz apresentou o lançamento de Zooropa na rádio, ele comentou sobre "The First Time" e lembrou que Bono mudou a voz falseto e passou de um tempo mais rápido, para um tempo mais lento na gravação final.

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Os créditos do documentário 'Miracle Rising: South Africa' trazendo trechos da versão inédita da canção "Breathe" do U2

Os créditos finais do documentário 'Miracle Rising: South Africa', onde trechos da versão alternativa de "Breathe" do U2 é ouvida, intercalando com vários trechos de entrevistas.

Breathe (Alternate Version) - U2
Music by U2. Lyrics by Bono. Produced by Brian Eno and Danny Lanois. Recorded by Richard Rainey assisted by Chris Heaney. Mixed by Declan Gaffney. Backing vocals by The Edge, Bono, Brian Eno and Danny Lanois. Horn arrangement and keyboards by Declan Gaffney.

The Edge comenta sobre a releitura do tema de Missão Impossível por Adam Clayton e Larry Mullen

"Eu acho que o single de "Mission Impossible" foi algo que aconteceu naturalmente. Bono e eu sentimos que não era correto aceitar fazer isto como U2, já que tinhamos começado a gravar um álbum próprio da banda. Mas Adam sentiu que ele e Larry poderiam fazer algo interessante, então eles foram e recriaram o tema de Missão Impossível. Porque era um projeto de Adam e Larry, eu acho que as pessoas estavam realmente interessadas ​​nisto. Se tivesse sido U2, eu acho que teria sido apenas mais um projeto de trilha sonora. Como isso aconteceu desta forma, tornou-se um filme muito maior do que Adam e Larry imaginavam que seria. Na verdade, tornou-se um lançamento de alto perfil, o que eu acho que eles estavam muito satisfeitos com isso, mas realmente não tinham previsto isto."

Trechos da versão inédita de "Breathe" presente no documentário 'Miracle Rising: South Africa'

Um novo documentário com duas horas de duração e participação de Bono, chamado 'Miracle Rising: South Africa', está sendo exibido no History Channel, e traz em sua trilha sonora uma versão alternativa da canção "Breathe" do U2.
De acordo com uma ficha de informação sobre o documentário, a faixa presente tem o título de "Breathe (Alternate Version)". A ficha inclui esta citação da produtora Michelle Sparkes: "Bono reescreveu as letras de "Breathe" para o álbum do U2, que inicialmente foi escrita sobre Nelson Mandela, e quando o entrevistei, ele perguntou se nós gostaríamos de usar esta versão inédita em nosso documentário. É claro, nós dissemos sim."
Na edição de luxo do álbum 'No Line On The Horizon', há uma página que mostra a letra desta versão alternativa de "Breathe".
O site U2 News disponibilizou um áudio com trechos desta versão inédita que aparece ao longo dos créditos do documentário. Ela traz uma letra diferente, trechos com uma orquestração que não aparece na versão final do álbum, e alguns arranjos diferentes:

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Duas canções do U2 estão em coletânea de 20 anos do War Child


A organização War Child divulgou o lançamento de uma coletânea em comemoração aos seus 20 anos. A coletânea trará canções que foram cedidas para a organização durante esses 20 anos.
Além da coletânea, a comemoração contará com uma apresentação da banda Muse e também será homenageada durante o Lifetime Achievement Awards, durante o Brit Awards deste ano.
"A coletânea mostra como foi a relação que a War Child teve com a grande música britânica", comentou Ben Knowles, diretor do musical. "É uma das histórias mais incriveis da música britânica. O incrivel apoio que tivemos em torno do War Child em 1994 e 1995 e que continuamos a ter até hoje", continuou.
A coletânea The Best of War Child será lançada no dia 18 de fevereiro. Confira abaixo o tracklist completo, que traz duas canções do U2, sendo uma delas uma regravação feita por outra banda:

Smokin' Mojo Filters (McCartney, Weller, Gallagher) - 'Come Together'
Radiohead - 'Lucky'
Oasis - 'Fade Away'
Portishead - 'Mourning Air'
Massive Attack - 'Fake The Aroma'
Manic Street Preachers - 'Raindrops Keep Falling On My Head'
Suede - 'Shipbuilding'
Passengers (U2 and Pavarotti) - 'Miss Sarajevo'
Muse - 'House Of The Rising Sun'
The Prodigy - 'Ghost Town'
Paul McCartney - 'Calico Skies'
David Bowie - 'Everyone Says Hi (Metro Mix)'
New Order - 'Vietnam'
Coldplay - 'How You See The World No.2'
Gorillaz - 'Hong Kong'
Keane - 'Goodbye Yellow Brick Road'
Hot Chip - 'Transmission'
Beck - 'Leopard-Skin-Pill-Box-Hat'
Lily Allen (ft. Mick Jones) - 'Straight To Hell'
Elbow (U2 Cover) - 'Running To Stand Still'

Do site: http://www.dropmusic.com.br

Banda Kane gravou um CD/DVD em tributo ao U2

With Or Without You é um álbum ao vivo de tributo ao U2, feito pela banda de rock holandesa Kane, sendo lançado em CD/DVD. O DVD foi lançado em 20 de setembro de 2000 no Plan C, em Roterdã. O CD foi gravado um dia depois no Paradiso, em Amsterdã. O álbum foi lançado em dezembro de 2000, apenas na Holanda.
O CD/DVD contém uma lista de faixas quase idênticos, com diferença que o DVD contém uma faixa bônus. O tributo cobriu cinco álbuns do U2. A performance da canção "Acrobat" é a única gravação oficial ao vivo da canção disponível, uma vez que nunca foi tocada ao vivo pelo U2.

Lista de faixas:

Where The Streets Have No Name (5:56)
The Electric Co. (5:02)
One (7:19)
I Will Follow (4:08)
With Or Without You (6:21)
Acrobat (5:29)
The Unforgettable Fire (7:37)
Running To Stand Still (3:23)
All I Want Is You
Bullet The Blue Sky (10:07)
Love Is Blindness (4:46)

"Pride (In The Name Of Love)" só está presente no DVD.


Em 1993, U2 negociou com a Sega o lançamento de um produto interativo em CD-Rom

No ano de 1993, foi divulgado que o U2 estava produzindo um acordo com a gigante dos videogames na época, a Sega.
O U2 negociava o lançamento de um CD-Rom. Não um jogo, mas um produto interativo que uniria música, vídeo, texto. Algo que infelizmente, não aconteceu.
A SEGA (Service Games) Corporation é uma empresa desenvolvedora de software e hardware para video games, e uma antiga produtora de consoles. A companhia tem tido sucesso tanto no mercado de arcades quanto no de consoles caseiros, apesar de estar fora desse último setor desde 2001.

Em shows do U2, Bono cantou trecho de tema de uma série popular da Austrália

Neighbours é uma série de televisão (soap opera) australiana muito popular no país, premiada em 22 ocasiões. Foi lançada em 1985 e está no ar até hoje.
A música tema do seriado é de Tony Hatch, com letras de Jackie Trent. A versão original do tema ficou por conta de Barry Crocker, entrando nas paradas de sucessos no ano de 1988.

Na turnê Lovetown do U2 em 1989, em 5 shows realizados na Austrália, Bono cantou um trecho do tema de Neighbours, durante a canção "Bullet The Blue Sky".
Em 1993, em um show na Nova Zelândia pela turnê ZooTV, novamente o tema apareceu, na performance de "Lemon".
Na turnê Elevation, em 2001, em um show nos EUA, o tema de Neighbours foi cantado por Bono durante a performance da canção "New York".

domingo, 17 de fevereiro de 2013

"Prodigal Son": a versão inicial da canção "The First Time"

Em 1993, em uma das primeiras resenhas da imprensa sobre as canções do novo álbum do U2 que seria lançado, 'Zooropa', foi revelado que uma faixa inédita gravada pela banda, havia sido descartada do disco: " uma das faixas gravadas chama-se "Prodigal Son", que inicialmente era um soul e foi gravada pelo U2, mas não entrará no novo disco, e uma regravação dela estará no álbum solo do cantor de soul americano Al Green, que Bono considera a maior influência sobre seu estilo de cantar".
Ficou bem claro que o U2 havia escrito uma canção influenciados por Al Green, gravaram a faixa, não gostaram do resultado e resolveram ceder a música para uma gravação do próprio Al Green, que seria lançada em seu álbum solo.
Mas uma reviravolta aconteceu rapidamente, e o U2 acabou decidindo ficar com a canção, e esta versão soul que a banda havia gravado com o título de "Prodigal Son", foi mexida, acabou se tornando mais acústica, com violões, guitarras e efeitos, e rebatizada para "The First Time". Tudo em tempo da banda conseguir incluí-la em 'Zooropa'. Bono disse que a letra 'é sobre perder a sua fé'.
"The First Time" é uma releitura aberta da Parábola de Jesus sobre o Filho Pródigo, e daí veio o titulo inicial de "Prodigal Son".

sábado, 16 de fevereiro de 2013

O primeiro rumor de que o U2 faria um show no Brasil, aconteceu no ano de 1986

No ano de 1986, uma edição da Revista Bizz no Brasil trouxe: "U2 é a melhor banda do mundo. Esta é a opinião dos leitores da BIZZ, que também elegeram Bono como melhor cantor de 1985 e The Edge o segundo melhor instrumentista. "Pride (In The Name Of Love)", carro-chefe do último LP do grupo, The Unforgettable Fire, foi escolhida como melhor música do ano passado, apesar da execução relativamente escassa em AMs e FMs. A popularidade do U2 cresce, e já se fala na vinda deles ao Brasil. Primeira constatação: eles são um fenômeno. O U2 teve uma grande vantagem sobre seus concorrentes na votação dos leitores. O grupo nunca dependeu de badalação da crítica ou de colunas sociais. Segunda constatação: a música deles é forte. Basta ouvir para se convencer de que o U2 é uma das grandes bandas de rock da atualidade.
Estilo e energia são coisas características em cada um dos integrantes: The Edge, o campeão dos harmônicos na guitarra, Larry, o baterista, Adam Clayton, o baixista, e Bono, o dono daquela voz de adolescente. Inconformado - ou apaixonado, não importa. O que importa é que a fé remove montanhas, lota estádios e vende discos. Da fé de Bono surge a fé em Bono. Já que ele é do tipo de gente que dá a impressão de que realmente sente o que diz. Terceira constatação: Bono é uma das razões do sucesso do U2."

As incertezas do U2 antes da finalização de 'All That You Can't Leave Behind'

Perto de finalizarem 'All That You Can't Leave Behind', o U2 ainda passava por muitas incertezas em relação ao álbum, e muitas decisões à serem tomadas foram complicadas para a banda. Havia gaivotas e tensão no ar. Faltava confiança para o grupo.
Bono não tinha certeza se a frase "crise de meia idade" deveria aparecer na canção "New York" ("a imprensa vai me crucificar", disse ele sorrindo).
Semi-agachado e com o microfone no punho direito, ele regravou vocais para a faixa "Elevation".
Daniel Lanois trouxe sua mexida mais recente de "Beautiful Day" para a banda ouvir. Se acertasse, ela seria o primeiro single. Se errasse, ela iria ser exterminada sem misericórdia. "Beautiful Day" sobreviveu e as hostilidades em relação ao mix diminuíram, apesar de controvérsias. 
Edge não tinha a certeza se eles tinham a mixagem certa da canção "Kite" (eles tinham). Alguns queriam a inclusão no álbum da canção "The Ground Beneath Her Feet", que já estava na trilha sonora de Million Dollar Hotel (no final permaneceu a vontade de alguns, e ela entrou no álbum). 
The Edge queria uma mudança de última hora no sequenciamento das canções do álbum (vitória de Edge nessa, ele mexeu e definiu a sequência das faixas).

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

U2 BootsBrasil é o mais novo fã-site brasileiro sobre o U2

Está no ar o U2 BootsBrasil, o mais novo fã-site brasileiro sobre o U2!
Os fãs terão à disposição mais conteúdos sobre a maior banda do planeta, desde artigos e dados técnicos, notícias e até videos raros.
Mas a grande novidade do site é a sessão de áudio de bootlegs, onde será possível ouvir mais de 1300 shows realizados pelo U2 nestes mais de 30 anos de carreira da banda! E o melhor disto tudo? Você não precisará baixar! É clicar e ouvir!
São mais de 250GB de dados sobre a banda!
É um site feito de fãs para fãs, sem fins lucrativos! 

Get On Your Boot (legs)!

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR O SITE

Adam Clayton participa de coquetel no Rio de Janeiro que reuniu amigos do artista plástico inglês Martin Creed

A colecionadora de arte Francis Reynolds Marinho abriu ontem sua espetacular residência no Jardim Botânico, Rio de Janeiro, para um coquetel que reuniu amigos em torno do artista plástico inglês Martin Creed, uma das sensações do mercado de arte londrino. Acompanhando Martin Creed veio um grupo da galeria Hauser&Wirth que representa o artista no mundo.
Representando a galeria Hauser&Wirth, a linda paulistana Mariana Teixeira de Carvalho. 
Jovem e linda, Mariana trabalhou durante anos na galeria Luisa Strina em São Paulo, depois recebeu uma proposta da galeria Hauser&Wirth em Londres e se mudou para lá. Entre os convidados de Martin Creed estava o musico e baixista Adam Clayton do U2, que também é um grande colecionador de arte contemporânea e amigo de Martin Creed.
“Fiquei aqui na casa de Francis Marinho por mais de três semanas e adorei o Rio, estive no desfile das escolas de samba e devo voltar em breve. Trabalhei bastante também”, contou Martin Creed. Pela casa estavam espalhados vários trabalhos que Martin Creed fez durante esse período aqui no Rio. “Aqui Martin Creed voltou a pintar retratos o que ele fazia ainda no tempo de estudante de arte em Londres. Ele pintou retratos da Francis Marinho, o meu e de várias pessoas que trabalham na casa,” contou Mariana Teixeira de Carvalho.
O neon "Don´t Worry", Martin Creed executou aqui no país e o colocou na área da piscina ficando estrategicamente colocado abaixo da estátua do Cristo Redentor.

Agradecimento: http://www.zeronaldo.com/ - http://www.ultraviolet-u2.com/

Blog U2 Sombras e Árvores Altas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...